Fraude no Detran alterou dados de mais de 300 carros no RS

Sem Comentários

15/01/2019

Uma série de operações no sistema informatizado envolvendo alterações em cadastros de veículos e feitas em horário fora de expediente fez soar um alerta no Departamento Estadual de Trânsito (Detran), levando Polícia Civil a descobrir uma fraude. Usando a senha de um servidor público, dois investigados alteraram informações relativas a pelo menos 322 carros no Estado, causando prejuízo ao Detran, até o momento, de R$ 450 mil. Foram identificadas 955 operações no sistema Gerenciamento de Informações do Detran-RS (GID), que reúne dados cadastrais de veículos. Ao fraudar informações – como o nome do proprietário, a existência de multas ou numeração do chassi e do Renavam –, os fraudadores conseguiam evitar determinados pagamentos ao órgão público. Até mesmo carros em nome de pessoas mortas foram transferidos de forma fraudulenta. Nesta terça-feira (15), ao deflagrar a Operação Transitório, a polícia cumpriu quatro mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão em oito cidades. Três suspeitos foram presos e um é considerado foragido. Uma auditoria interna do Detran identificou, por meio dos endereços dos computadores em que a senha do servidor foi usada, dois suspeitos. Um deles já foi credenciado do Detran, atuava em um Centro de Registro de Veículos Automotores (CRVA), e acabou desligado justamente por fazer inserção de dados falsos no sistema. Outro fez a transferência da propriedade de dezenas de carros para seu nome, além de modificar o endereço de entrega de documentos veiculares. Os outros dois investigados se beneficiaram do esquema – um deles tem loja de compra e venda de veículos. Os nomes dos suspeitos não estão sendo divulgados.

A investigação começou quando o Detran levou as suspeitas apuradas em auditoria para a Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária (Deat). A estratégia usada pelos fraudadores para não serem descobertos acabou ajudando a detectar o esquema. Como faziam uso de uma senha ativa, se eles mexessem no sistema em horário de expediente, derrubariam o acesso do funcionário do Detran e isso chamaria a atenção. Então, eles só realizavam operações à noite e em finais de semana e feriados. Conforme apuração, o servidor, cuja senha foi usada, não teria participação no esquema. A polícia ainda apura como os fraudadores obtiveram o código de acesso ao GID. Até o momento foi apurado que o Detran deixou de receber R$ 450 mil em multas por infrações, em Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), em  Licenciamentos e em IPVA. A polícia ainda apura se há mais operações realizadas pelo grupo, mais beneficiários e se outras senhas podem ter sido usadas.

Como funcionava o esquema criminoso

  • Pelo menos dois suspeitos alteraram informações de 322 carros (apurado até o momento), causando prejuízo de cerca de R$ 450 mil ao Detran;
  • As alterações em dados cadastrais dos veículos eram efetivadas no sistema fora do horário de expediente, com a senha de um servidor público, funcionário do Detran, que não teria relação com o esquema criminoso;
  • Foram identificadas 955 operações no sistema de Gerenciamento de Informações do Detran-RS;
  • Eram alteradas informações como nome do proprietário, a existência de multas ou numeração do chassi e do Renavam;
  • Objetivo da fraude seria burlar pagamentos de multas e taxas ao órgão público, além de facilitar negócios dos envolvidos.

Três pessoas são presas no Araguaia por envolvimento no esquema de compra e venda de CNHs em MT

Sem Comentários

18/12/2018

Três pessoas foram presas na cidade de São Félix do Araguaia, na região do Vale do Araguaia, acusadas de estarem envolvidas num esquema de fraudes junto ao Detran de Mato Grosso. Ao todo foram detidos 51 suspeitos após conclusão de inquérito policial da operação “Mão Dupla”, da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz). Os suspeitos estariam participando de um esquema de compra e venda de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dentro do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) e vão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, inserção de dados falsos no sistema e organização criminosa. O delegado responsável explica que, além dos indiciamentos dos suspeitos, também foram instaurados autos complementares para dar continuidade à investigação de fraudes na obtenção de CNHs. A Defaz também recebeu, de outras unidades policiais do Estado, informações referentes a pessoas que procuraram espontaneamente a Polícia Civil para registrar boletim de ocorrência e entregar Carteira Nacional de Habilitação (CNH), confessando que adquiriram de maneira indevida o documento, nos mesmos moldes da investigação em andamento. Os valores, que podiam variar de acordo com a condição financeira do candidato, eram pagos aos representantes das autoescolas, que por sua vez repassavam aos servidores da banca examinadora do Detran.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha MT

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Documento digital de veículos é lançado e começa a valer primeiro no DF

Sem Comentários

27/08/2018

Documento digital de veículos começa a valer em Brasília

Nesta segunda-feira (27), em Brasília, o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) na versão digital, que é o documento dos veículos, começou a ser disponibilizado para os motoristas. A tecnologia será adotada pelo Departamento de Trânsito (Detran) de cada estado gradualmente, começando pelo Distrito Federal. A determinação é de que todo o país ofereça o recurso até o fim de 2018. O site do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) manterá uma lista com os estados que já aderiram. Cada Detran é encarregado de determinar a cobrança ou não de taxa adicional pelo CRLV digital. De acordo com Ministério das Cidades, o documento não terá custos no Distrito Federal. Mas só poderá obtê-lo quem já tiver pago o licenciamento de 2018. O documento eletrônico de veículos tem o mesmo valor legal do CRLV impresso, que continua sendo de emissão obrigatória.

Aplicativo

“Fazemos um apelos aos Detrans de todas as outras 26 unidades da federação, para que tenham esse meio eletrônico nos seus sistemas informatizados de trânsito”, disse o ministro das Cidades, no evento de lançamento do projeto. O documento ficará disponível no aplicativo “Carteira Digital de Trânsito”, que não tem custo para download. Por enquanto, o app só pode ser baixado em aparelhos Android. A expectativa é de que seja disponibilizada no sistema iOS até o fim desta segunda. Quem já tem o aplicativo da CNH Digital não precisa baixar o novo. Basta atualizá-lo, e a migração será feita automaticamente.

Integração com a CNH digital

Na plataforma, também será possível acessar a carteira de habilitação digital (CNH-e) e o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestres (DPVAT). “Com isso, diminuímos o tempo nas filas e ganhamos tempo com coisas que são efetivamente importantes”, disse a diretora-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Quem pode ter

Conforme o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o CRLVe só será expedido após a quitação dos débitos relativos a tributos, encargos e multas de trânsito e ambientais vinculados ao veículo, bem como o pagamento do DPVAT. Assim como a CNH digital, o CRLVe contém todas as informações do documento impresso e um “QR code” para leitura rápida e informatizada. A nova versão também permite exportação em arquivo PDF, com assinatura digital — que tem validade de documento autenticado. De acordo com o Código de Trânsito, o motorista que for parado sem o documento – impresso ou digital- comete infração gravíssima e pode receber multa de R$ 293,47, 7 pontos na carteira, além de ter o veículo removido.

CNH digital

A CNH-e está disponível para os motoristas do Brasil desde abril último. Quem ainda não tem o documento com o código pode solicitar a emissão da segunda via pelo site do Detran ou presencialmente. Ao receber o documento, basta acessar o aplicativo de celular e escanear o QR code. Depois disso, não é mais necessário apresentar a versão impressa. Antes de usar o app, é preciso atualizar os dados na página do órgão ou pelo telefone 154. A decisão de cobrança pela CNH digital cabe a cada estado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado.

Motociclista é preso por conduzir moto com CNH falsa

Sem Comentários

04/06/2018

Em Paulicéia (SP), a Polícia Militar Rodoviária flagrou um homem conduzindo uma moto com a CNH falsa. O caso ocorreu no domingo (03), às 15h, em fiscalização de trânsito e combate a demais ilícitos penais. O homem conduzia uma motocicleta Suzuki Yes, ano 2007, cor prata, com placa de Brasilândia/MS, e transitava no sentido Panorama/SP a Paulicéia/SP. Na abordagem o condutor J.H.S, de 40 anos, tratorista, morador no município de Paulicéia, apresentou os documentos de praxe, sendo realizado pesquisas via terminal PRODESP ficou constatado que a CNH apresentada não tinha cadastro junto ao DETRAN. Após o resultado da pesquisa, o autor confessou que comprou a CNH falsa de um homem na cidade de Paulicéia, pagando a quantia de R$ 2 mil. O condutor foi autuado pelas infrações cometidas na condução do veículo, por falta de habilitação. Ele se recusou a realizar o teste do bafômetro, e o veículo foi recolhido. Ele foi apresentado na delegacia de polícia de Paulicéia, onde permaneceu preso à disposição da Justiça sem direito ao pagamento de fiança, pelo crime de uso de documento falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Siga Mais

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso ao apresentar documento falso para renovação de habilitação

Sem Comentários

05/02/2018

Ao tentar renovar a carteira de habilitação com documento falso, um homem, de 43 anos, foi preso em flagrante. O suspeito E.A.J., de 43 anos, foi levado à Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva) e autuado por uso de documento falso e falsificação de documento particular. O delegado titular da Derrfva, disse que a parceira Detran e Polícia Civil, por meio da Especializada, continuará na nova gestão do Departamento Estadual de Trânsito, para inibir fraudes cometidas contra o órgão. A suspeita de fraude foi identificada, na sexta-feira (02), por servidores da Diretoria de Habilitação, que comunicou a equipe da Coordenadoria de Fiscalização de Credenciais do Detran, composta por policiais civis cedidos ao Detran, que após constatar o fato acionou a Derrfva. O suspeito apresentou,  junto com os documentos pessoais, um certificado falso de curso especializado para condutores de veículos de transporte coletivo de passageiros, de 50 horas/aulas, para renovação da CNH. Os servidores do setor de auditoria do processo checaram a documentação e constataram não haver registros em nome dessa pessoa, nos arquivos do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat). Questionado, o suspeito acabou revelando ter comprado o certificado por R$ 300 de uma pessoa e afirmou não ter realizado as aulas necessárias para habitação na categoria de veículos pretendida. Diante da constatação da fraude, o suspeito foi levado à Delegacia, autuado por uso de documento falso e falsificação de documento particular. Ele será apresentado em audiência de custódia neste sábado (03).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: MT Notícias

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpe: bandidos criam perfil falso de diretor do Detran para “quitar multas”

Sem Comentários

23/11/2017

Estelionatários estão aplicando um novo golpe relacionado ao pagamento de débitos junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PI). Os suspeitos oferecem a quitação de dívidas como IPVA, multa e licenciamento até pela metade do valor. Para dar credibilidade ao golpe, os criminosos criaram um perfil falso do diretor geral do órgão no Piauí e forneciam informações sobre o veículo da vítima. Uma das pessoas que caiu no golpe tinha uma dívida de R$ 1 mil em multas e taxas atrasadas. Pelo débito, ele pagaria R$ 650. A vítima transferiu o valor de R$ 400 para a conta do suposto funcionário e acabou caindo no golpe. “Eu vendi meu carro e o comprador foi pagar os débitos do Detran. Lá dentro, um funcionário deu o número de telefone de um rapaz, um suposto funcionário, que tiraria os  débitos com valor inferior ao que estava sendo cobrado”, disse a vítima, que preferiu não ser identificada. O contato entre vítima e os estelionatários era por meio de conversas telefônicas e via WhatsApp. Em nenhum momento, as partes tiveram contato pessoalmente. Assim que acontecia a transferência bancária, o estelionatário bloqueava a vítima e sumia. O caso será investigado pela Delegacia de Crimes Virtuais. O diretor do Detran-PI conta que todas as medidas foram tomadas junto a Secretaria de Segurança Pública para a instauração do inquérito. “Todos os pagamentos do Detran são feitos juntos a rede bancária credenciada através de emissão de boletos no site do Detran. Quem tiver dúvidas, basta ir a sede do órgão e postos do Ciretran para evitar golpes. Os pagamentos são dados baixa via sistema. Esse tipo de procedimento não existe no Detran-PI”, alerta o diretor geral do Detran do Piauí, que disse ainda que será investigada a participação de funcionários do órgão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cidade Verde

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

CNH digital: Mais de 200 mil motoristas do DF já podem acessar versão eletrônica

Sem Comentários

16/11/2017

Na quinta-feira (16), foi liberado pelo Detran o uso da CNH digital. Mais de 200 mil motoristas do Distrito Federal já podem acessar a versão. O número corresponde à quantidade de condutores que têm o documento impresso com o código de leitura, o QR Code. A expectativa é de que até 2022 os 1,5 milhão de habilitados da capital do país esteja com a versão eletrônica. Quem não tem o documento com o código pode solicitar a emissão da segunda via pelo site do Detran ou então presencialmente. O custo é de R$ 95. Ao receber o documento, basta acessar o aplicativo de celular. Depois disso, não é mais necessário apresentar a versão impressa. Antes de usar o aplicativo, é preciso atualizar os dados na página do órgão ou pelo telefone 154. O app da CNH digital já está disponível desde quinta, gratuitamente para download em Android (Google Play) e iOS (App Store). O DF é a segunda unidade da federação a adotar a versão online do documento. Em outubro deste ano, a CNH digital foi implantada em Goiás.

Veja o passo a passo para obter a CNH digital e entenda como funciona:

Como obter a CNH?

  • quando ela estiver valendo no seu estado, o primeiro passo é cadastrar-se no Portal de Serviços do Denatran;
  • ir ao Detran onde foi emitida a CNH impressa para confirmar seus dados (quem optar por usar um certificado digital, que é pago, pode fazer todo o processo online);
  • caberá a cada Detran cobrar ou não pela via digital, e determinar um valor;
  • baixar o aplicativo gratuito da CNH digital, que estará nas lojas oficiais da Apple e do Google (para aparelhos Android);
  • acessar o aplicativo por meio de um código de ativação que o Denatran enviará por e-mail aos usuários inscritos, quando o estado disponibilizar a CNH digital;
  • criar uma senha de 4 dígitos para acessar o documento no celular.

Ela vale tanto quanto a CNH física?

Sim. Segundo o Ministério das Cidades, a CNH digital será uma versão do documento com o mesmo valor jurídico da CNH impressa.

Qualquer motorista poderá tirar?

A CNH digital só poderá ser emitida para quem tem a nova CNH, com QR Code, um código específico para ser lido por aparelhos eletrônicos. Ele existe na parte interna das carteiras de habilitação emitidas desde maio de 2017. Quem tem a versão antiga, precisará renovar a impressa para, então, solicitar a digital.

É preciso ter certificado digital?

Não é obrigatório, diz o Denatran. O certificado digital, que é uma assinatura eletrônica com a mesma validade da assinatura física, e possibilita realizar operações pela internet, vai permitir que todo o processo de obtenção da CNH digital seja feito onde o motorista estiver. Caso contrário, ele terá de ir até o Detran para confirmar seus dados.

Qual é o aplicativo da CNH digital?

Ele pode ser encontrado pela busca por CNH digital nas lojas da Apple e do Google (para aparelhos Android). Cuidado com falsos aplicativos: este é gratuito para baixar e nele está escrito o nome do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), que desenvolveu o sistema.

Além de abrigar a CNH, o aplicativo terá outras funções?

Sim. A previsão é que, pelo aplicativo da CNH Digital, seja possível também consultar a pontuação e ser avisado da proximidade do vencimento da carteira. Ele também permitirá exportar e compartilhar o arquivo da CNH (por e-mail e até WhatsApp) para usar em situações que exigem um documento autenticado.

A CNH digital é segura? E se roubarem meu celular?

O Ministério das Cidades afirma que há um conjunto de padrões técnicos para suportar um sistema criptográfico que assegura a validade do documento. A autenticidade da CNH digital poderá ser comprovada pela assinatura com certificado digital do emissor (Detrans) ou com a leitura de um QR Code, mas isso não quer dizer que será preciso ter sinal de internet para acessar o documento. Para visualizar o documento, sempre será necessária uma senha de 4 dígitos para abrir a CNH digital, diz o Serpro. Caso o smartphone com a CNH digital seja roubado, o usuário deverá bloquear o documento. Se tiver o certificado digital, ele poderá entrar no Portal de Serviços do Denatran e solicitar o bloqueio remoto. Caso contrário, terá que ir até algum posto do Detran.

E se não tiver sinal de internet ou wi-fi onde o guarda pedir minha CNH?

Não há problema. De acordo com o Denatran, será necessária conexão com a internet somente no primeiro acesso, depois, a CNH estará disponível offline. O acesso é feito com uma senha de 4 dígitos, afirma o Serpro.

E se eu quiser a CNH impressa?

A CNH digital será opcional, para quem tiver interesse em ter o documento no smartphone. A carteira impressa continuará a ser emitida normalmente, nos padrões atuais.

Qual a multa para quem esquece a CNH?

Quem tem habilitação, mas não está com o documento ao dirigir, comete infração leve, com multa no valor de R$ 88,38, mais 3 pontos na carteira. O veículo fica retido até a apresentação do documento.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior