Clientes de duas agências bancárias são vítimas de golpes em Maceió

Sem Comentários

07/02/2017

Em Maceió, aposentados e pensionistas com contas bancárias vinculadas a duas agências bancárias foram vítimas de golpe. Sem saber ler, escrever e muito menos usar um caixa eletrônico, 25 idosos tiveram as contas zeradas e só perceberam a fraude quando pediram ajuda a um funcionário do banco para sacar o dinheiro que já não estava na conta. “Quando perguntei ao funcionário do banco sobre meu dinheiro ele disse que tinha acontecido comigo o mesmo o que aconteceu com outro homem: o dinheiro não estava na conta. Foi roubado. Isso é muito injusto”, relata um aposentado. Uma pensionista entrou em desespero ao chegar no banco e descobrir que havia sido roubada. “Já chorei por saber que fomos roubados. Isso nunca aconteceu comigo. Eu quero meu dinheiro porque eu preciso comer e comprar remédio”. Até agora 25 pessoas já procuraram a delegacia para registrar Boletim de Ocorrência. A história é a mesma: foram sacar o dinheiro da aposentadoria e descobriram que a conta estava zerada. Todas as pessoas que foram vítimas do golpe são clientes de duas agências que ficam na rua do Sol, no centro de Maceió. A polícia acredita que uma quadrilha teria instalado um equipamento nos caixas eletrônicos que é conhecido como ‘chupa-cabra’. Esse equipamento teria conseguido registrar as senhas e todos os dados pessoais dessas pessoas da última vez que elas vieram sacar o dinheiro da aposentadoria. A polícia diz que os bandidos sabiam a data que os aposentados receberiam o dinheiro. O delegado que investiga o caso falou que a maioria dos saques foi feita na cidade de Barreiros, interior de Pernambuco. A polícia orienta que todas as pessoas que foram vítimas do golpe façam o boletim de ocorrência. O banco responsável pelas agências informou que as vítimas dos golpes serão ressarcidas dos valores retirados das contas bancárias.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem perde R$ 2 mil após uso de caixa eletrônico falso em Piracicaba

Sem Comentários

29/01/2017

No sábado, dia 28, um engenheiro mecânico, de 52 anos, perdeu cerca de R$ 2 mil da conta bancária após usar um caixa eletrônico “falso” em um banco. O homem percebeu que uma compra desconhecida foi feita com seus dados em Jundiaí (SP) e acionou a Polícia Militar (PM). Na agência utilizada pela vítima, a corporação retirou um equipamento utilizado para clonar cartões de crédito, semelhante a um “chupa-cabra”. O caso foi registrado como estelionato. De acordo com o Boletim de Ocorrência, o engenheiro fez uso da máquina com o objetivo de verificar o saldo de sua conta corrente. Após digitar a senha, a tela do equipamento apagou. Apesar do ocorrido, a vítima não verificou irregularidades e seguiu para uma outra agência do banco. Quando retirou o extrato, percebeu que seus dados tinham sido clonados e uma compra no valor de R$ 2 mil foi feito em Jundiaí, por uma mulher desconhecida. Retornou à instituição financeira anterior e chamou a polícia. No local, os oficiais constataram que a frente do caixa eletrônico estava irregular e ao retirar a parte frontal constatou-se que a máquina estava clonada. Próximo ao caixa eletrônico havia um envelope com três folhas de cheque, de bancos e nomes diversos, para serem depositadas na conta de uma cliente. O dispositivo foi apreendido pela polícia e passará por exame pericial.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presa quadrilha suspeita de estelionato em Belo Horizonte

Sem Comentários

25/01/2017

Três pessoas, responsáveis por aplicar mais de 50 golpes em agências bancárias somente neste ano, foram presas pela Polícia Civil após a conclusão de dois inquéritos. As prisões ocorreram em duas operações distintas.

Vida de luxo

Após denúncia de uma possível vítima de um golpe imobiliário, a Polícia Civil passou a investigar um dos suspeitos, que estaria residindo em um flat de luxo na região do condomínio Vila da Serra, em Nova Lima. Durante operação, os policiais acompanharam negociação entre a vítima e o suspeito, que foi preso em posse de R$ 350. O dinheiro seria um adiantamento que o suspeito solicitava para locação de um sítio de alto padrão na região de Esmeralda, porém o imóvel não existia. Ao ser interrogado, ele apresentou a versão de que o imóvel pertencia a sua família. Depois, admitiu o golpe, informando ainda que a conta para depósito pertenceria a uma pessoa que não tinha conhecimento dos golpes. A polícia apurou que a conta bancária seria de outra vítima, que foi ludibriada quando o suspeito sublocou um imóvel na região do bairro São Bento. O sujeito receberia os aluguéis através de transferência eletrônica, forma que utilizou para ter acesso à conta e promover o segundo golpe.

Operação Weekend

A operação teve como objetivo combater uma prática que tem se tornado comum em agências bancárias da cidade, conhecida como golpe do chupa-cabra. O esquema consistia em quatro etapas: a instalação do dispositivo chupa-cabra; aplicação do golpe; obtenção de dados dos clientes e saque dos valores nas contas das vítimas. Para a instalação do dispositivo, os suspeitos procuravam caixas eletrônicos sem biometria, inserindo papéis dentro do terminal. Em seguida, o chupa-cabra era instalado nos leitores de cartão, onde também eram fixadas as etiquetas adesivas contendo números de telefones falsos para que a vítima ligasse e solicitasse o bloqueio do cartão. O chupa-cabra impede que o cartão entre por completo no leitor, fazendo com que o terminal travasse o cartão na máquina. Assim, a máquina alega defeito no cartão e a vítima fica impossibilitada de retirá-lo. Uma vez instalado o dispositivo, os suspeitos aguardavam a vítima, preferencialmente idosos. Assim que o cartão era retido, um suspeito se aproximava e orientava a ligar para o número de telefone falso afixado no terminal. De posse do cartão e dados da vítima, os investigados realizavam saques e compras rápidas com cartões em crédito ou débito. Com os presos, a polícia apreendeu diversos cartões, dispositivos e etiquetas utilizadas nos golpes.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Hoje em Dia

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Quadrilha furta R$ 100 mil de banco em golpe do “chupa cabra”

Sem Comentários

24/01/2017

A polícia está a procura de uma quadrilha, com pelo menos seis pessoas, suspeita de furtar cerca de R$ 100 mil de uma agência bancária de Dourados durante um golpe conhecido como “chupa cabra”. De acordo com a polícia, os bandidos instalaram no final de semana passado o dispositivo, que impede que os envelopes sejam depositados nos caixas eletrônicos, com isso eles retornam horas depois e retiram os valores, que as vítimas pensavam der sido inseridas no caixa. Os suspeitos levaram envelopes com cheques e dinheiro em espécie da agência. Dezenas de clientes foram prejudicados. O caso está sendo investigado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Progresso

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

SSP investiga quadrilha que aplica golpes bancários em Sergipe

Sem Comentários

12/01/2017

Nesta quinta-feira (12), a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe divulgou que a Polícia Civil, por meio do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), está  investigando uma quadrilha que aplica golpes bancários no estado. Conforme a Secretária de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE), a investigação que tramita há seis meses começou com um golpe aplicado em meados de 2016, quando diversos clientes do banco estadual tiveram seus cartões clonados após utilizarem terminais de autoatendimento em máquinas em que estavam instalados os famosos “chupa cabra”. O equipamento captava os dados dos cartões bancários para posterior clonagem. Após a clonagem dos cartões, os golpistas voltam para realizar saques com os cartões falsificados. Dois homens suspeitos de ter ligação com associação criminosa envolvida com clonagem de cartões bancários foram presos em dezembro no momento em que tentavam retirar o “chupa cabra”. Os suspeitos disseram à polícia que Sergipe foi selecionado como alvo das ações por possuir uma deficiência tecnológica nos cartões bancários que ainda não têm chip. Os equipamentos foram apreendidos. A dupla está custodiada no Cope e foram autuados por estelionato e associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso após usar ‘régua’ para roubar caixa eletrônico no DF

Sem Comentários

03/11/2016

Um homem suspeito de roubar dinheiro de caixas eletrônicos no Distrito Federal foi preso, na noite desta quarta-feira (02), usando uma espécie de régua para bloquear a saída de células dos terminais. Imagens da Polícia Militar mostram o momento em que o ladrão chega a uma agência bancária, na 509 Norte, para colocar o instrumento. Quando a vítima ia sacar, a placa barrava a entrega dos valores. O assaltante esperava do lado de fora, para depois pegar o dinheiro. O prejuízo só na noite desta quarta seria de R$ 1,5 mil. Pelo menos três clientes do banco seriam lesados pelo crime. Testemunhas notaram a situação e acionaram a Polícia Militar, que se surpreendeu ao ver que ele usava uma ferramenta mais simples do que as “tradicionais”, chupa-cabra e explosivo. A prisão ocorreu em um terminal na Avenida Principal do Paranoá. Para a PM, o homem instalou o mesmo dispositivo em caixas do Lago Sul e em um shopping do Lago Norte. O preso já tinha antecedentes criminais por furto, receptação e estelionato. A corporação disse suspeitar de que exista uma quadrilha cometendo o crime. “Tudo leva a crer pelas imagens que foram fornecidas que há mais indivíduos envolvidos, até pela forma que eles agem, os horários e os dias determinados que eles entram em ação. Normalmente eles costumam atuar em fins de semana durante a tarde. E obtivemos imagens do próprio monitoramento da Caixa Econômica que havia outros indivíduos pelo DF também praticando esse tipo de crime”, completou um tenente.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio de mulheres que usava chupa-cabra para clonar cartões é preso no PR

Sem Comentários

27/06/2016

Nesta segunda-feira, na BR-116 em Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba, três mulheres foram presas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) por estelionato e furto qualificado. O trio, de 27, 33 e 36 anos, estava em um automóvel Chevrolet Onix. Uma equipe da PRF que atua no Rio Grande do Sul havia repassado a informação de que o carro em que elas estavam havia sido utilizado durante a instalação de aparelhos “chupa-cabra” em agências bancárias de Caxias do Sul (RS) e em Farroupilha (RS). Com aparência similar à parte frontal de um caixa eletrônico comum, esse tipo de aparelho é usado para copiar os dados bancários dos clientes. Sabendo dessas informações, os policiais rodoviários federais efetuaram a abordagem do veículo, que estava a caminho de São Paulo (SP). Com as presas foram apreendidos mais de R$ 4 mil em dinheiro, 23 encaixes para cartões bancários, cinco aparelhos de telefonia celular, um interfone e uma máquina para cartões de débito e crédito. As três, que declararam residir nas cidades paulistas de Guarulhos, São Bernardo do Campo e Araras, admitiram participação nos crimes. A PRF encaminhou as três presas, o carro e os itens apreendidos para a Delegacia da Polícia Civil em Campina Grande do Sul.

Anterior Próximo