Dupla suspeita de estelionato é presa depois de tentar trocar cheque em banco de Juiz de Fora

Sem Comentários

28/02/2019

Nesta quinta-feira (28), um homem de 30 anos e uma mulher de 38, foram detidos suspeitos de estelionato em Juiz de Fora. Eles foram descobertos após o gerente de um banco reconhecer o criminoso e chamar a Polícia Militar (PM). Foram apreendidos R$ 4.529 em dinheiro, quatro celulares, onde constam conversas dos envolvidos no golpe e dois chips de telefonia. Também foram recolhidos cinco cheques, 19 cartões de banco, 17 documentos de terceiros, como Cadastro de Pessoa Física (CPF), Carteiras Nacional de Habilitação (CNH) e de trabalho, um caderno de contabilidade da quadrilha. O veículo usado pela dupla foi removido para o pátio credenciado. Segundo as informações preliminares da PM, o homem estava na agência bancária na Rua Oswaldo Aranha, tentando descontar um cheque de procedência ilícita no valor de R$ 4.890,50. No dia 21 de fevereiro, o mesmo homem sacou outro cheque no valor de R$ 4.980,80, que depois a instituição descobriu que era uma fraude. Os policiais abordaram o homem que confessou que fez o saque há uma semana, alegando que recebeu R$ 150 da mulher de 38 anos que o contratou para dirigir de Barroso a Juiz de Fora. Ela ofereceu mais R$ 50 para descontar o cheque na agência. O homem disse saber que o cheque era “proveniente de algum esquema”. A PM ainda informou que o autor tem passagens por estelionato, contrabando e furto.

Ele relatou que a mulher estava em uma rua próxima. Houve rastreamento e foi localizada no estacionamento do shopping no Bairro Cascatinha. Segundo a ocorrência, ela estava com o dinheiro, documentos e aparelhos celulares. Nos telefones, constam conversas e áudios de aplicativos sobre a forma de agir da quadrilha para realizar a fraude nos estabelecimentos. A mulher contou que entrou no “esquema” de cartões e outras formas de fraudes em agosto do ano passado por necessidade financeira. Os dois suspeitos foram detidos. Segundo a PM, eles fazem parte de uma quadrilha especializada em estelionato que atua na região de Juiz de Fora, Barbacena e Conselheiro Lafaiete.

Golpe com cheque é o que mais afetou pequenos no ano passado

Sem Comentários

25/02/2019

Uma nova pesquisa da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) aponta que, em 2018, 11% das micro e pequenas empresas brasileiras tiveram prejuízo financeiro causado por golpes. Em 33% dos casos, os estelionatários utilizaram cheques falsificados ou roubados na hora de pagar por suas compras. A pesquisa foi realizada em todas as capitais do país. Entre as tentativas de fraude, que não chegaram a dar prejuízo para as empresas, foram citadas no levantamento o recebimento de boletos falsos para pagamento (37%), links que sequestram dados enviados por email (33%), roubo de informações pessoais no preenchimento de cadastros em sites (6%) e invasão no site da empresa (5%).

Golpes em sites de vendas fazem cerca de 30 vítimas por semana no Ceará

Sem Comentários

01/10/2018

Cerca de 30 casos de estelionato chegam a cada semana na Delegacia de Defraudações e Falsificações do Ceará (DDF). De acordo com o delegado, um dos principais motivadores é a expansão do comércio eletrônico por sites de classificados virtuais. “É um número bastante elevado quando comparado aos outros registros que temos. Os estelionatários pagam as mercadorias utilizando cheques fraudados ou roubados”, conta o titular da DDF. As principais vítimas são jovens que buscam usar as plataformas para vender celulares com o objetivo de adquirir aparelhos mais modernos. Games e carros também são bastante visados. Há também quem tente comprar os aparelhos, e depois de depositar o dinheiro não recebem o produto esperado. Isso ocorre porque em uma determinada instituição financeira o saldo pode aparecer como positivo, induzindo a vítima ao erro. “Imediatamente o golpista manda pegar a mercadoria com um carro de aluguel ou algo do tipo. Por muitas vezes a pessoa compra um celular e, quando abre a caixa, vê um pedaço de tijolo ou uma barra de sabão”, detalha.

Golpes

A facilidade nas transações e contatos entre os vendedores e compradores oferecida pelos sites abre margem à recorrência dos golpes. “O golpista faz contato com várias pessoas. Ele faz várias ligações e, em algumas delas, tem resultados positivos”, conta. Para garantir a segurança nas compras e vendas pela internet, o delegado aconselha entrar em contato com o banco para saber se o depósito do dinheiro foi efetivado. “Não é aconselhável entregar a mercadoria antes de receber o pagamento. Caso isso aconteça, deve-se entrar em contato imediatamente com a delegacia mais próxima”. Quem pratica o estelionato pode sofrer pena de um a cinco anos de prisão, conforme o julgamento.

Polícia prende suspeitos de aplicar golpes em lojas e clínicas de estética em Fortaleza

Sem Comentários

11/07/2018

A polícia prendeu dois homens e uma mulher suspeitos de integrar uma quadrilha investigada há quatro meses por aplicar golpes em comércios e clínicas de estética em Fortaleza. Segundo o delegado titular do 2º Distrito Policial, os suspeitos realizaram diversos procedimentos estéticos e pagaram com cheques falsificados. Uma empresária vítima do esquema informou que teve um prejuízo de R$ 15 mil em procedimentos de estética. Empresas do ramo de móveis e eletrodomésticos também foram alvos dos suspeitos. A Polícia Civil apreendeu impressoras, computadores, cartões de crédito e documentos falsificados. Os policiais ainda encontraram identidades e outros documentos prontos para serem impressos pelo grupo. Durante a ação policial, um dos suspeitos tentou fugir e acabou atropelando um motociclista, que acabou morrendo. Após a prisão, os suspeitos foram conduzidos ao 2º Distrito Policial, no Bairro Meireles, onde foram autuados pelos crimes de organização criminosa, uso de documento falso, falsificação e estelionato. Outros dois suspeitos de participação no esquema ilícito seguem foragidos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla tenta pagar boletos de R$ 50 mil com cheque adulterado e é presa

Sem Comentários

09/07/2018

Uma dupla foi presa ao tentar pagar boletos com cheques adulterados em uma agência bancária localizada no bairro Alto da XV, em Curitiba. A quantia a ser paga somava R$ 50 mil. O setor de inteligência da Delegacia de Estelionato chegou até os suspeitos após receber a informação de que duas pessoas, identificadas como M.E.A.J., de 22 anos, e P.J.M.R.J., de 23, estariam utilizando cheques adulterados para pagar boletos bancários de alto valor. Segundo o delegado responsável, os dois negaram o crime e disseram que receberam os cheques de um amigo do Rio de Janeiro via correios, e que não sabiam qual era a origem. Ambos foram autuados em flagrante na última sexta-feira (06) pelos crimes de associação criminosa e tentativa de estelionato. Ambos não possuem antecedentes criminais.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Criminosos aplicam golpe e utilizam cheques falsos para pagamentos em Alagoas

Sem Comentários

04/07/2018

Um grupo de criminosos estaria aplicando um golpe utilizando cheques falsos em nome da Eletrobras para realizar pagamentos em comércios do interior de Alagoas. A Eletrobras Distribuição Alagoas emitiu uma nota nesta quarta-feira (04) orientando que, para evitar cair no golpe, os comerciantes não recebam cheques endossados por terceiros. A Eletrobras também orienta que em caso de dúvida sobre a veracidade do documento, basta entrar em contato com o escritório de atendimento da Eletrobras mais próximo.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Cada Minuto

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso com R$ 83 mil em cheques fraudados

Sem Comentários

19/06/2018

No final da tarde desta segunda-feira (18), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu um homem de 22 anos, dirigindo um Siena na BR 304 em Mossoró (RN). Aparentando nervosismo, o motorista informou que estava vindo da capital cearense para a cidade de Angicos (RN). O estado emocional do suspeito chamou a atenção da equipe, que procedeu a uma busca mais detalhada no veículo. No decorrer da fiscalização, os policiais encontraram um total de 25 cheques devidamente preenchidos, cujos valores resultaram em um montante de R$ 83.820,15. Indagado sobre a procedência dos cheques, o jovem a princípio alegou que pertenciam ao seu pai e este teria solicitado que ele realizasse o depósito. Porém, após diligências e informações encontrados no aparelho celular do suspeito, onde foram encontradas mensagens de texto sobre a prática de crime de estelionato, este confessou que realizava os depósitos para uma quadrilha de Fortaleza (CE) e que receberia uma quantia pelo serviço.

De posse dos cheques, os policiais fizeram contato telefônico com alguns emitentes, que afirmaram terem emitido cheques em valores muito abaixo dos informados. Diante dos fortes indícios de cometimento dos crimes de estelionato e adulteração, o homem foi detido e conduzido à Delegacia de Plantão de Mossoró, onde também compareceram duas vítimas localizadas pela PRF, que inclusive apresentaram os cheques originais que haviam sido clonados pela quadrilha.

Golpe

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o golpe funcionava da seguinte forma: o titular do cheque (geralmente um comerciante ou empresário) emitia um cheque pré-datado em favor de algum fornecedor da cidade de Fortaleza (CE), em pagamento por algum produto ou serviço; o fornecedor utilizava o cheque como pagamento a terceiros ou garantia de empréstimo com agiotas, gerando uma circulação do cheque como moeda.

Em algum momento dessa circulação, a quadrilha tomava posse do cheque e copiava os dados nele contidos. A partir daí, de posse desses dados, a quadrilha adulterava cheques com os mesmos dados, mudando apenas o valor e a data de pagamento. Então, os criminosos depositavam os cheques em contas laranjas, antes que os cheques originais fossem descontados. Para não despertar suspeitas, membros da quadrilha viajavam para realizar os depósitos diretamente nas agências dos titulares.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tribuna do Norte

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior