Criminosos clonam contas de WhatsApp para aplicar golpes; veja como se proteger

Sem Comentários

14/01/2019

O WhatsApp mais uma vez está servindo como meio para aplicar golpes. Criminosos estão clonando contas do aplicativo para se passar por parentes ou amigos das vítimas e pedir a transferência de dinheiro para conta de laranjas. Uma professora, de 51 anos, que preferiu não se identificar, levou um susto ao receber a mensagem do número de uma amiga: — Temos um grupo de amigas, de mais de duas décadas. Nos falamos muito em grupo. No começo do mês passado (06 de dezembro) uma delas que é “super certinha” me chamou no privado para pedir dinheiro emprestado. Conforme a vítima, o perfil da amiga afirmou que precisava de R$ 2.270 para pagar uma conta com urgência. — Ela me garantiu que depositaria o valor no dia seguinte. Como a conheço e sei que é uma pessoa correta, fiz a transferência — relata. A professora não desconfiou que a conta passada pela “amiga” estivesse no nome de um homem. A polícia conseguiu identificar o responsável pela conta: um adolescente de 17 anos. Quando pensava que havia ajudado a amiga, o perfil falso pediu mais R$ 2 mil. — Ai fiquei desconfiada. Entrei no Facebook da minha amiga e nele havia uma mensagem afirmando que o WhatsApp dela havia sido clonado e estavam pedindo dinheiro em nome dela — conta. A amiga que teve a conta clonada, também professora, descobriu que estava sem seu WhatsApp quando criminosos tentaram extorquir dinheiro da filha dela. — Minha filha me ligou umas 20h perguntando se eu estava bem. Aí, falou que eu havia pedido dinheiro, mas ela desconfiou e, aí, percebemos que minha linha havia sido clonada. A professora tentou cancelar sua linha de celular imediatamente. O procedimento, no entanto, só pôde ser feito no dia seguinte. Enquanto a linha da professora não era bloqueada, a quadrilha entrou em contato com mais três amigas dela, que não caíram no golpe.

Proteja-se do golpe

Como agem os criminosos?

  • Após o bandido obter dados pessoais de um usuário, ele liga na companhia telefônica se passando pelo cliente e habilita um novo chip de celular com o mesmo número, apesar de não ter roubado o aparelho.
  • O criminoso se passa por parente ou amigo da vítima, para facilitar a transferência de dinheiro para contas de laranjas.
  • Depois de ter conseguido o número da conta corrente ou do cartão de crédito, utilizando outro método fraudulento, o golpista consegue evitar que o correntista receba alertas de compras ou códigos de segurança (ex. Token SMS), enviados pelo banco.
  • Um indício deste golpe é quando o celular para de funcionar repentinamente.

Como evitar o golpe?

  • Proteja seus dados pessoais, sem revelar senhas e número de documentos para desconhecidos.
  • Quando perceber qualquer movimentação estranha em sua conta corrente, poupança, ou celular para de funcionar repentinamente, avise seu gerente ou contate a operadora do seu celular.
  • Desconfie de ligações ou mensagens inesperadas.
  • Comunique às empresas responsáveis assim que desconfiar de qualquer ação em seu nome.
  • Registre boletim de ocorrência na delegacia mais próxima.

Black Fraude nunca mais! 7 dicas de mestre para evitar golpes e economizar com segurança.

Sem Comentários

12/11/2018

Não é novidade para ninguém. A Black Friday brasileira vem sofrendo cada vez mais com fraudes, promoções mentirosas e empresas falsas. Sites-fantasmas surgem da noite para o dia, espalhando pela internet seus super descontos, fretes gratuitos e preços impossíveis de não chamar atenção. Por mais que tudo ocorra no ambiente on-line, os perigos de uma fraude eletrônica podem gerar transtornos imensos, envolvendo sequestro de dados bancários, pessoais e até processos jurídicos contra a própria vítima do golpe.

Quem também sofre com isso são os lojistas que levam a liquidação a sério e se espremem para oferecer ofertas verdadeiramente atrativas para o consumidor. Eles reduzem suas margens de lucro, apostam em um volume maior de venda, investem pesado em divulgação e ainda têm que lutar contra a cultura da fraude. Mas fique tranquilo! É possível se prevenir de todas as artimanhas da chamada “Black Fraude” com essas 7 dicas de ouro:

1 – Fuja de sites duvidosos

Eles surgem da noite para o dia, aparecem muito em anúncios de sites de pesquisa e se apresentam com layouts realmente convincentes. Para evitar tais sites, a dica é pesquisar suas reputações, seus protocolos internos de segurança e nunca digitar dados bancários até ter certeza de sua procedência.

2 – A famosa metade do dobro

Prática bem comum na época da Black Friday, muitas lojas aumentam os preços de seus produtos antes da liquidação para, na sexta-feira, abaixá-los novamente, entregando descontos falsos. Monitorar os preços do que você está procurando é primordial.

3 – Atenção às imagens meramente ilustrativas

Outro erro frequente de quem se aventura pelos e-commerces é não conferir se a descrição do produto é correspondente à foto que aparece na página de compras do site. Cores diferentes, modelos inferiores e ausência de funcionalidades podem se tornar uma dor de cabeça “daquelas”.

4 – Taxa de entrega X Valor do desconto

Outra artimanha empregada nas lojas virtuais é dar desconto em seus produtos e compensá-lo na taxa de entrega. Na empolgação do momento, o consumidor não analisa o valor do frete e acaba pedindo um produto por um valor igual ou até superior ao de meses atrás. Ponto para a compra em lojas físicas.

 5 – Política de troca e seu direito

Em muitos casos, os sites alteram sua política de troca para se eximir de eventuais pedidos de troca, agindo de má fé para empurrar lotes de produtos defeituosos. Mas aqui entra o PROCON, resguardando o consumidor com 7 dias de prazo para desistência da compra, sem apontar qualquer motivo.

6 – Guarde os comprovantes de compra

Nota fiscal, e-mail de confirmação, prints de telas de compra. Vale tudo para registrar todos os passos da sua compra, principalmente se for on-line. A legislação brasileira para internet ainda é muito falha, o que faz com que as compras nas lojas físicas sejam mais seguras também nesse ponto.

7 – Prefira lojas de rua e shopping

Diante de tantas possibilidades de ser fraudado e enganado, a escolha por lojas físicas de confiança. Você pode experimentar o produto, tirar dúvidas com o vendedor, negociar melhor o preço e o melhor de tudo: sair com a sua compra na hora.

Saiba como fugir dos golpes aplicados nos aposentados

Sem Comentários

02/07/2018

Aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) devem desconfiar de promessas sobre revisões de benefícios e permanecer atentos a descontos desconhecidos em seus salários para que não sejam vítimas dos mais diversificados tipos de golpes. As fraudes contra aposentados geralmente ocorrem de duas formas. A primeira e mais comum, é o golpe do crédito consignado. O segurado é surpreendido por um desconto que não autorizou ou mesmo, se pediu o empréstimo e quitou, com a continuidade dos descontos. O mesmo tipo de problema acontece com descontos de organizações às quais o segurado nunca se associou. O aposentado ou pensionista precisa olhar sempre o informe de pagamentos para identificar possíveis descontos não autorizados. Caso identifique algo errado, a dica é registrar um boletim de ocorrência, reclamar com o INSS e com a instituição, além de pedir o ressarcimento dos valores. Caso o dinheiro não seja devolvido, ele pode ir à Justiça.

ASSOCIAÇÕES

Outro golpe comum que vem sendo aplicado é quando associações abordam aposentados e pensionistas por telefone ou enviam cartas dizendo que eles têm direito a uma revisão no INSS que pode pagar uma bolada. Para cumprir a promessa de vitória, os golpistas pedem pagamento antecipado. O segurado que for abordado deve sempre procurar uma segunda opinião e não fornecer dados bancários.

FRAUDES CONTRA SEGURADOS

> Aposentados e pensionistas do INSS devem ficar atentos para não cair em golpes
> Há diversas modalidades aplicadas por golpistas, que podem trazer grandes prejuízos

Descontos de crédito consignado ou associações

Os descontos podem ser ilegais quando:

> O beneficiário não pediu o empréstimo, mas teve a grana depositada na conta dele
> O segurado não recebeu a grana do empréstimo, mas teve as parcelas descontadas
> Fez e quitou o consignado, mas os descontos no benefício continuam
> O aposentado paga mensalidade para uma organização à qual nunca se associou

O QUE FAZER

> Registre um boletim de ocorrência em uma delegacia
> Vá ao banco, peça extratos e faça uma reclamação formal
> Ligue na Ouvidoria do INSS, no número 135, e, se possível, leve a reclamação por escrito em uma agência
> Se o banco ou a associação não devolver a grana, o segurado pode buscar a Justiça

Dica! É possível solicitar ao INSS o bloqueio dos descontos indevidos na aposentadoria 

COMO OS GOLPISTAS AGEM

> O aposentado ou pensionista recebe um telefonema dizendo que o segurado tem direito a uma revisão no benefício
> Há golpistas que mandam cartas com número de telefone para que o segurado entre em contato
> Essas pessoas pedem o depósito de um valor para habilitar a revisão ou liberar a grana do precatório

COMO EVITAR

>  Não é comum que advogados peçam valores para entrar antecipadamente com ações, então, nunca deposite grana com a promessa de ganhar uma revisão
> O INSS não pode abordar segurados dessa maneira, por isso, desconfie do contato se alguém falar em nome do instituto
> Procure a ouvidoria do INSS e registre um boletim de ocorrência na delegacia, caso desconfie se tratar de uma fraude

TOME CUIDADO

> Nunca forneça dados bancários ou de seu benefício por telefone a desconhecidos
> Caso seja abordado, procure opiniões de outros advogados para ver se o direito realmente existe
> Desconfie de quem promete boladas de dinheiro em ações totalmente desconhecidas

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio do Estado

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil dá dicas para população não cair em golpes

Sem Comentários

23/04/2018

Há vários golpes inseridos no crime de estelionato, entre os mais comuns estão golpe do bilhete premiado, torpedo premiado, falso sequestro, carro quebrado, envelope vazio, confirmação dos dados, falsa casa na praia, entre outros. A Delegacia de Estelionato, da Polícia Civil do Paraná, preparou uma série de dicas de segurança para evitar que as pessoas caiam em algum tipo desses golpes. O crime de estelionato – onde o autor obtém vantagem ilícita em prejuízo alheio – prevê uma pena de prisão de até cinco anos e multa. Neste crime, a princípio, não há violência e nem grave ameaça. A arma do estelionatário é o poder de convencimento, a persuasão.
Para a delegada-adjunta da Delegacia de Estelionato, o poder de convencimento desse tipo de criminoso é bastante abrangente. “Em alguns golpes eles se passam por pessoas humildes para enganar suas vítimas, que acabam acreditando e caem no golpe, como é o caso do Golpe do Bilhete Premiado”, disse. “Quando a oferta é demais, desconfie. Não existe dinheiro fácil, principalmente oriundo de pessoas desconhecidas. Tudo o que parece ser muito vantajoso, deve ser avaliado com cautela, buscando sempre informações, evitando assim ser vítima de um golpe”, acrescentou a delegada. Segundo a polícia, muitos casos nem chegam ao conhecimento da autoridade policial por receio ou vergonha da vítima em ter se deixado enganar. Não deixe de procurar a polícia se você passar por alguma das situações abaixo.

GOLPES

Bilhete Premiado: caso apareça alguém com um bilhete de loteria premiado, desconfie. É um golpe. O golpista diz que precisa de ajuda para retirar o prêmio e, com a ajuda de outras pessoas (também estelionatários), enganam a vítima, que acaba dando uma quantia em dinheiro e fica com o suposto bilhete, que de premiado não tem nada.

Torpedo Premiado: a vítima recebe torpedos SMS (mensagens via celular) informando que ganhou um prêmio. Ela entra em contato com o número e acaba colocando crédito para algum número de celular ou mesmo depositando dinheiro em determinada conta. Os estelionatários também usam nomes de programas de televisão para enganar as vítimas.

Falso Sequestro: a vítima recebe uma ligação no seu celular. Do outro lado da linha alguém diz que está em poder de seu filho(a), ou um parente e exige dinheiro para libertá-lo(a). A pessoa não pode se apavorar e deve fazer contato com a suposta vítima do sequestro. Outra dica: peça para o “sequestrador” perguntar ao “sequestrado” algo que só ele saiba, como o nome do seu cachorro, o número do seu celular, time de futebol preferido.

Carro Quebrado: O estelionatário se passa por parente ou conhecido da vítima, dizendo que está com o carro quebrado e que precisa de dinheiro para o guincho ou para pagar o mecânico. Acreditando que o parente ou conhecido está com dificuldades, realiza o depósito bancário ou ainda coloca crédito de celular para supostamente realizar contato com a seguradora.

Envelope Vazio: típico golpe realizado em transações comerciais, como na compra e venda de produtos. Ex: carros, celulares. O estelionatário faz a compra de determinado produto, pagando via depósito em um envelope sem o dinheiro. Ele apresenta o comprovante de pagamento, a vítima entrega o produto, descobrindo mais tarde que sofreu um golpe, pois o envelope estava vazio. Dica para não cair neste golpe: confirme junto ao banco se o valor depositado foi devidamente descontado ou se está bloqueado. Se estiver bloqueado, trata-se de golpe.

Confirmação de Dados: o estelionatário liga para a vítima se passando por funcionário de determinada empresa, dizendo que precisa que a vítima confirme alguns dados para fins de atualização do sistema. A vítima passa os dados e o estelionatário os utiliza para transações comerciais em nome da vítima. Nunca passe seus dados por telefone.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CGN

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mais de 1,4 mil tentativas de estelionato foram registradas em Bauru desde janeiro

Sem Comentários

01/12/2017

Segundo a Polícia Civil, desde o começo deste ano, os registros de tentativa de estelionato em Bauru (SP), somam mais de 1,4 mil boletins de ocorrência registrados na cidade. Com a chegada do fim de ano, que traz expectativas em relação ao aumento de consumo no comércio, os especialistas orientam que é preciso redobrar a atenção contra possíveis golpes. De acordo com a Serasa, um golpe é aplicado a cada 16 segundos no Brasil. Só no mês de setembro, foram registradas mais de 170 mil tentativas de estelionato. No total, de janeiro a setembro, foram quase 1,5 milhão de casos no país, uma alta de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. Em Bauru, até outubro, foram 1.426 registros, o que resulta em média de quase cinco golpes aplicados por dia. Um delegado explica que o consumidor deve ficar atento especialmente às transações feitas pela internet. Segundo ele, os estelionatos representam quase 20% do volume de registros policiais. O indicador Serasa Experian também aponta aos consumidores em quais situações deve ficar mais atento. Os números mostram que os campeões no ranking das reclamações são telefonia (38%), serviços (30%), bancos e financeiras (23%) e, por último, o setor do varejo (6%). Um advogado revela outra dado importante quando o assunto é golpe. Os jovens e os aposentados são as vítimas prediletas dos estelionatários. Ele explica que em relações comerciais não existe milagre e, por isso, a principal “senha” para se identificar um golpe é alguma vantagem muito explícita ou exagerada.

Confira dicas para se prevenir da ação dos estelionatários:

  • Não perca de vista os seus documentos
  • Não digite suas senhas perto de pessoas que você não conhece
  • Não deixe os atendentes levarem os seus cartões de crédito para fazer o pagamento
  • Nas compras pela internet, veja se o site é seguro (sites protegidos começam com https)
  • Mantenha atualizado o antivírus do seu computador ou celular
  • Não abra e-mails nem ofertas das redes sociais
  • Evite redes de wi-fi abertas

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Procon alerta consumidor para não cair em golpe na Black Friday

Sem Comentários

20/11/2017

O comércio no Brasil promove, nesta sexta-feira (24), uma grande liquidação para incentivar o consumo antes do período natalino. Sempre realizado na última sexta-feira do mês de novembro, a Black Friday é mais uma data do calendário de promoções. Mas o consumidor precisa ficar atento para não cair em nenhuma armadilha. É preciso ter atenção às ofertas, às condições de pagamento e ao prazo de entrega dos produtos para não ser vítima de nenhuma fraude.

Veja as dicas que o Procon de Jaboatão (PE) elencou:

1 – Nas compras online, verifique se o site da loja é confiável, pesquisando referências e opiniões;
2 - Guarde todos os e-mails trocados com o fornecedor, pois eles são comprovantes, no caso de trocas ou de não recebimento do produto;
3 - Na compra de produtos importados adquiridos no Brasil, estes seguem as mesmas regras dos produtos nacionais, desde que sejam de estabelecimentos legais;
5 - Observe os preços apresentados antes da Black Friday, para constatar se realmente foi concedido o desconto prometido. Pesquise e compare os preços no mercado antes da campanha;
6 - Atenção ao prazo de entrega da mercadoria, que deve estar registrado na nota fiscal ou no recibo;
7 - Leia as políticas de troca do estabelecimento;
8 - O Código de Defesa do Consumidor garante o prazo de até sete dias para desistir das compras feitas fora do estabelecimento comercial;
9 - Atente para o consumo consciente. Compre somente aquilo que realmente precisa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha PE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Como evitar golpes no Facebook

Sem Comentários

17/10/2017

O Facebook é uma das redes sociais mais usadas no mundo, com um total de 2 bilhões de usuários. Por isso, não são raros os golpes que visam roubar dados dos internautas ou então espalhar links maliciosos. Entre os golpes mais comuns na rede social estão os de romance, no qual o golpista geralmente envia mensagens para pessoas que não o conhecem, fingindo ser alguém divorciado, viúvo ou em um casamento passando por dificuldades, com a esperança de se envolver em um relacionamento online;  os de loteria, que afirmam que a vítima recebeu uma quantia em dinheiro e exige informações pessoais; e os de empréstimo, no qual o golpista envia mensagens oferecendo empréstimos instantâneos a uma taxa de juros baixa, mais uma vez, por uma pequena quantia como adiantamento.

Veja o que você pode fazer para evitar cair em golpes:

  1. Links
    Tome cuidado ao receber mensagens de desconhecidos ou mensagens estranhas de desconhecidos e nunca clique em links suspeitos.
  2. Páginas falsas
    Antes de clicar e compartilhar links de alguma página, verifique se não é uma notícia falsa. Muitos links maliciosos usam endereços de Internet similares a sites de notícias grandes e até possuem páginas que copiam o layout oficial.
    Evite também aceitar convites de contas falsas, pois eles costumam ser feitos para aplicar golpes e tentar roubar acesso de usuários na rede.
  3. Aplicativos
    O Facebook permite utilizar aplicativos em conjunto com a rede social. No entanto, alguns desses aplicativos, como de jogos, quizz e testes de personalidade podem ser usados para roubar informações. Para evitar isso, entre nas “Configurações”, procure por “Aplicativo” e remova o acesso de apps suspeitos.
    O mesmo vale para extensões de navegadores. Antes de acessar sua conta na rede social, veja se existe alguma extensão suspeita instalada. Caso tenha, desinstale e só depois faça login no Facebook.
  4. Sessões ativas
    Nas configurações você pode verificar as sessões ativas da sua conta e checar se o seu Facebook foi acessado em algum computador ou região estranha. Para fazer isso, vá em “Configurações”, depois em “Segurança” e procure por “Onde você se conectou”. Caso identifique uma conexão suspeita, toque nos três pontinhos que aparecem ao lado do dispositivo e clique em “Não é você?”. Agora, se você se conectou, mas esqueceu de deslogar, selecione a opção “Sair”.
  5. Autenticação de dois fatores
    Ative a função de autenticação de dois fatores do Facebook. Dessa forma, você saberá sempre que alguém tentar acessar sua conta, pois receberá uma notificação para confirmar que é você que está tentando acessar a rede social.
    A função pode ser ativada na área de “Segurança”. Aproveite para ativar as notificações sobre logins feitos em dispositivos desconhecidos e você ainda pode escolher de três a cinco amigos para caso você perca o acesso a sua conta.
  6. Mude sua senha
    Caso você perceba que caiu em algum golpe, mude sua senha imediatamente – não só do Facebook, mas também de outras redes sociais e e-mails, e avise o Facebook por meio do link www.facebook.com/hacked e seus amigos, pois os hackers podem usar sua conta para tentar espalhar malware para os seus contatos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Olhar Digital

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior