Mais uma vítima do boleto falso é registrada em Nova Odessa

Sem Comentários

19/04/2018

Após ser vítima do golpe do “boleto falso”, uma empresária de 36 anos procurou a Delegacia de Nova Odessa para registrar o crime. A mulher relatou que recebeu o documento por e-mail e efetuou o pagamento no valor de R$ 3.175,00. De acordo com o boletim de ocorrência, a empresa da vítima recebe mensalmente um boleto de um posto de combustível no qual utiliza os serviços. Neste mês, o boleto recebido estava com o valor de R$ 3.303,97. Mas no dia do vencimento do documento, um segundo boleto foi enviado com uma retificação e o valor que deveria ser pago era de R$ 3.175,00. Após imprimir o documento, uma funcionária da empresa efetuou o pagamento. Foi quando o próprio posto de gasolina entrou em contato com ela para informar que se tratava de um boleto falso que havia sido enviado por um golpista. Logo em seguida a empresária entrou em contato com a agência bancária para pedir que o boleto não fosse compensado. Ainda segundo as informações, o banco irá realizar um procedimento administrativo para apurar o ocorrido. A empresária contou que no boleto enviado pelo golpista constavam dados da empresa. A conta beneficiada pelo boleto falso é de uma agência de Minas Gerais.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal de Nova Odessa

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Empresária cai no golpe do boleto falso e perde R$ 3,1 mil

Sem Comentários

13/04/2018

Em Nova Odessa (SP), uma empresária de 36 anos perdeu R$ 3,1 mil ao pagar um boleto falso que havia recebido por e-mail. Ela pediu ao banco para suspender a compensação e foi informada que a instituição abrirá um procedimento interno para apurar a situação e verificar se é possível bloquear o pagamento. A empresária registrou um boletim de ocorrência no Plantão Policial por estelionato. A empresa vítima recebe mensalmente um boleto de um posto de combustível no qual utiliza os serviços. O documento recebido este mês foi no valor de R$ 3.303,97, com vencimento para o dia 10 de abril. No dia do vencimento recebeu outro boleto em que constava uma retificação, com um novo cálculo e o valor de R$ 3.175. O endereço deste último e-mail era cobranca@srv200.info. A empresária contou à reportagem que nesse e-mail havia dados da empresa e que uma funcionária o imprimiu e pagou. Contudo, o próprio posto entrou em contato com ela para informar que tratava-se de um boleto falso que havia sido enviado por um golpista. Rapidamente a empresária entrou em contato com o banco para pedir que o boleto não fosse compensado. A instituição vai realizar um procedimento administrativo para apurar o ocorrido, com prazo de 15 dias. A conta beneficiada pelo boleto falso é de uma agência localizada em Minas Gerais.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Liberal

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idosa recebe falso boleto de IPTU e polícia investiga golpe em Cuiabá

Sem Comentários

01/04/2018

A Polícia Civil investiga o caso de um falso boleto de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) que uma moradora de Cuiabá recebeu. A vítima, já idosa, recebeu em casa um boleto que seria do imposto, mas quando foi ao banco pagar, descobriu que era um golpe. De acordo com a polícia, o falso boleto tinha como banco conveniado uma instituição privada. Até o momento, apenas um caso do golpe foi identificado, mas a Prefeitura de Cuiabá emitiu um alerta para que o contribuinte fique atento na hora de pagar o imposto, que vence em abril. Segundo o município, no momento da quitação, o contribuinte deve perguntar ao caixa do banco se a conta cadastrada realmente é a da prefeitura. O município alerta que os carnês do IPTU foram enviados por Correios aos donos de imóveis prediais, como casas, apartamentos e empresas. No caso de terrenos onde não há construção, o proprietário deve imprimir a guia de pagamento pela internet ou nas lojas de atendimento da Prefeitura de Cuiabá.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Detran alerta população sobre sites que estão emitindo boletos falsos

Sem Comentários

25/07/2017

Um alerta foi emitido pelo Detran-GO para um site falso que vem emitindo falsos boletos de pagamento que direcionam o valor pago a uma conta de terceiros. De acordo com a autarquia, a Polícia Civil já foi acionada para identificar os responsáveis e puni-los, mas é preciso que a população fique atenta ao solicitar boletos para pagar seus débitos. Isto porque a página, que usava o domínio www.detranweb.com, que não pertence ao Detran e é de fora do Brasil, foi bloqueada, mas pode ser reativada com outros IPs. Também foi identificado o domínio falso www.detranonline.com. O site verdadeiro do Detran é o www.detran.go.gov.br e boletos emitidos em qualquer outro endereço não são de responsabilidade do departamento. Ainda segundo o Detran, o golpe vem fazendo vítimas principalmente porque, ao pesquisar “Detran-GO, IPVA ou Licenciamento”, esses sites falsos são os primeiros resultados a aparecer. Ao acessar o endereço, o contribuinte segue passos semelhantes aos que faria no Detran e, por isso, nem sempre confere os dados do boleto. Importante ressaltar que apenas dois tipos de documentos são emitidos pelo Detran-GO: o Documento Único de Cobrança (DUA) e o Boleto, que é entregue na residência do proprietário ou pode ser retirado em uma unidade Vapt Vupt e no site.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Jornal Opção

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Confira dicas para não ser enganado por boleto falso

Sem Comentários

12/07/2017

As compras online são cada vez mais parte da vida do brasileiro. O setor não para de crescer. Após fechar 2016 com R$44,4 bilhões de faturamento, a previsão é que o varejo eletrônico cresça 12% em 2017, faturando quase R$50 bilhões. É preciso ficar atento para não cair em ciladas na hora de comprar pela internet, especialmente no caso dos boletos bancários, segundo meio de pagamento favorito do brasileiro, atrás apenas dos cartões de crédito, e um dos principais alvos dos criminosos. Segundo a Febraban, os golpes em boletos somaram mais de R$380 milhões em 2016. Neste ano, novas regras de registro dos boletos devem dificultar as fraudes, mas, como as mudanças serão graduais, abordando primeiro documentos de alto valor (acima de R$50 mil), algumas orientações foram reunidas para ajudar o consumidor a pagar suas contas de forma segura:

Fique atento aos números do boleto

Pagar boletos tornou-se algo corriqueiro, feito sempre com pressa. Entretanto, uma leitura atenta do documento pode prevenir muitas fraudes, já que a grande maioria contém diversos erros, inclusive nos dígitos verificadores, que ficam no topo do boleto. Uma das formas de identificar uma fraude por meio da sequência de números é ficar atento ao código da instituição bancária emissora, que aparece à direita do logo do banco e nos primeiros três dígitos da linha digitável. Caso os dois números não sejam iguais ou o código não seja o mesmo do banco emissor, o boleto foi falsificado. Outra informação presente nesse código é o valor a ser pago. Os dez últimos dígitos indicam sempre o valor do documento, sem descontos. Logo, se o valor da conta for R$350,00, os últimos dígitos serão 0000035000. Se algum desses dados não bater, não pague o boleto e procure orientação da empresa fornecedora do serviço a ser pago e do banco.

Tome cuidado com a internet

Muitos brasileiros têm seus computadores infectados por vírus sem saber; 5% de todos os PCs que acessam o Internet Banking são infectados. Isso significa que mais de 2,5 milhões de computadores fizeram download de arquivos maliciosos. Um dos principais vírus é da família Banker, que altera o código de barras dos boletos como uma forma de desviar os pagamentos. Como o golpe não altera a data e o valor do documento, costuma passar desapercebido. Para não cair nessa cilada, é crucial estar sempre com um antivírus instalado em sua máquina, além de ter navegadores e aplicativos, como o Java e Flash, atualizados. Além disso, evite gerar boletos em computadores e redes Wi-Fi públicas, uma vez que o risco de invasão e ataque de hackers nesse ambiente é sempre muito maior.

Seja sempre desconfiado

Nos últimos tempos, tem se tornado cada vez mais comum o envio de boletos falsos pelo correio. Golpes de contas de cartão crédito, e até de IPVA, já são conhecidos do brasileiro. Mas o perigo também existe com arquivos enviados por e-mail. Ao receber mensagens com anexos, links e outros dados suspeitos, faça questão de entrar em contato com o remetente da mensagem e checar se as informações recebidas são verdadeiras. Por último, sempre mantenha cópias dos boletos pagos, sejam eles impressos ou online. No caso de ser vítima de algum golpe, os documentos serão necessários para a abertura de boletim de ocorrência.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Crítica

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

‘Golpe dos boletos clonados’ causa prejuízo a empresas e consumidores no RS

Sem Comentários

14/06/2017

Quadrilhas de fraudadores têm acesso a notas fiscais e emitem boletos de cobranças que encaminham o valor pago a contas bancárias dos criminosos. Essa fraude vem prejudicando empresas e clientes no Rio Grande do Sul. O “golpe dos boletos clonados” está cada vez mais comum no estado. Os golpistas conseguem acesso aos dados de vendas realizadas por várias empresas. Eles montam boletos semelhantes aos originais, com valor da dívida um pouco menor. No lugar da conta bancária dos responsáveis pelo produto ou serviço, está a conta da quadrilha, de uma agência de São Paulo. A Polícia Civil tenta localizar os beneficiários dos pagamentos. “Nos parece uma fraude que não é somente local, ela já está se expandindo. Existem outros lugares, outras regiões que já se tem notícias desta mesma fraude”, diz o delegado responsável. Foi o que aconteceu com um empresário, que é proprietário de uma clínica veterinária em Ijuí, no Noroeste do Rio Grande do Sul. Ele conta que recebeu os boletos de três compras que realmente fez, que seriam de empresas da cidade, de Santa Rosa e do Rio de Janeiro. Segundo ele, os títulos enviados por e-mail chegam com um valor menor que o da compra. “Realmente houve a compra e a gente recebe o e-mail nos concedendo um desconto, e isso acaba levando muitas vezes, quando não temos um controle efetivo, que realmente as coisas aconteçam internamente. Quando não há este controle, acaba se pagando e consequentemente há um prejuízo para a empresa”, diz. Outro empresário também é vítima do golpe. Desde janeiro, clientes dele ligam para dizer que estão recebendo os títulos falsos. “Seguramente mais de 500 casos de clientes nossos que receberam boletos e tivemos vários que inclusive pagaram, na confiança”, conta. “O pessoal, às vezes na confiança que tem com a empresa, acabou pagando. Infelizmente pagou um título que não era o nosso”, lamenta.

‘Fragilidades’ nos sistemas

Informada sobre o golpe, a Secretaria Estadual da Fazenda, que gerencia o sistema de Nota Fiscal Eletrônica, diz que foram identificadas “fragilidades” nos sistemas de empresas ao gerar a chave de documentos fiscais eletrônicos. Segundo o órgão do governo, as providências cabíveis estão sendo tomadas. “A vulnerabilidade consiste na não utilização de número aleatório no campo código numérico que compõe a chave de acesso por parte dos emitentes, possibilitando o acesso indevido às informações dos documentos e ocasionando, inclusive, a ocorrência de fraudes”, diz o comunicado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Cuidado com o golpe do boleto

Sem Comentários

23/05/2017

O chamado “golpe do boleto” tem causado inúmeros prejuízos aos consumidores fazendo, em algumas situações, com que os mesmos tenham que pagar duas vezes a mesma conta ou, pior ainda, com que seus dados sejam incluídos em cadastros de inadimplentes. Na prática, o golpe consiste na alteração da linha digitável (aquela sequência de números que vemos no topo do boleto), o que faz com que os valores pagos sejam enviados para contas fraudulentas. Na maioria das vezes, o consumidor somente toma conhecimento da fraude quanto constata que aquela conta continua em aberto. E a pergunta que os consumidores fazem é: de quem é a responsabilidade? O consumidor precisa saber que o Código de Defesa do Consumidor assegura que os fornecedores de produtos e serviços devem garantir que os ambientes onde aconteçam as transações, sejam eles físicos ou virtuais, sejam seguros. E, em se tratando de ambientes onde ocorram pagamentos, a segurança deve ser ainda maior. Tanto é que alguns bancos já estão orientando os seus clientes a conferir, no momento da transação, se o credor para qual irá o valor pago é realmente aquele que aparece como indicado no aplicativo, site ou caixa automático. O consumidor, é claro, deve sempre ficar atento e conferir as informações de forma minuciosa. E, se encontrar alguma irregularidade, deve informar a sua agência e exigir a solução do problema apresentado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tribuna PR

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior