Polícia Civil dá dicas para população não cair em golpes

Sem Comentários

23/04/2018

Há vários golpes inseridos no crime de estelionato, entre os mais comuns estão golpe do bilhete premiado, torpedo premiado, falso sequestro, carro quebrado, envelope vazio, confirmação dos dados, falsa casa na praia, entre outros. A Delegacia de Estelionato, da Polícia Civil do Paraná, preparou uma série de dicas de segurança para evitar que as pessoas caiam em algum tipo desses golpes. O crime de estelionato – onde o autor obtém vantagem ilícita em prejuízo alheio – prevê uma pena de prisão de até cinco anos e multa. Neste crime, a princípio, não há violência e nem grave ameaça. A arma do estelionatário é o poder de convencimento, a persuasão.
Para a delegada-adjunta da Delegacia de Estelionato, o poder de convencimento desse tipo de criminoso é bastante abrangente. “Em alguns golpes eles se passam por pessoas humildes para enganar suas vítimas, que acabam acreditando e caem no golpe, como é o caso do Golpe do Bilhete Premiado”, disse. “Quando a oferta é demais, desconfie. Não existe dinheiro fácil, principalmente oriundo de pessoas desconhecidas. Tudo o que parece ser muito vantajoso, deve ser avaliado com cautela, buscando sempre informações, evitando assim ser vítima de um golpe”, acrescentou a delegada. Segundo a polícia, muitos casos nem chegam ao conhecimento da autoridade policial por receio ou vergonha da vítima em ter se deixado enganar. Não deixe de procurar a polícia se você passar por alguma das situações abaixo.

GOLPES

Bilhete Premiado: caso apareça alguém com um bilhete de loteria premiado, desconfie. É um golpe. O golpista diz que precisa de ajuda para retirar o prêmio e, com a ajuda de outras pessoas (também estelionatários), enganam a vítima, que acaba dando uma quantia em dinheiro e fica com o suposto bilhete, que de premiado não tem nada.

Torpedo Premiado: a vítima recebe torpedos SMS (mensagens via celular) informando que ganhou um prêmio. Ela entra em contato com o número e acaba colocando crédito para algum número de celular ou mesmo depositando dinheiro em determinada conta. Os estelionatários também usam nomes de programas de televisão para enganar as vítimas.

Falso Sequestro: a vítima recebe uma ligação no seu celular. Do outro lado da linha alguém diz que está em poder de seu filho(a), ou um parente e exige dinheiro para libertá-lo(a). A pessoa não pode se apavorar e deve fazer contato com a suposta vítima do sequestro. Outra dica: peça para o “sequestrador” perguntar ao “sequestrado” algo que só ele saiba, como o nome do seu cachorro, o número do seu celular, time de futebol preferido.

Carro Quebrado: O estelionatário se passa por parente ou conhecido da vítima, dizendo que está com o carro quebrado e que precisa de dinheiro para o guincho ou para pagar o mecânico. Acreditando que o parente ou conhecido está com dificuldades, realiza o depósito bancário ou ainda coloca crédito de celular para supostamente realizar contato com a seguradora.

Envelope Vazio: típico golpe realizado em transações comerciais, como na compra e venda de produtos. Ex: carros, celulares. O estelionatário faz a compra de determinado produto, pagando via depósito em um envelope sem o dinheiro. Ele apresenta o comprovante de pagamento, a vítima entrega o produto, descobrindo mais tarde que sofreu um golpe, pois o envelope estava vazio. Dica para não cair neste golpe: confirme junto ao banco se o valor depositado foi devidamente descontado ou se está bloqueado. Se estiver bloqueado, trata-se de golpe.

Confirmação de Dados: o estelionatário liga para a vítima se passando por funcionário de determinada empresa, dizendo que precisa que a vítima confirme alguns dados para fins de atualização do sistema. A vítima passa os dados e o estelionatário os utiliza para transações comerciais em nome da vítima. Nunca passe seus dados por telefone.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CGN

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mais de 1,4 mil tentativas de estelionato foram registradas em Bauru desde janeiro

Sem Comentários

01/12/2017

Segundo a Polícia Civil, desde o começo deste ano, os registros de tentativa de estelionato em Bauru (SP), somam mais de 1,4 mil boletins de ocorrência registrados na cidade. Com a chegada do fim de ano, que traz expectativas em relação ao aumento de consumo no comércio, os especialistas orientam que é preciso redobrar a atenção contra possíveis golpes. De acordo com a Serasa, um golpe é aplicado a cada 16 segundos no Brasil. Só no mês de setembro, foram registradas mais de 170 mil tentativas de estelionato. No total, de janeiro a setembro, foram quase 1,5 milhão de casos no país, uma alta de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. Em Bauru, até outubro, foram 1.426 registros, o que resulta em média de quase cinco golpes aplicados por dia. Um delegado explica que o consumidor deve ficar atento especialmente às transações feitas pela internet. Segundo ele, os estelionatos representam quase 20% do volume de registros policiais. O indicador Serasa Experian também aponta aos consumidores em quais situações deve ficar mais atento. Os números mostram que os campeões no ranking das reclamações são telefonia (38%), serviços (30%), bancos e financeiras (23%) e, por último, o setor do varejo (6%). Um advogado revela outra dado importante quando o assunto é golpe. Os jovens e os aposentados são as vítimas prediletas dos estelionatários. Ele explica que em relações comerciais não existe milagre e, por isso, a principal “senha” para se identificar um golpe é alguma vantagem muito explícita ou exagerada.

Confira dicas para se prevenir da ação dos estelionatários:

  • Não perca de vista os seus documentos
  • Não digite suas senhas perto de pessoas que você não conhece
  • Não deixe os atendentes levarem os seus cartões de crédito para fazer o pagamento
  • Nas compras pela internet, veja se o site é seguro (sites protegidos começam com https)
  • Mantenha atualizado o antivírus do seu computador ou celular
  • Não abra e-mails nem ofertas das redes sociais
  • Evite redes de wi-fi abertas

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Procon alerta consumidor para não cair em golpe na Black Friday

Sem Comentários

20/11/2017

O comércio no Brasil promove, nesta sexta-feira (24), uma grande liquidação para incentivar o consumo antes do período natalino. Sempre realizado na última sexta-feira do mês de novembro, a Black Friday é mais uma data do calendário de promoções. Mas o consumidor precisa ficar atento para não cair em nenhuma armadilha. É preciso ter atenção às ofertas, às condições de pagamento e ao prazo de entrega dos produtos para não ser vítima de nenhuma fraude.

Veja as dicas que o Procon de Jaboatão (PE) elencou:

1 – Nas compras online, verifique se o site da loja é confiável, pesquisando referências e opiniões;
2 - Guarde todos os e-mails trocados com o fornecedor, pois eles são comprovantes, no caso de trocas ou de não recebimento do produto;
3 - Na compra de produtos importados adquiridos no Brasil, estes seguem as mesmas regras dos produtos nacionais, desde que sejam de estabelecimentos legais;
5 - Observe os preços apresentados antes da Black Friday, para constatar se realmente foi concedido o desconto prometido. Pesquise e compare os preços no mercado antes da campanha;
6 - Atenção ao prazo de entrega da mercadoria, que deve estar registrado na nota fiscal ou no recibo;
7 - Leia as políticas de troca do estabelecimento;
8 - O Código de Defesa do Consumidor garante o prazo de até sete dias para desistir das compras feitas fora do estabelecimento comercial;
9 - Atente para o consumo consciente. Compre somente aquilo que realmente precisa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha PE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Como evitar golpes no Facebook

Sem Comentários

17/10/2017

O Facebook é uma das redes sociais mais usadas no mundo, com um total de 2 bilhões de usuários. Por isso, não são raros os golpes que visam roubar dados dos internautas ou então espalhar links maliciosos. Entre os golpes mais comuns na rede social estão os de romance, no qual o golpista geralmente envia mensagens para pessoas que não o conhecem, fingindo ser alguém divorciado, viúvo ou em um casamento passando por dificuldades, com a esperança de se envolver em um relacionamento online;  os de loteria, que afirmam que a vítima recebeu uma quantia em dinheiro e exige informações pessoais; e os de empréstimo, no qual o golpista envia mensagens oferecendo empréstimos instantâneos a uma taxa de juros baixa, mais uma vez, por uma pequena quantia como adiantamento.

Veja o que você pode fazer para evitar cair em golpes:

  1. Links
    Tome cuidado ao receber mensagens de desconhecidos ou mensagens estranhas de desconhecidos e nunca clique em links suspeitos.
  2. Páginas falsas
    Antes de clicar e compartilhar links de alguma página, verifique se não é uma notícia falsa. Muitos links maliciosos usam endereços de Internet similares a sites de notícias grandes e até possuem páginas que copiam o layout oficial.
    Evite também aceitar convites de contas falsas, pois eles costumam ser feitos para aplicar golpes e tentar roubar acesso de usuários na rede.
  3. Aplicativos
    O Facebook permite utilizar aplicativos em conjunto com a rede social. No entanto, alguns desses aplicativos, como de jogos, quizz e testes de personalidade podem ser usados para roubar informações. Para evitar isso, entre nas “Configurações”, procure por “Aplicativo” e remova o acesso de apps suspeitos.
    O mesmo vale para extensões de navegadores. Antes de acessar sua conta na rede social, veja se existe alguma extensão suspeita instalada. Caso tenha, desinstale e só depois faça login no Facebook.
  4. Sessões ativas
    Nas configurações você pode verificar as sessões ativas da sua conta e checar se o seu Facebook foi acessado em algum computador ou região estranha. Para fazer isso, vá em “Configurações”, depois em “Segurança” e procure por “Onde você se conectou”. Caso identifique uma conexão suspeita, toque nos três pontinhos que aparecem ao lado do dispositivo e clique em “Não é você?”. Agora, se você se conectou, mas esqueceu de deslogar, selecione a opção “Sair”.
  5. Autenticação de dois fatores
    Ative a função de autenticação de dois fatores do Facebook. Dessa forma, você saberá sempre que alguém tentar acessar sua conta, pois receberá uma notificação para confirmar que é você que está tentando acessar a rede social.
    A função pode ser ativada na área de “Segurança”. Aproveite para ativar as notificações sobre logins feitos em dispositivos desconhecidos e você ainda pode escolher de três a cinco amigos para caso você perca o acesso a sua conta.
  6. Mude sua senha
    Caso você perceba que caiu em algum golpe, mude sua senha imediatamente – não só do Facebook, mas também de outras redes sociais e e-mails, e avise o Facebook por meio do link www.facebook.com/hacked e seus amigos, pois os hackers podem usar sua conta para tentar espalhar malware para os seus contatos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Olhar Digital

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Em quatro meses, ao menos 240 pessoas caíram em golpes em Bauru

Sem Comentários

28/09/2017

Segundo levantamento da Polícia Civil, nos quatro últimos meses, pelo menos 240 pessoas foram alvos de estelionatários em Bauru. Os casos englobam sete modalidades diferentes para enganar a vítima. Contudo, os mais comuns continuam sendo os velhos “contos do vigário”. Venda de produtos em sites falsos e golpes como o do “falso funcionário do banco” e do “bilhete premiado” estão entre alguns exemplos de ações fraudulentas (veja, no quadro no final, como os golpistas agem para se prevenir). Do total de golpes, 200 foram esclarecidos ou estão bem próximos da identificação dos autores, detalha um delegado, coordenador do Setor de Investigações Gerais (SIG). Ele destaca que, na maioria das ocorrências, as vítimas são idosos. “Por isso, a população deve estar sempre atenta. Os cuidados básicos devem ser redobrados”, alerta, ressaltando que mais um acusado de estelionato foi identificado na última semana.

T.R.S., 30 anos, é apontado como autor do “golpe do banco”, que, somente em Bauru, fez 40 vítimas. “Destes, 26 foram esclarecidos. Ele está envolvido na maioria dos crimes, conforme reconhecimento de algumas vítimas”, frisa, detalhando que o suspeito é da cidade de Ferraz de Vasconcelos (SP) e segue foragido. As investigações dão conta de que o golpista se apresentava como funcionário da agência bancária cujos alvos eram clientes. Segundo o delegado, o homem dizia que havia identificado alguma movimentação suspeita na conta e ele próprio fazia uma visita na casa das vítimas para resgatar o cartão bancário, bem como os dados pessoais e senhas. “O criminoso fazia saques e realizava compras e empréstimos consignados”.

Notebook Furtado

O crime de estelionato mais recente em Bauru já fez ao menos duas vítimas. Trata-se do “golpe do notebook furtado”: o golpista oferece serviços de conserto e depois diz que o equipamento foi furtado. “Depois de muito insistir, ele me deu um novo. Porém, foram aparecendo outras vítimas. Em um grupo de WhatsApp, mandei a foto do notebook [que o criminoso deu como compensação], que, na verdade, era de outra pessoa que também caiu no golpe”, relatou uma das vítimas, que não quis se identificar. O “golpe do precatório” também foi outro que quase fez vítimas no município. Nesta ação, criminosos mandam uma carta de um suposto cartório avisando que a pessoa tem dinheiro para receber do governo. Mas, para receber o valor, é necessário pagar um advogado. “Minha filha recebeu o documento. Percebi que se tratava de um golpe, pois o benefício era sobre uma ação que eu teria movido em 2004, mas nunca requeri nada do que dizia na carta”, detalha a aposentada, que também preferiu não se identificar. Ela diz que iria registrar o caso na Polícia Civil.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: JCNET

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Conheça quatro dicas de como fugir de fraudes em empréstimos

Sem Comentários

27/09/2017

No último trimestre do ano é muito comum recorrer a um empréstimo pessoal, mas será que a população está preparada para identificar uma possível fraude nessa transação? Nesse contexto, a Lendico, uma das maiores plataformas de crédito online do Brasil, selecionou algumas dicas para que os consumidores não caiam em golpes pela internet.

1 – Pesquisar, simular e contratar

Para achar a melhor taxa e as melhores condições de contratação, pesquise e simule quantas vezes for necessário. Somente assim você terá certeza de que encontrou o empréstimo ideal.

2 – Conhecer a empresa que está oferecendo o empréstimo pessoal

Pesquisar mais sobre a empresa online, saber qual o tempo de operação, se ela já teve alguma matéria veiculada na imprensa nos últimos três meses. Por que fazer tudo isso? Para se certificar de que a empresa é idônea. O contato com o Banco Central para consultar o CNPJ da instituição, a fim de checar se ela está autorizada a operar no mercado brasileiro, é sempre uma boa opção.

3 – Depósito antecipado é proibido por lei

Qualquer tipo de quantia antecipada que seja solicitada por uma empresa para a liberação do empréstimo é terminantemente proibida pelo Banco Central. Essa prática é contra a lei e configura uma tentativa de fraude ou golpe.

4 – Mídias sociais se tornaram aliadas do consumidor

Redes sociais como Twitter, Facebook e até mesmo sites especializados como o Reclame Aqui, servem de referência na hora de escolher o melhor lugar para conseguir o crédito pessoal online. Essas plataformas são aliadas na hora de avaliar a credibilidade e reputação da companhia no mercado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Paraíba Total

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Saiba como não cair em esquemas de pirâmides financeiras

Sem Comentários

24/08/2017

Em época de crise, muitas pessoas buscam alternativas para garantir uma renda extra e, nesses momentos, propostas “tentadoras” prometendo dinheiro fácil, rápido e “sem sair de casa” podem surgir, como as famosas pirâmides financeiras. A Proteste, Associação de Consumidores, é contra essa prática e alerta que as pirâmides financeiras podem configurar estelionato, crime contra a Economia Popular, contra o Sistema Financeiro Nacional, Mercado de Capitais e a Ordem Econômica. Tudo começa com um convite para fazer parte de uma rede que promete remuneração acima da média de mercado em relação às muitas opções de trabalho. Em muitos casos, a apresentação desse grupo acontece em evento fechado onde são feitas propagandas pelo método de convencimento para captação de novos integrantes. Como o que movimenta a pirâmide é a adesão de participantes, para que o líder possa arrecadar dinheiro, na medida em que você leva outras pessoas ao grupo os rendimentos desses líderes aumentam, sendo que dificilmente os seus rendimentos acompanham essa proporção. Além da comissão pelo valor de suas vendas, essas pirâmides costumam cobrar uma taxa de adesão e mensalidades, razão pela qual a pessoa que convida normalmente é bastante insistente para que você entre e permaneça. Na web, é possível encontrar empresas que se apresentam como de “marketing multinível” e, garantem rendimentos rápidos, acima da média, para vendedores de produtos baratos ou serviços de pouca utilidade. Entretanto, o normal é que essas pirâmides desmoronem com o tempo, já que para isto basta que alguns integrantes abandonem a rede, deixem de pagar as mensalidades ou não consigam captar novos membros. Quando a fraude é denunciada, os líderes tendem a desaparecer ficando quase que impossível recuperar o dinheiro que você pagou para o grupo e receber suas comissões de volta. Além desse risco, a pessoa que se envolve com essas pirâmides poderá ser considerada cúmplice no negócio pela Justiça. Por isso, a fim de evitar essa armadilha, a Proteste separou dicas preciosas para que o consumidor não caia no golpe da pirâmide:

1. Desconfie de convites para encontros de empresas que não têm uma atividade muito clara. Algumas vendem um produto ou serviço barato ou de pouca utilidade. Outras nem isso fazem. Portanto, fique bem atento.

2. Aumente a cautela caso peçam uma contribuição imediata para entrar nesse grupo, duvide da insistência de pessoa que te convida. A situação fica ainda mais suspeita se prometerem remuneração alta e rápida.

3. Verifique se o grupo ou empresa que lhe fez uma proposta para vender um produto ou serviço financeiro tem registro nos órgãos competentes do seu Município e Estado. Consulte ainda se consta do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e se apresenta inscrição na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou no Banco Central. Se não tiver, mais um sinal de risco.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Notícias ao Minuto

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior