Detran de Araraquara alerta moradores sobre golpes aplicados em redes sociais

Sem Comentários

01/08/2018

A Superintendência da região de Araraquara (SP) do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) alerta moradores sobre golpes envolvendo oferta de serviços de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), documentação e multas por meio de perfis falsos nas redes sociais. O superintendente informou que as falsas ofertas consistem em diminuir aulas para retirada da CNH e regularização de multas por valores menores. “Recebemos no WhatsApp foto do nosso diretor presidente oferecendo serviços por preços baratos e tomamos as providências rápidas e urgentes porque o Detran não oferece nenhum serviço nas redes sociais”, afirma. A retirada da CNH não pode ser feita pela internet, mas o site do órgão oferece outros 36 serviços eletrônicos já autorizados. O superintendente afirma que além do prejuízo financeiro, os moradores que caírem no golpe entrarão em situação comprometedora e ainda podem sofrer processo penal.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idoso descobre que estranho levou seu cartão de banco em Mogi e tem prejuízo de mais de R$ 3 mil

Sem Comentários

21/06/2017

Na manhã de terça-feira (20), um idoso, de 69 anos, teve um prejuízo de mais de R$ 3 mil depois que seu cartão foi levado por um desconhecido em uma agência bancária de Mogi das Cruzes. Ele contou no 1º Distrito Policial que, por volta das 6h15, tentou fazer uma operação em um terminal de autoatendimento em uma agência bancária, na Avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco. A vítima disse que não conseguiu porque os terminais estavam travados. Neste instante, ele disse que um homem se aproximou e ofereceu ajuda. Em seguida, o homem informou ao idoso que o terminal teria ‘engolido’ o cartão. Mais tarde, ao consultar seu extrato bancário, a vítima relatou que constatou dois saques no valor de R$ 1 mil, cada um, outro no valor de R$ 400, um pagamento do IPVA de R$ 651 e uma compra no valor de R$ 60. O caso foi registrado como estelionato e será investigado.

Dicas de segurança

Telefone

  • Nunca forneça dados pessoais, bancários ou senhas em ligações telefônicas recebidas;
  • Os bancos nunca entra em contanto via telefone solicitando senhas, assinatura eletrônica, códigos de acesso ou outras informações pessoais;
  • Somente informe seus dados pessoais quando você entrar em contato com a Central de Atendimento do seu banco;
  • Não utilize telefones celulares de terceiros para entrar em contato com o Banco. Os dados de sua conta e senha ficam registrados na memória do aparelho.

Caixas eletrônicos

  • Fique atento à presença de pessoas suspeitas. Ao digitar sua senha, evite que outros possam ver o movimento dos seus dedos no teclado;
  • Em caso de dificuldades, não utilize celulares de terceiros para entrar em contato com o Banco. Seus dados ficam registrados na memória do aparelho;
  • Fiação aparente, respingos de cola, fita adesiva e dispositivos obstruindo a saída do dinheiro costuma indicar adulteração do caixa eletrônico. Se ele apresentar esses sinais, não o utilize e entre em contato com a Central de Atendimento;
  • Antes de iniciar a transação, verifique na tela se o equipamento está ativo. Caso contrário, não insira o cartão.

E-mails e links

  • Nunca clique nos links ou arquivos recebidos em e-mails ou mensagens instantâneas não solicitadas. Eles podem instalar programas maliciosos que capturam dados, como número de cartão de crédito e senhas;
  • Desconfie de e-mails com remetente ou conteúdo duvidosos. Endereços falsos em nome de instituições bancárias e órgãos governamentais muitas vezes são utilizados com o objetivo de instalar programas maliciosos no seu computador;
  • Nunca responda e-mails ou telefonemas que peçam seus dados bancários, como número de conta, agência e senhas. Procure utilizar sempre seu computador pessoal para transações bancárias e compras. Computadores públicos ou desconhecidos podem estar infectados com vírus e programas maliciosos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Polícia Civil alerta empresários quanto a prática do crime de “estelionato” na Capital

Sem Comentários

08/06/2017

A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por meio da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor e Defraudações (DECONDE), alerta os empresários de Porto Velho e interior do Estado quanto a prática do crime de “estelionato” com uso de cartões de crédito clonados, utilizando-se da fragilidade da modalidade de venda denominada “Delivery”. Esta modalidade comercial utilizada por empresas locais propõe que o comprador/usuário envie os dados de seu cartão de crédito/débito e de documentos pessoais via e-mail ou pela rede social WhatsApp para a empresa que o usuário esta realizando negócio e assim, depois que a empresa recebe as informações encaminhadas concretiza a venda do produto negociado. Contudo, a modalidade utilizada atualmente já apresenta falhas e prejuízos, pois dias após a realização da compra, chega a contestação das compras realizadas pelos reais titulares dos cartões que foram utilizados ilegalmente por terceiros. Vale ressaltar que a empresa faz a venda acreditando que está negociando com o verdadeiro titular do cartão apresentado, porém em alguns casos, se trata de estelionatários. É importante informar que no município de Porto Velho já foram instaurados dois inquéritos policias com esta prática criminosa, cujos prejuízos somados ultrapassam R$ 120.000,00. Neste caso, a Polícia Civil orienta que ambos os negociadores, comprador e empresariado, busquem se apropriar de modelos e práticas mais seguras de compra e venda de produtos para evitar transtornos e prejuízos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha Nobre

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia distribui panfleto para alertar sobre golpes mais comuns aplicados no RJ

Sem Comentários

16/05/2017

Devido aos vários casos de golpes terem sido registrados na 13ª DP (Ipanema), na Zona Sul do Rio de Janeiro, a equipe da delegada da unidade listou os principais casos com maior incidência, para alertar a população sobre os golpes. Segundo ela, os golpes mais comuns são chamados de ‘Golpe do Motoboy’, ‘Bilhete Premiado’, ‘Golpes do Título Valorizado’ e ‘Troca do Cartão do Banco 24 horas’. Na maior parte dos casos, a ingenuidade e a ambição das vítimas são as principais causas dos golpes. No entanto, crescem os crimes em que a pessoa sequer imagina que foi vítima de um estelionatário. A delegada explica que a principal arma para um estelionato é o poder de convencimento. “Crime de estelionato é um crime sem violência, sem grave ameaça, de pena branda e de ganho expressivos. A arma do estelionato é o poder do convencimento. É você convencer a vítima a entregar o bem. É assim que eles agem”, diz a delegada. Um panfleto informativo, divulgado pela polícia, mostra quais são os principais golpes e como eles são aplicados na região.

 O Golpe do Bilhete Premiado é considerado um antigo golpe mas que ainda é muito usado. Normalmente ele é praticado por dois indivíduos. O primeiro aborda a vítima fingindo ser uma pessoa humilde e com dificuldades para ler. Ele pede informações sobre banco ou endereço e possui um bilhete de loteria. Durante a conversa, o comparsa chega, bem vestido e com boa comunicação. Ele oferece ajuda e descobre que o bilhete está premiado e vale muito dinheiro. O comparsa (pessoa humilde), conta que não sabe como resgatar este dinheiro e propõe dividir o prêmio caso receba ajuda. O comparsa ” bem vestido” aceita o trato, apresenta uma quantia em dinheiro e convence a vítima de que é um bom negócio para que ela também coloque sua parte. Após receber, os criminosos fogem.

Golpe do Motoboy é considerado o mais atual. O criminoso induz a vítima a entregar seu cartão para um motoboy, dizendo ser do banco. O estelionatário fala sobre uma compra ou saque efetuado com o cartão dizendo o valor e a loja. Diante da negativa pede para confirmar se não perdeu o cartão e afirma que ele foi clonado. Ele solicita digitar a senha do cartão para iniciar o procedimento de bloqueio e diz que vai mandar um motoboy pegar o cartão. Para dar mais credibilidade, o criminoso diz que deve cortar ou quebrar o cartão e entregar junto com uma carta de próprio punho afirmando não ter feito a compra. De posse do cartão e da senha o criminoso faz compras até acabar o limite.

Golpe do Título Valorizado os estelionatários usam nomes de empresas conhecidas do ramo. Eles ligam oferecendo grande lucro sobre títulos de empresas extintas. Alegam ser funcionários de instituições públicas ou privadas interessados em comprar ou vender títulos antigos. Eles informam que a pessoa tem direito a algum valor e fornecem números de telefone para entrar em contato. Em alguns casos, alugam salas para receber as vítimas e explicam que é necessário quitar débitos de impostos para ter direito ao pagamento. Fazem depósitos na conta da vítima com cheques sem fundos ou com envelopes vazios no caixa eletrônico para ganhar tempo e conseguir mais dinheiro. O valor depositado por eles é estornado pelo banco e a vítima fica sem nada.

No ‘Golpe da Troca do Cartão no Banco 24 horas’ o estelionatário cria um obstáculo para depois oferecer ajuda. Em muitos casos esse obstáculo é fictício. Os criminosos tentam fazê-lo pensar que prendeu o cartão, o dinheiro ou que a máquina tem problema, enquanto um mostra-se solícito e lhe pede para repetir a transação, o comparsa fica do lado e decora sua senha. Ele ajuda a retirar o seu cartão, troca por outro e lhe devolve. De posse da senha fazem saques e empréstimos na conta da vítima.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Guardas são capacitados para identificar documentos falsos de veículos em Várzea Grande

Sem Comentários

30/03/2017

Agentes da Guarda Municipal de Várzea Grande (MT), durante esta semana, participaram de uma capacitação promovida pelo Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) e a Secretaria de Estado de Segurança Pública sobre a identificação de documentos falsos de veículos. De acordo com o comandante da Guarda Municipal, além da teoria os agentes municipais puderam verificar na prática das diferenças dos documentos emitidos pelo Detran-MT e os falsos. “Eles tiveram acesso a esses papéis, e a diversas situações em abordagens do cotidiano com a veracidade de um documento de veículo, e se ele é legal ou não”, explicou o comandante. A capacitação complementa o trabalho diário de prevenção, segurança e estratégia da Guarda Municipal de Várzea Grande. “A ideia é prevenir o trânsito de veículos roubados no município com documentos falsos ou mesmo utilizados para golpes, crimes, sequestros e tráfego de drogas”, alerta o comandante.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha Max

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.