Quadrilha é presa por estelionato em Palmeirina

Sem Comentários

10/07/2018

Nesta segunda-feira (9) em Palmeirina, no Agreste de Pernambuco, quatro homens e uma mulher foram presos estelionato e associação criminosa. Segundo a Polícia Militar, os suspeitos moram em Palmeira dos Índios, em Alagoas. Eles também assaltaram uma mulher e fugiram para a cidade de Angelim, também no Agreste. A polícia conseguiu encontrar os suspeitos e levaram eles para a delegacia. Todos os integrantes da quadrilha vão passar por audiência de custódia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Dupla tenta pagar boletos de R$ 50 mil com cheque adulterado e é presa

Sem Comentários

09/07/2018

Uma dupla foi presa ao tentar pagar boletos com cheques adulterados em uma agência bancária localizada no bairro Alto da XV, em Curitiba. A quantia a ser paga somava R$ 50 mil. O setor de inteligência da Delegacia de Estelionato chegou até os suspeitos após receber a informação de que duas pessoas, identificadas como M.E.A.J., de 22 anos, e P.J.M.R.J., de 23, estariam utilizando cheques adulterados para pagar boletos bancários de alto valor. Segundo o delegado responsável, os dois negaram o crime e disseram que receberam os cheques de um amigo do Rio de Janeiro via correios, e que não sabiam qual era a origem. Ambos foram autuados em flagrante na última sexta-feira (06) pelos crimes de associação criminosa e tentativa de estelionato. Ambos não possuem antecedentes criminais.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF faz operação para desarticular organização especializada em fraudes de precatórios judiciais no RS e DF

Sem Comentários

04/07/2018

Na manhã desta quarta-feira (04), a Polícia Federal cumpriu 10 ordens judiciais no Rio Grande do Sul e no Distrito Federal, que resultaram na prisão de dois advogados e uma empresária em Porto Alegre. A quadrilha é especializada em fraudes de precatórios judiciais. Além das prisões também foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos dois estados. A investigação teve início em abril deste ano, depois da prisão em flagrante desta empresária, presa hoje novamente. Na ocasião, ela tentou sacar R$ 1,3 milhão em uma agência bancária referente a precatório judicial, com a apresentação de documento de procuração falso. Ela havia sido solta e foi presa novamente, em virtude de mandado de prisão temporária. O grupo também usou documentação falsa para negociar precatórios a terceiros interessados. Segundo a PF, uma análise preliminar da atuação da associação criminosa demonstrou que, no período de aproximadamente um mês, o prejuízo superou os R$ 3 milhões. A Operação Rotten Money investiga os crimes de fraude processual, associação criminosa e estelionato qualificado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio de estelionatários que passava cheques falsos é preso em Curitiba

Sem Comentários

29/06/2018

Em Curitiba (PR), dois homens, de 35 e 42 anos, e uma mulher, de 24 anos, foram presos suspeitos de crimes de estelionato. Naturais do estado de Minas Gerais, o trio estava de passagem pela capital paranaense somente para aplicar os golpes. Eles foram apresentados nesta sexta-feira (29), pela Polícia Civil. Segundo o delegado-adjunto da Delegacia de Estelionato (DE), os suspeitos se passavam por funcionários de uma construtora e usavam sites de compras para enganar as vítimas. Os vendedores entregavam produtos e em troca recebiam cheques falsos. A polícia chegou até os suspeitos após cruzar as informações dos boletins de ocorrência registrados na delegacia. Eles foram presos em flagrante em um hotel próximo a Rodoviária, no Centro de Curitiba, onde aguardavam para fazer mais uma vítima. Durante a abordagem vários objetos comprados com a fraude foram apreendidos. No momento da prisão eles não reagiram e confessaram o crime. Com os suspeitos foram encontrados aparelhos eletrônicos e celulares conseguidos por meio do golpe. Os três já têm passagens pela polícia e também agiam em outros estados. Eles ficarão presos em Curitiba e, se condenados, podem pegar até oito anos de prisão pelos crimes de estelionato e associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: CBN

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio é preso aplicando golpes em comerciantes de Votuporanga

Sem Comentários

29/06/2018

Três pessoas foram presas aplicando golpes em comerciantes da região na tarde desta quinta-feira (28), no Jardim Eldorado, em Votuporanga (SP). A polícia chegou até o trio após vendedores informarem a PM que duas mulheres e um homem haviam acabado de efetuar compras com um cartão de crédito clonado. Conforme a Polícia Militar, duas mulheres de 38 e 41 anos, e um homem de 41 estavam aplicando golpes nos comerciantes. A vítima disse que duas mulheres foram a loja de calçados fazendo compras com um cartão de crédito, o qual após consulta constatou-se queixa de fraude e estelionato, ocorrido em Fernandópolis. Em patrulhamento pela rua Amazonas a polícia encontrou os suspeitos com os calçados adquiridos com o cartão clonado. Com eles, foi localizado aparelhos celulares, entre eles um iPhone, cartões de crédito no nome de diversas pessoas, vários calçados, roupas masculinas e femininas, além de dólar. O trio foi encaminhado a Central de Flagrantes de Votuporanga, onde foi verificado que os três são moradores de São Paulo, com passagens por estelionato e receptação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário da Região

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF deflagra 2ª fase de operação que investiga desvios no INSS em Rondônia

Sem Comentários

29/06/2018

Nesta sexta-feira (29), a Polícia Federal (PF) deflagrou mais uma etapa da operação que apura a atuação de uma associação criminosa na agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Ariquemes (RO). Ao todo, estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e 40 policiais federais participam da ação no estado. Segundo a PF, esta é a 2ª fase da Operação Consilium Fraudi. Na cidade de Ariquemes, um grupo vinha obtendo ilegalmente benefícios através do INSS, como pensões, aposentadorias e segurado especial. Tudo mediante ao pagamento de propina. Durante a 1ª fase da operação, feita em março de 2017, a PF constatou a concessão de benefícios previdenciários fraudulentos com a participação de advogados. Segundo investigação, este grupo requeria benefícios e pedidos com documentos falsos. Após ajustar tais benefícios com os servidores do INSS, os pagamentos eram concedidos pela autarquia previdenciária ao grupo. O prejuízo apurado com os desvios previdenciários nesta 2ª fase da operação é de aproximadamente R$ 650 mil. Ainda conforme a PF, todo o prejuízo evitado aos cofres públicos com a operações chega a R$ 3,7 milhões, considerando a expectativa de vida dos beneficiários. Os mandados de busca e apreensão são cumpridos em Ariquemes, Porto Velho e Alto Paraíso.

Afastamento de servidores

Conforme a PF, a Justiça Federal determinou o afastamento de dois servidores do INSS, a suspensão de 14 benefícios previdenciários, a suspensão do exercício da advocacia na área previdenciária de seis profissionais registrados na Ordem dos Advogados do Brasil em Rondônia (OAB-RO), o afastamento do sigilo bancário dos investigados. Também foi decidido pela proibição dos investigados em frequentarem qualquer agência da Previdência Social no país. Os investigados devem responder na Justiça por associação criminosa, falsificação de documentos, uso de documento falso, inserção de dados falsos em sistemas de informação, corrupção passiva, corrupção ativa, entre outras.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia investiga suspeitos de desviarem mais de R$ 11 milhões de clientes de escritório de advocacia no RS

Sem Comentários

21/06/2018

Na manhã desta quinta-feira (21), duas pessoas foram presas pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul que realiza uma operação contra suspeitos de desviarem mais de R$ 11 milhões que deveriam ser pagos a clientes de um escritório de advocacia no estado. Mais de 30 pessoas são suspeitas de envolvimento no caso. Conforme as investigações, os valores que deveriam ser pagos aos clientes desse escritório eram desviados por uma funcionária, que foi presa em Cachoeirinha, em Porto Alegre (RS). Para isso, ela falsificava documentos do sistema da empresa, e repassava o dinheiro para familiares e amigos. Só ela, segundo a polícia, teria desviado R$ 5 milhões. Em sua casa foram encontrados cerca de R$ 35 mil em dinheiro, e foram apreendidos notebook, celulares, passaportes e diversos documentos que serão analisados pela Polícia Civil. O esquema foi descoberto pelo escritório de advocacia, que assim que descobriu o esquema, demitiu a funcionária e denunciou o caso à polícia. Um homem suspeito de atuar como laranja dentro do esquema foi preso por posse ilegal de arma e drogas. Nessa operação da polícia, são investigados os crimes de estelionato, falsidade ideológica, falsidade documental, uso de documento falso e lavagem de dinheiro, envolvendo associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior