Motorista apresenta documento falso de carro clonado à polícia e é preso por receptação

Sem Comentários

18/12/2012

Na zona rural de Três Lagoas, na rodovia BR-262, um homem, de 38 anos, foi preso em flagrante por receptação, uso de documento falso e adulteração de sinal identificador de veículo. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), após ordem de parada, durante a checagem dos documentos, os policiais suspeitaram da autenticidade do CRLV do veículo e notaram características de clonagem nele. Então, fizeram uma minuciosa investigação, que confirmou a suspeita. De acordo com a PRF, trata-se de um carro com placas originais do Rio de Janeiro (RJ) e com registro de furto/roubo do dia cinco de junho deste ano. À polícia, o motorista disse que sabia que o carro era clonado e fruto de um furto/roubo. Ele disse ainda que, pegou o veículo em Sumaré (SP) e o deixaria em um posto de combustível em Campo Grande. Ele não revelou quanto ganharia pelo serviço. O homem foi preso e levado para a Delegacia de Polícia Federal em Três Lagoas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: JPNews

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Ex-policial militar é preso com carro roubado em Cuiabá

Sem Comentários

28/11/2017

Nessa segunda-feira (27), no Bairro CPA II, em Cuiabá, a polícia prendeu um ex-policial militar com um carro roubado. Conforme a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (Derrfva), J.C.R.B.Ferreira disse que comprou o veículo de um homem no Bairro Dom Aquino. O carro foi roubado no dia 24 de novembro de 2016. Na ocasião, a proprietária do veículo, um EcoSport, trafegava nas proximidades do bairro Consil, quando foi surpreendida por quatro homens em um carro prata. Dois deles desceram armados, pediram para que a vítima saísse e fugiram do local levando seu veículo. O EcoSport branco, que tem placas de São Paulo, foi localizada no bairro CPA II. Em checagem, foi constatado que a placa pertencia a outro automóvel, pois não era correspondente ao chassi. O condutor disse aos policiais que era dono de um lava jato e estava indo devolver o carro para o proprietário. A equipe acompanhou o suspeito até a casa do cliente. No local foram atendidos por um homem identificado como J.C.R.B.Ferreira, que confirmou a versão do proprietário do lava jato. Ele é ex-policial militar, exonerado da instituição pelo crime de tráfico de drogas. Ao ser perguntado sobre o fato do veículo se tratar de produto de roubo, o ex-PM alegou que comprou o carro de um homem no bairro Dom Aquino e que pagou a quantia de R$ 20 mil. Após o acordo, o ex-policial alegou que não teve mais contato com o vendedor e que estava em posse do EcoSport há 1 ano. O documento do veículo, apresentado pelo suspeito, aparentava grosseiros sinais de falsificação. Jean afirmou que o documento era cópia da versão original. Ele responderá pelos crimes de receptação, adulteração de sinal identificador de veículo e uso de documento falso. O ex-PM será apresentado em audiência de custódia.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia do DF prende 6 em ação contra roubo de carros e falsificação de documentos

Sem Comentários

19/10/2017

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu seis pessoas preventivamente (por tempo indeterminado) e cumpriu dez mandados de busca e apreensão em uma operação que apura a existência de um grupo especializado em roubar veículos a mão armada, adulterá-los e ainda falsificar documentos. A operação ocorreu em Sobradinho, em Santa Maria e em Valparaíso de Goiás, no Entorno. “Trata-se de um grupo armado de extrema periculosidade, que praticava assaltos a veículos com o objetivo de comercializá-los junto a receptadores após serem clonados”, afirmou o delegado da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (DRFV). A investigação aponta que após adulterar os carros e forjarem os documentos, os suspeitos ainda revendiam os veículos. Também costumavam usar para praticar outros crimes. Segundo a polícia, o líder do grupo tem 28 anos e é foragido do presídio de Cristalina desde 2015, com histórico de participação em facções criminosas. Há dois mandados de prisão contra ele em aberto. Para chegar até eles, os investigadores fizeram diligências e “campana” em frente aos locais onde o grupo agia para esconder e adulterar os veículos. No dia 15 de agosto, por exemplo, um suspeito é fotografado buscando um documento falso com o líder do esquema. Segundo o delegado, os suspeitos fizeram pelo menos oito vítimas. Ao todo, três carros foram recuperados. A operação é chamada de “Circuitus” porque em latim quer dizer Entorno, em referência à atuação do líder, que morava na cidade de Valparaíso. São investigados os crimes de associação criminosa armada, roubo circunstanciado, receptação, falsificação de documento público e adulteração de sinais identificadores.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Presa quadrilha que falsificava documentos e adulterava veículos no ES

Sem Comentários

28/09/2017

Oito pessoas acusadas de participar de uma organização criminosa especializada em falsificar documentos, vender veículos roubados e de fraudar débitos junto ao Detran foram presas durante a “Operação Tsunami”, realizada pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV). Apontada como a chefe do esquema, uma mulher, de 44 anos, que atuava de forma clandestina como despachante, está foragida. Além dela, a polícia procura um homem, de 45, que participava na adulteração dos veículos roubados. As investigações da delegacia duraram 9 meses e um total de 18 pessoas foram indiciadas pelos crimes. A quadrilha atuava em três frentes. Falsificava documentos como carteiras de identidade e habilitação, documentos de veículos e notas fiscais. O grupo também quitava, irregularmente, débitos de licenciamentos e multas junto ao Detran hackeando contas bancárias de terceiros por meio da internet. Para completar a “trilogia” do crime, eles adulteravam e vendiam veículos fruto de furtos ou roubos. Segundo a polícia, as investigações resultaram em um inquérito policial com 389 páginas, finalizado por meio de um relatório conclusivo de 39 páginas enviado à Justiça nessa segunda-feira (25). O relatório aponta que a mulher era a responsável por receber do homem os nomes e contatos de possíveis interessados em quitar débitos com o Detran de forma fraudulenta. De posse dos nomes, ela intermediava as negociações entre os interessados e o “hacker” (que ainda não identificado), recebendo valores em sua conta – em geral, aproximadamente 60% do valor da dívida. Já um aposentado, de 62 anos, além de encaminhar os nomes e contatos para a mulher, também participava da falsificação de documentos e da adulteração de veículos, uma vez que, durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão em sua residência, foram encontrados diversos documentos falsificados ou em branco, bem como placas e documentos de veículos clonados. Outro preso pelo esquema, um empresário, de 54 anos, está, segundo a polícia, diretamente relacionado à falsificação de documentos e da clonagem e receptação de veículos, sendo que sua participação foi comprovada tanto por meio do cumprimento de mandados de busca e apreensão como pelo depoimento de outros envolvidos. Os investigados responderão por diversos crimes, como furto qualificado mediante fraude, apropriação indébita, receptação, receptação qualificada, falsificação de documento público, uso de documento falso, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e organização criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Gazeta Online

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso com CNH falsa e carreta com chassi adulterado no RN

Sem Comentários

13/09/2017

Em Mossoró, na BR-304, nesta quarta-feira (13), um homem de 30 anos foi preso com uma carreta bitrem com chassi adulterado e documentos falsos. Ele é suspeito ainda de despejar areia granulada higiênica para gatos no meio ambiente. A prisão aconteceu em uma fiscalização de rotina. Com relação ao veículo, segundo a assessoria de comunicação da PRF, há um histórico de irregularidades praticadas pelo motorista. Na segunda-feira (11), ele foi contratado por uma empresa na cidade de Campina Grande (PB), para transportar a carga de areia granulada higiênica para gatos, até a Florianópolis (SC), onde foi pago à vista o valor de R$ 6.460 pelo frete. Segundo a PRF, decorridos dois dias, a empresa foi informada por pessoas ligadas a ela sobre uma carreta que estaria descarregando areia, em algumas cidades da Paraíba e também no Rio Grande do Norte. “Inclusive passou a receber, via rede social, informações sobre a suposta poluição do meio ambiente”, informa a Polícia Rodoviária em nota. Ainda segundo informações da PRF, ao tomar conhecimento dos fatos, e procurando se resguardar de qualquer demanda judicial, a empresa registrou queixa em uma delegacia de Polícia Civil no estado da Paraíba. A empresa relatou o pagamento de um frete para o transporte de um produto seu que, segundo denúncias, estaria sendo extraviado. Na abordagem ao suspeito, os policiais foram informados por populares de que aquela carreta estaria envolvida em crimes contra o meio ambiente. No detalhamento da fiscalização, os policiais constataram que o veículo apresentava sinais de adulteração do chassi, bem como que os documentos do caminhão eram falsificados. Verificou-se também que a Carteira de Habilitação (CNH) do motorista era falsa. Diante dos flagrantes, foi dada voz de prisão ao caminhoneiro, sendo ele encaminhado com o veículo à Delegacia de Polícia Federal de Mossoró, onde foi autuado pelos crimes de falsidade ideológica, uso de documentos falsos e por adulteração de sinais de identificação de veículo automotor.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso por uso de documento falso e adulteração de veículo na Via Dutra, em Itatiaia, RJ

Sem Comentários

09/09/2017

Na noite de sexta-feira (08) na Via Dutra, em Itatiaia, no Sul do Rio de Janeiro, um homem foi preso por uso de documento falso e por adulteração de sinais identificadores de veículo automotor. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista, de 37 anos, foi abordado em uma caminhonete de luxo no km 318, durante a fiscalização da Operação Égide. Segundo a PRF, agentes observaram que o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) apresentado possuía diversos indícios de falsificação. Foi realizada inspeção de identificação veicular e constatado sinais de adulteração no chassi. O condutor foi encaminhado à Polícia Federal de Volta Redonda, onde foi autuado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Trio é preso suspeito de integrar quadrilha ‘profissional’ de clonagem de carros na PB

Sem Comentários

03/08/2017

Três homens foram presos na quarta-feira (02) suspeitos de integrarem uma quadrilha de clonagem de veículos. Eles foram presos em João Pessoa. Com os suspeitos a polícia encontrou seis veículos, impressoras 3D, ferramentas, documentos em branco. Os suspeitos foram levados para Central de Polícia, no bairro do Geisel, em João Pessoa. Segundo o delegado de roubos e furtos de veículos, o trabalho de roubo e clonagem feito pela quadrilha é praticamente imperceptível. “Nunca tinha visto um profissionalismo como o apresentado pela quadrilha para adulteração dos veículos. A olho nu não existe alguém que diga que o veículo foi adulterado”, comentou. Os suspeitos alteravam não só o chassi, mas também o número serial das peças do carro, como caixa de marcha, motor, vidro, etc. O delegado contou que foi preciso uma análise minuciosa, usando equipamentos eletrônicos, para confirmar a clonagem. “Inclusive, carros clonados por eles foram apreendidos e liberados em seguida, como se fossem originais porque passavam em algumas perícias. Dos três, dois eram responsáveis por roubar os carros em estados vizinhos à Paraíba. O terceiro era o responsável pela adulteração dos veículos. Ele apresentou um documento falso e a polícia conseguiu identificar que na verdade se tratava de um dos fugitivos da penitenciária de Parnamirim, no Rio Grande do Norte. A Polícia Civil da Paraíba segue investigando o envolvimento de outros suspeitos na organização criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior