Polícia Civil investiga possível estelionato milionário em Jacareí

Sem Comentários

03/07/2019

Segundo os boletins de ocorrência, as vítimas relatam que integravam um grupo de investimentos que tinha contrato com uma empresa sediada no Vila Branca (SP). Pelo acordo, os investidores repassavam dinheiro para a empresa, que garantia ter uma parceria com uma fábrica de roupas de São Paulo (SP). A empresa ficava com o compromisso de repassar o valor acrescido de porcentagem sobre o lucro dos vestuários comercializados pela fabricante. A suspeita de golpe ocorreu na sexta-feira (28), após a responsável pela empresa ter informado o grupo que a suposta fábrica de roupas teria sido fechada. Ela garantiu que estudava uma forma de repassar os valores aos investidores, mas, desde então, deixou de atender aos contatos das vítimas e não foi localizada em sua residência.

De acordo com a Polícia Civil de Jacareí, este possível estelionato já teve o registro de ao menos 39 pessoas no 1º Distrito Policial. O golpe, que teria sido praticado por uma empresa de investimentos, pode acarretar prejuízo milionário aos envolvidos. Em alguns dos boletins, as vítimas afirmam que chegaram a receber a restituição do valor e repasse dos lucros, mas que não saberiam informar a comprovação de existência da fábrica. Na terça-feira (2), foram 27 relatos registrados, e, na quarta-feira (3), até às 11h30, mais 12.

Em relato feito, um representante do grupo chegou a informar ter investido mais de R$ 1 milhão no negócio. Em outros casos, há informações sobre repasse de mais de R$ 200 mil, além de quantias de R$ 161 mil, R$ 100 mil e R$ 63 mil.

A responsável pela empresa não foi localizada. O caso segue sob investigação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Vale

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher é investigada por golpe do falso emprego; polícia identificou cerca de 300 vítimas no DF

Sem Comentários

03/07/2019

Uma estelionatária fez cerca de 300 vítimas de um golpe ao “garantir” vagas de emprego em troca de dinheiro no Distrito Federal (DF). Ela cobrava até R$ 2,5 mil pela suposta contratação em duas empresas prestadoras de serviços gerais. Segundo as vítimas, ela atendia dentro da Administração Regional de Ceilândia. A unidade, porém, afirma que não há funcionários empregados com o nome da estelionatária.

Ainda de acordo com as vítimas,a mulher fazia a primeira abordagem pelas redes sociais e presencialmente mostrava o crachá de uma das empresas para passar credibilidade.

 

 

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio suspeito de estelionato ao aplicar golpes em venda de tijolos é preso em Manaus

Sem Comentários

03/07/2019

Nesta terça-feira (2), três homens foram presos no bairro Colônia Santo Antônio, Zona Norte de Manaus, suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em aplicar golpes envolvendo a venda de tijolos. Durante apresentação, vítimas reconheceram o grupo e registraram um boletim de ocorrência. Outros dois integrantes fugiram. Eles são acusados também por estelionato.

O delegado titular do 18° Distrito Integrado de Polícia (DIP), Ivo Martins, relatou que os suspeitos anunciavam as vendas dos tijolos por um preço muito abaixo do mercado em site de compra e venda. O valor, então, atraía as pessoas. Segundo ele, o grupo já havia sido preso pelo mesmo crime. A Polícia Civil acredita que outras vítimas podem comparecer a unidade policial com a divulgação da imagem dos suspeitos na imprensa.

O caminhão com os tijolos foi apreendidos. O delegado informou que o material será doado para uma instituição de caridade. O trio foi autuado em flagrante por estelionato e associação criminosa. Após apresentação na unidade policial, eles serão encaminhados para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na Zona Sul de Manaus.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.