Rio Grande do Sul tem mais de 400 ocorrências de golpe com dinheiro falso em 2018

Sem Comentários

10/10/2018

A Polícia Federal já registrou 413 ocorrências de golpe com dinheiro falso neste ano. São situações que acarretam em prejuízo e transtornos, como os que uma vítima de Pelotas, no Sul do RS, passou recentemente. Ele negociou um videogame pela internet, marcou e se encontrou pessoalmente com uma suposta compradora. Em alerta, ele pediu para passar em um mercado para conferir as notas. “Eu fiquei tranquilo, disse ‘não deve ser falsa, afinal de contas ela está aceitando ir ali validar as notas’”, conta o homem. Porém, logo depois, a mulher saiu correndo com o aparelho. Os R$ 1,4 mil deixados por ela eram falsos. Dias depois, o videogame estava à venda, novamente, pelo mesmo site em que havia sido negociado. “Além de perder, eu caí no golpe, ainda acabei vendo o pessoal vendendo o meu aparelho ainda”, lamenta o homem. Com notas falsas cada vez mais similares com as originais e a possibilidade de comprar e vender pela internet, as pessoas ficam suscetíveis a golpes como esse. Por isso, a Polícia Federal faz um alerta para reforçar a atenção nesses casos. “Os criminosos se utilizam das novas plataformas das redes sociais, elas são meios de disseminação para práticas ilícitas, e obviamente aí exige maior atenção das pessoas que fazem transações econômicas usando esses meios”, diz o delegado da Polícia Federal de Pelotas. Observar a textura da nota, que deve ser áspera, e identificar a marca d’água, são importantes para evitar cair no golpe, salienta o delegado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é vítima de estelionato após anúncio em site de vendas

Sem Comentários

23/09/2018

Em Americana (SP), um homem de 25 anos acabou sendo vítima de estelionato após vender um videogame. O caso ocorreu neste domingo (23), em frente a uma agência bancária, local marcado para encontrar o possível comprador do aparelho. O videogame, uma PlayStation 4, foi anunciado dias atrás em um site de compras pela vítima, no valor de R$ 1.200. Um rapaz, que se identificou como “Fernando”, entrou em contato e o encontro foi marcado para realizar a negociação. A vítima conta que estava com seu celular quando Fernando, acompanhado de um homem, chegou ao local. Ele colocou o aparelho no teto do carro e foi pegar o videogame que estava no porta-malas do mesmo. O pagamento foi feito em espécie, no valor solicitado, e a dupla foi embora. Em seguida, a vítima foi abastecer o carro em um posto e, ao pagar a conta, foi informado pelo frentista de que algumas notas eram falsas – apenas duas notas de R$ 100 era verdadeiras. Nesse momento, ele se deu conta de que estava sem o celular e que o havia deixado sobre o carro. O homem relatou o caso na Central de Polícia Judiciária e entregou 16 notas de R$ 50, supostamente falsas, dadas a ele por Fernando. As notas foram recolhidas para a perícia e o boletim de ocorrência registrado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Liberal

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Alfândega apreende 1 bilhão de dinares iraquianos falsos no Aeroporto de Brasília

Sem Comentários

02/05/2018

Nesta quarta-feira (02), no Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek, foi interceptada pela Receita Federal uma carga de 1 bilhão de dinares iraquianos, em cédulas falsas. Conforme e alfândega, o dinheiro seguiria para os Estados Unidos em um voo particular, fretado especificamente para esse transporte. Se as notas fossem verdadeiras, o valor corresponderia a pouco menos de R$ 3 milhões. Pela cotação desta quarta, R$ 1 corresponde a cerca de 334 dinares iraquianos. Até a publicação desta reportagem, a origem de “fabricação” das notas falsas ainda era desconhecida. À Receita Federal, a exportadora responsável pelo frete disse ter recebido a caixa lacrada, como pagamento por um serviço prestado em 2016. Com o dinheiro, veio uma orientação de “não abrir a caixa”, para que as cédulas não perdessem o “valor de coleção”. A exportadora também mostrou à Receita um laudo pericial atestando a legitimidade das notas. O documento – assim como as cédulas – era falso, segundo os responsáveis pela alfândega.

Valor declarado

O carregamento chamou a atenção dos fiscais aduaneiros do Aeroporto JK porque, segundo eles, o valor declarado da carga era “irrisório”. Em procedimento de análise de riscos, a fiscalização decidiu inspecionar a caixa, verificar os dados e a história contada pelo grupo. No contêiner, havia cerca de 40 mil cédulas, cada uma no valor de 25 mil dinares. A carga foi apreendida, e os responsáveis pelo frete, detidos e encaminhados à Polícia Federal.

Motociclista é preso em MT com R$ 20 mil em notas falsas

Sem Comentários

23/01/2018

Policiais militares prenderam um suspeito e apreenderam R$ 20 mil em notas falsas de R$ 100, em Rondonópolis. A ação aconteceu na BR-163, saída para Campo Grande (MS), no estacionamento de um posto de combustíveis. Uma equipe do 5º Batalhão da Polícia Militar fazia rondas em uma área onde há grande número de postos de combustíveis e movimentação de caminhões e outros veículos quando avistou um motociclista e um caminhoneiro conversando. Ao perceber a presença da viatura, o motociclista subiu na moto e tentou fugir. Interceptado após dar uma volta em torno de outra carreta, o motociclista , de 19 anos, tentou justificar a fuga dizendo que era porque não tinha habilitação (CNH) para pilotar. Todavia, os PMs já haviam flagrado o momento em que o suspeito jogou algo embaixo da carreta. Questionado sobre o objeto do qual se desfez, ele confessou ser um pacote de dinheiro. Os policiais resgataram o pacote e o próprio suspeito o abriu. A checagem visual mostrou que havia apenas três variações numéricas nas 200 notas, ou seja, os mesmos números se repetiam em dezenas delas. Já o caminhoneiro fugiu tomando a direção da cidade de Rondonópolis. No celular do motoqueiro uma série de conversas indicava a comercialização de dinheiro falso com alguém que seria motorista que fugiu. O motoqueiro e o dinheiro foram levados para a Delegacia da Polícia Federal em Rondonópolis.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: 24Horas News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PM apreende R$ 1 mil em notas falsas e prende dois suspeitos de repassar o ‘dinheiro’, no interior do Paraná

Sem Comentários

22/01/2018

Polícia apreendeu R$ 1 mil em notas falsas e prendeu dois homens suspeitos de repassar o dinheiro em comércios de Cianorte, no noroeste do Paraná. A primeira ocorrência foi registrada em uma tabacaria. O dono recebeu uma nota de R$ 100 e, desconfiado, chamou a PM, que confirmou a falsidade do dinheiro. No caixa, ainda foram encontradas outras três notas falsas, do mesmo valor, que o proprietário não soube dizer de quem recebeu. O suspeito de repassar o dinheiro falso para o dono da tabacaria acabou preso perto do local. Pouco tempo depois, o dono de uma lanchonete, que fica a dois quilômetros do local da primeira ocorrência, abordou o carro da polícia contando que tinha recebido seis notas falsas de R$ 100. A PM fez rondas na região e encontrou o homem, que foi reconhecimento pela vítima e preso. Os dois suspeitos foram encaminhados para a Polícia Federal (PF) de Maringá, no norte do estado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é detido com cerca de R$ 1 milhão em notas sem procedência em Corumbaíba

Sem Comentários

16/11/2017

Na tarde desta quarta-feira (15), um homem foi preso com aproximadamente R$ 1 milhão em notas verdadeiras, mas sem procedência, em um hotel de Corumbaíba, a cerca de 221 quilômetros de Goiânia. Conforme o delegado à frente do caso, informações levantadas pela Polícia Civil levaram aos agentes até o hotel que o suspeito estava hospedado. No local, estavam mais quatro pessoas, mas E.P.Silva, de 48 anos, confessou ser o único dono das cédulas que estavam dentro de uma mala. “Até o momento contamos cerca de R$ 800 mil, mas ainda há muitas notas para serem conferidas”, destaca o delegado. Além do dinheiro, três veículo de luxo, uma máquina de contar dinheiro e celulares também foram apreendidos. Ainda não se sabe dizer a real procedência dos valores, mas a PC investiga a suspeita de estelionato. A polícia também investiga a participação dos outros que estavam no hotel. Todo material apreendido foi encaminhado para a sede da Polícia Federal em Goiânia, juntamente com os suspeitos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Mais Goiás

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeito de estelionato é preso com carimbos, notas e cheques falsos em Ji-Paraná, RO

Sem Comentários

25/09/2017

Foi preso na manhã desta segunda-feira (25) pela Polícia Civil e Militar, um homem de 48 anos, suspeito de estelionato, em Ji-Paraná (RO). O homem já era investigado e foi preso no escritório no bairro Nova Brasília, no 2º Distrito. Com ele, foi encontrado dezenas de carimbos, notas falsas, arma e munição. Segundo a Polícia Civil, as investigações começaram depois que um homem denunciou o caso. A vítima vendeu os móveis de casa para o homem, que pagou em cheques. Quando a vítima tentou trocá-los, descobriu que eram clonados, então, procurou a polícia. De acordo com o tenente da PM, o homem foi encontrado no escritório, onde a polícia identificou como o local que ele utilizava meios fraudulentos para fazer vítimas. Com ele havia 27 carimbos diferentes que, segundo a polícia, eram utilizados nos crimes. Também foram apreendidos documentos falsos que estavam no escritório que comprovam a prática criminosa do suspeito. O homem também tinham notas de R$100, R$50, R$20 e R$10 falsificadas. De acordo com o delegado responsável, o suspeito também tem um suporte para a falsificação de documento, com programas específicos para isso no computador dele. A polícia também encontrou uma arma e munição no local. Com o suspeito também foi encontrado o documento original de outro homem, que fazia estelionatos em Vilhena (RO) e foi assassinado. “Isso nos surpreendeu e mostra a relação que ele tem com os crimes de estelionato no estado”, explica o delegado. O suspeito foi encaminhado para Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp), onde será ouvido pela Polícia Civil.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior