Força-tarefa prende dois por suspeita de fraudes contra INSS em Campinas

Sem Comentários

28/08/2018

Nesta terça-feira (28) em Campinas (SP), a Força-Tarefa Previdenciária cumpriu dois mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão , durante a “Operação Custo Previdenciário” contra fraudes no INSS. A ação contou com a participação da Polícia Federal, Ministério Público Federal e Coordenação Geral da Inteligência Previdenciária (Coinf) da Secretaria de Previdência Social. A Guarda Municipal participou como apoio.

O esquema

Segundo a Polícia Federal, as investigações tiveram início em fevereiro deste ano, a partir de denúncia que noticiava irregularidades em uma agência do INSS na cidade. A fraude identificou benefícios irregulares de R$ 256 mil, mas a descoberta da fraude deve proporcionar uma economia de R$ 4,2 milhões em valores futuros. O esquema usava a condição privilegiada de um servidor público dos quadros do INSS para agendar, reagendar, habilitar e conceder benefícios previdenciários em favor de terceiros, principalmente aposentadoria por tempo de contribuição e por idade. A força-tarefa identificou irregularidades em simulações de presença dos segurados nos atendimentos, inserção e ou alteração de vínculos laborais e contribuições, cálculos indevidos e majoração de valores. Os investigados vão responder, na medida da culpabilidade, pelos crimes de estelionato previdenciário, associação criminosa, corrupção. A Força-Tarefa Previdenciária, que atua contra os crimes contra o sistema previdenciário, conseguiu em quatro anos a economia aos cofres públicos de ao menos R$ 1,2 bilhão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Treze são presos por suspeita de fraude em exame para obter CNH no interior de SP

Sem Comentários

19/06/2017

Treze pessoas foram presas e outras 16 foram alvos de mandado de condução coercitiva – quando é levada para prestar depoimento – em sete cidades no interior de São Paulo por suspeita de envolvimento em um esquema ilegal de cobrança para aprovação de candidatos em exames práticos de direção. De acordo com a Polícia Civil, examinadores do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) e funcionários de autoescolas estão envolvidos na fraude, que tinha como alvo interessados em carteira de habilitação profissional, ou seja, nas categorias D e E. “O que chamou mais a atenção é que justamente motoristas profissionais, que vão dirigir os caminhões, os ônibus e as vans, estavam tendo esse tipo de facilidade. Essa foi a grande preocupação que motivou toda essa investigação”, diz o delegado responsável. Em nota, o Detran-SP informou que se forem comprovadas as irregularidades, os servidores responderão a processo administrativo e, ao final, poderão ser exonerados. Já as autoescolas podem ser descredenciadas do sistema. Ao todo, 54 mandados foram cumpridos, entre eles de busca e apreensão, durante a operação nesta segunda-feira (19), batizada de “Delta Fake” – delta no alfabeto fonético internacional da polícia corresponde à letra “D” que, nesse caso, seria uma das principais categorias das carteiras fraudadas. O esquema funcionava em Barretos (SP), Guaíra (SP), Colômbia (SP), Bebedouro (SP), Jaborandi (SP), Olímpia (SP) e Colina (SP). Ainda segundo o delegado, o valor cobrado pelos suspeitos variava de acordo com a cidade e as condições financeiras do candidato. Os três presos cumprirão prisão temporária por cinco dias, mas a Polícia Civil não informou para qual cadeia foram levados. Os suspeitos responderão por organização criminosa, corrupção e falsidade ideológica. Em nota, o Detran-SP informou que vem colaborando com a investigação criminal e continuará a prestar todo o apoio necessário, reiterando seu compromisso de combater qualquer tipo de irregularidade no órgão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Estelionatários são presos com mais de R$ 3 mil em notas falsas em MG

Sem Comentários

16/03/2016

Na tarde da quinta-feira (16) no Bairro Quitandinha, em Timóteo (MG), suspeitos de estelionato, três pessoas foram presas e dois adolescentes apreendidos. Segundo a Polícia Militar, três dos detidos são da cidade de Contagem e estavam de passagem na casa de um menor, que também foi apreendido. Os suspeitos estavam na cidade de Timóteo tentando passar notas falsificadas no comércio loca; duas vítimas foram identificadas. Com os suspeitos a polícia apreendeu R$ 3.650 em notas falsas, quatro celulares, ferramentas da construção civil e R$ 110 em notas verdadeiras. Os três maiores de idade serão autuados, segundo a polícia, pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha e corrupção de menores. Já os menores apreendidos responderam por crimes análogos a estelionato e formação de quadrilha. Os suspeitos foram encaminhados para a delegacia de Ipatinga. A Polícia Civil irá decidir se os suspeitos serão encaminhados para a Polícia Federal, já que o crime de falsificação de dinheiro é investigado pela PF.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quatro são presos em SC suspeitos de fraudes em multas de trânsito

Sem Comentários

05/10/2016

Após uma operação da Polícia Civil, realizada na manhã desta quarta-feira (05), em Xaxim (SC), quatro homens foram presos suspeitos de fraudes em recursos de multas de trânsito no município. A investigação começou há três meses, a pedido do Ministério Público, que recebeu uma denúncia sobre as irregularidades. Conforme a polícia, Xaxim concentrava a maioria das fraudes, mas a operação foi deflagrada também em Saudades, Campo Erê e Quilombo, também no Oeste, além de Florianópolis. “De posse dessas multas, eles procuravam alguém que poderia resolver o problema, pagavam uma determinada quantia. Era inserido no sistema um possível recurso, só que esse recurso, no papel, nunca existiu”, disse o delegado responsável.

Inquérito

Quatro pessoas foram presas na manhã desta quarta e outras 13 prestaram depoimento. A polícia fez ainda busca e apreensão de computadores e documentos do Departamento de Trânsito da prefeitura de Xaxim. “Havia a inserção de dados no Detran de Florianópolis e no Departamento de Trânsito de Xaxim”, explicou o delegado. Dos dois presos em Xaxim, um é proprietário de uma autoescola e o outro é ex-diretor do Departamento de Trânsito da prefeitura. Este último exerceu a função durante três anos e três meses, e teria deixado o cargo por vontade própria, em junho deste ano. A polícia continua investigando outras autoescolas da região. Até agora, a polícia não tem dados de quantas multas foram anuladas ou suspensas e nem há quanto tempo a prática vinha acontecendo. Os presos responderão por crimes como inserção de dados falsos, corrupção e falsidade de documentos. Os beneficiados pela fraude também serão investigados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Em MT, 29 pessoas são presas por esquema de corrupção no Detran

Sem Comentários

05/09/2015

Neste ano, ao menos 29 pessoas foram presas suspeitas de prática de corrupção no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). Segundo o governo do estado as prisões ocorreram entre os meses de janeiro a agosto. O caso mais recente ocorreu na quinta-feira (03) quando um agente de trânsito e um ex-coordenador de fiscalização foram presos por suspeita de fraudes na transferência de documentos de veículos. Além das duas prisões, a Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública expediu quatro mandados de busca e apreensão. Conforme a Polícia Civil, os dois servidores teriam relação com outros dois homens que foram presos no dia 17 de agosto em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá. Naquela ocasião um ex-servidor do Detran e um vendedor de carros foram presos ao tentarem subornar funcionários da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran). O diretor de Gestão Sistêmica do Detran-MT, destaca que as prisões resultam do fortalecimento da fiscalização que permite que sejam levantados elementos que subsidiam a atuação da polícia fora do órgão. “Estamos trabalhando em três frentes. Apuramos e investigamos a corrupção interna, dentro de um processo de moralização do órgão, para tentar remover os servidores que estão ligados a ações ilícitas, com atos de corrupção, falsificação de documentos e transferência ilegal de veículos. Atuamos externamente junto aos aliciadores dos servidores e, também, junto aos credenciados que atuam de forma ilegal. Vamos continuar este processo. E estas não serão as únicas prisões, infelizmente”, informou o diretor. O presidente do Detran-MT, diz que as ações para a moralização da autarquia continuarão. “O processo de moralização e de combate à corrupção na autarquia será contínuo”.

Esquema

A operação prendeu um ex-funcionário da Corregedoria do Detran-MT, um vendedor de carros, o ex-coordenador de fiscalização do Detran e ex-diretor de Ciretrans. A segunda prisão envolve um servidor do Detran-MT. O grupo oferecia dinheiro para servidores em troca de ‘agilizar’ transferência e emissão de documentos para pessoas que não eram os verdadeiros proprietários dos veículos. “Eles chamam de ‘pula-pula’, que é colocar o procedimento na frente, dar preferência. Esse serviço é chamado também de VIP. Pegam o procedimento, vão ao Ciretran, pagam a taxa, e depois pagam para o chefe do Ciretran para saírem na hora com o documento, por isso é ‘pula- pula’”, explicou o delegado de Chapada dos Guimarães.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia já prendeu 11 pessoas por fraudes na emissão de CNH

Sem Comentários

21/08/2015

Um homem foi preso no município de Santana do Araguaia, no sudeste do Pará, suspeito de envolvimento no esquema de fraudes na venda de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), desarticulado pela operação “Galezia”. Segundo informações divulgadas na sexta-feira (21) pela Polícia Civil, esta foi a 11ª prisão realizada pela operação. Nove pessoas foram presas no Pará e duas no Estado do Tocantins, entre servidores públicos, despachantes, donos de autoescolas e uma psicóloga. A operação foi realizada nos municípios de Redenção, Xinguara, Santana do Araguaia, Conceição do Araguaia, Tucumã, Ourilândia do Norte, São Félix do Xingu e Paragominas, no Pará, além do município de Pedro Afonso, no Tocantins. Os presos irão responder pelos crimes de corrupção, estelionato e associação criminosa.

Esquema criminoso

De acordo com o delegado geral do Pará, o esquema começava em outros estados, principalmente no Tocantins, que enviavam para as circunscrições de trânsito do Pará processos de expedição de carteira de motorista de pessoas que, segundo a quadrilha, estariam se mudando para o sul do estado. As pessoas que seriam beneficiadas pela fraude apresentavam comprovações de exames médicos e psicológicos, supostamente feito em outros estados, que eram enviados para o Pará junto com comprovantes de residência forjados, para obter a carteira de habilitação. Centros de Formação de condutores também participavam do esquema, expedindo certificados falsos de conclusão do curso de habilitação. Com estes documentos, os servidores das circunscrições do estado expediam certificados que comprovavam que as pessoas haviam feito as provas teóricas e práticas de direção veicular sem a presença dos candidatos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla é presa em Copacabana após tentar aplicar o golpe do ‘chupa-cabra’

Sem Comentários

26/06/2015

Policiais civis e militares conseguiram prender em Copacabana, na Zona Sul do Rio, dois suspeitos de instalar equipamento nos caixas eletrônicos para copiar as informações dos cartões dos clientes, mais conhecido como chupa-cabra. Conforme o coronel do 19º BPM (Leblon), um dos criminosos foi preso na Avenida Princesa Isabel, quando deixava uma agência bancária. “O policial abordou um elemento que estava saindo do banco, desconfiou dele, e o prendeu com um dispositivo denominado chupa-cabra. Chegando na delegacia, foi feito o contato com a supervisão de oficial e o mesmo chegou para apresentar a ocorrência à 12ª DP (Copacabana)”, afirmou o comandante. De acordo com ele, o celular do suspeito tocava insistentemente e um dos policiais atendeu. Foi nesse momento que o comparsa do homem que já estava preso tentou oferecer suborno para que o detido fosse liberado. “Com o trabalho integrado da 12ª DP, foi combinado um local”, destacou o coronel. O homem ofereceu a quantia de R$ 2.500 para pudesse liberar o comparsa. “Quando o dinheiro foi entregue ao capitão, foi dado voz de prisão”. Os dois foram autuados por furto eletrônico e corrupção.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior