Homens são presos ao usar cartões clonados para comprar roupas

Sem Comentários

12/11/2018

Através de uma denúncia anônima, a Polícia Militar prendeu dois homens por estelionato. Eles coletavam dados bancários das vítimas e usavam o cartão para comprar produtos em um shopping na Rodovia dos Bandeirantes, em Itupeva (SP). O caso ocorreu no sábado (10), após os policiais militares receberem a informação de que um veículo Fiat Palio com placa de São Paulo estaria sendo utilizado na prática do crime. Em patrulhamento, os policiais conseguiram abordar o veículo ocupado por dois homens, um de 45 anos e com passagem criminal pela prática de furto a banco e o outro, de 38, com passagem por estelionato. No carro foram localizados roupas, relógios, bonés e um óculos que haviam sido comprados em Itupeva, com os cartões clonados. Inicialmente ambos negaram o crime, mas entraram diversas vezes em contradição, assim sendo, acabaram admitindo o estelionato e descreveram a forma de atuação. Os homens confessaram que o golpe aconteceu durante este final de semana em caixas 24 horas, coletando dados bancários e senhas das vítimas para, posteriormente, usarem na compra dos produtos. Eles foram autuados em flagrante e levados para a 2ª Delegacia Seccional de Polícia, em Campinas, onde acabaram sendo reconhecidos por uma vítima.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Liberal

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulheres são presas com mais de 1,4 mil cartões em banco de Sorocaba

Sem Comentários

29/10/2018

Na tarde de domingo (28), no Centro de Sorocaba (SP), três mulheres foram presas por estelionato com mais de 1,4 mil cartões em branco dentro de uma agência bancária na Rua XV de Novembro. Conforme informações da Polícia Militar, uma equipe fazia patrulhamento quando notou que as três mulheres ficaram nervosas ao ver a viatura. Os policiais entraram na agência e viram que elas inseriam diversos cartões nos caixas eletrônicos, e que uma das suspeitas jogou fora um comprovante bancário antes de ser abordado. Durante revista, os policiais encontraram 1.420 cartões em branco, mas com tarja magnética. Por isso, de acordo com a PM, a suspeita é que são clonados. Também foi apreendido um comprovante de depósito de R$ 600. As três suspeitas foram levadas ao plantão norte, onde permaneceram à disposição da Justiça.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Cearenses suspeitos de clonagem de cartões são presos em flagrante em PE

Sem Comentários

11/09/2018

No centro de Escada, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, a polícia prendeu em flagrante dois cearenses que instalavam dispositivos para clonar cartões nos terminais eletrônicos de uma agência bancária. A prisão aconteceu na manhã da última sexta-feira (07) e foi divulgada nesta terça-feira (11) pela Polícia Federal (PF). Foram presos M.F.C.N., de 41 anos, e L.C.L.P., de 40. Ambos possuem antecedentes criminais por estelionato e furto qualificado, respectivamente. Policiais do 21º Batalhão da Polícia Militar (BPM) chegaram à agência após serem informados pela Central de Monitoramento da CEF que dois suspeitos haviam retornado ao local durante o feriado após terem colocado os dispositivos fraudulentos na noite anterior. A dupla foi presa em flagrante no banco. Com eles foram encontrados 12 cartões magnéticos de diversos bancos, três aparelhos celulares, R$ 3.140 e um veículo com placas do Recife. Todo o material e os presos foram levados para a superintendência da Polícia Federal no Bairro do Recife, na área central da Capital. Na sede da PF, os cearenses foram autuados pelo crime de furto qualificado e, caso condenados, poderão pegar penas de dois a oito anos de prisão. A dupla passou por audiência de custódia, que confirmou suas prisões preventivas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha PE

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quadrilha que falsificava cartões é presa em São Paulo

Sem Comentários

25/05/2018

Uma quadrilha especializada em clonagem de cartões foi desmantelada nesta quarta-feira (23), por policiais civis do 62º Distrito Policial da zona leste da capital paulista. Após investigações, os agentes identificaram que a quadrilha usava um apartamento como central clandestina, destinada à clonagem de cartões bancários e de crédito, além da subtração de valores das contas correntes de diversas pessoas de várias instituições financeiras. No local foram apreendidas centenas de cartões bancários e de créditos, máquinas de cartões, diversos papéis contendo dados cadastrais de correntistas – inclusive com senhas, certidão de uma empresa em nome de dois suspeitos de lavagem do dinheiro, além de HD, notebook, cédulas de identidade, carteira de trabalho e um aparelho celular. No apartamento encontravam-se a namorada de um suspeito, que foi presa em flagrante por estelionato e organização criminosa, bem como uma menos, que foi apreendida. As jovens informaram que existe a participação de funcionários das instituições bancárias nos crimes perpetrados pela quadrilha. As investigações apontaram tratar-se de uma verdadeira organização criminosa, na qual cada um de seus integrantes possui tarefa devidamente dividida. A Polícia Civil procura agora três homens que também faziam parte do esquema criminoso e buscará identificar a efetiva participação de funcionários dos bancos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Info Money

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende em Alphaville dupla que falsificava cartões

Sem Comentários

17/05/2018

A Polícia Civil prendeu, na tarde desta terça-feira (15), em uma residência em Alphaville, dois homens, de 43 e 58 anos, acusados de falsificar cartões bancários. Agentes do 91º Distrito Policial (Ceasa) investigavam diversos crimes de estelionato que aconteceram na região. Durante as apurações, os policiais receberam uma denúncia anônima indicando o endereço do autor de clonagem de cartões. A equipe se deslocou até o endereço apontado, onde foram encontrados seis cartões de crédito e débito falsos além de um leitor utilizado para a clonagem de cartões, popularmente chamado de chupa-cabra, e um notebook. A dupla foi presa em flagrante. Ambos os indiciados apresentam registros criminais por crimes de estelionato e furto realizado por meio eletrônico. Os objetos apreendidos foram encaminhados para perícia. A ocorrência foi registrada como falsificação de documento particular ou de cartão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Visão Oeste

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PRF prende suspeitos de estelionato com materiais para prática do crime

Sem Comentários

17/03/2018

Na manhã deste sábado (17), materiais para a prática de estelionato foram encontrados dentro de um veículo, no Km 227 da Rodovia Presidente Dutra, no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Caiçara. De acordo com a polícia, dentro do carro, um Renault/Sandero, com placa de São Paulo, estavam três ocupantes, o motorista de 20 anos e dois passageiros de 41 e 46 anos. Os nomes não foram divulgados. A PRF informou que foram encontrados materiais para prática de estelionato, golpes de cartão bancário – acharam máquina de cartão de crédito e um telefone para ser utilizado na clonagem de cartões. Além disso, encontraram pequena quantidade de maconha. Foi verificado que contra o passageiro de 46 anos, há um mandado de prisão em aberto pelo crime de furto, expedido em 2015, pela 1ª Vara Criminal de Mairinque, em São Paulo. O passageiro de 41 anos tem passagens na polícia por homicídio e furto. Os três foram levados para a 94ª Delegacia de Polícia de Piraí.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Voz da Cidade

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presa quadrilha que aplica golpe do cartão em idosos

Sem Comentários

01/03/2018

Policiais civis da Coordenação de Combate ao Crime Organizado, ao Crime contra a Administração Pública e contra a Ordem Tributária (CECOR) estiveram nas ruas nesta manhã de quarta-feira (01) para prender os membros de uma organização criminosa que aplica golpes em idosos para clonagem de cartões de crédito. É a Operação Luthor, nome que remete ao deus da trapaça ou da mentira, da mitologia nórdica. O esquema funciona de forma a enganar as pessoas com todos os detalhes planejados. O telefone toca depois do horário de expediente bancário. Um senhor ou senhora, em geral com mais de 65 anos, aposentado, com renda financeira elevada, morador de área nobre de Brasília, atende e ouve um alerta de uma pessoa que se identifica como funcionário da central de segurança da operadora do cartão de crédito. Os dados pessoais são confirmados e há a informação de que uma compra foi realizada indevidamente. A seguir, tirando proveito de uma situação de surpresa e fragilidade emocional, começa o golpe. A atendente passa a ligação para vários ramais e realiza o suposto bloqueio do cartão que teria sido usado indevidamente. De ramal em ramal, a pessoa é orientada a ligar para uma outra central. O telefone, no entanto, é direcionado para os próprios golpistas. Nesse meio tempo, o cliente digita a senha do cartão. A central, então, instrui o idoso a procurar o gerente do banco para formalizar a queixa. Mas, devido ao horário, isso só será possível no dia seguinte.

Serviço de delivery

Enquanto a vítima do golpe pensa e se preocupa com as compras que poderão ser feitas até lá, é oferecido um serviço de delivery. O idoso é orientado a picotar o cartão, colocar num envelope e entregar a um motoboy que irá em casa buscar o que sobrou do dinheiro de plástico. O cliente recebe também a recomendação de escrever uma carta à loja onde teria sido realizada a compra indevidamente. Esse procedimento serve apenas para distrair a vítima. Tudo parece normal, um serviço de segurança bancária. Mas o que os criminosos querem, o chip e a senha do cartão, está garantido. Com isso, a quadrilha fabrica um novo cartão e pode ir às lojas para gastar ou a um terminal de autoatendimento para sacar dinheiro. Os clientes  com poder aquisitivo mais alto são escolhidos para evitar problemas com os limites de gastos.

Mais de 80 vítimas

Esse é o modus operandi de uma organização criminosa com pelo menos 14 integrantes que vinha atuando no Distrito Federal. Foram meses de investigação da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco).  Cerca de 80 vítimas registraram ocorrência. Mas o prejuízo pode ser muito maior porque muitos idosos se envergonham de, com tanta experiência de vida, ainda terem sido enganados dessa forma. Não é difícil cair no golpe. Os criminosos são estelionatários e ainda têm acesso a bancos de dados comprados clandestinamente com informações pessoais sigilosas. Durante a investigação,  suspeitos foram identificados por vendedores de lojas onde fizeram compras com os cartões clonados. Eles priorizavam gastos com telefones celulares, eletrônicos e bebidas. Em seguida, revendiam esses produtos. Há registros de compras que chegam a R$ 30 mil num só dia. Os criminosos vão responder por estelionato, furto mediante fraude, lavagem de dinheiro, receptação, entre outros crimes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior