Presa quadrilha que falsificava documentos e adulterava veículos no ES

Sem Comentários

28/09/2017

Oito pessoas acusadas de participar de uma organização criminosa especializada em falsificar documentos, vender veículos roubados e de fraudar débitos junto ao Detran foram presas durante a “Operação Tsunami”, realizada pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV). Apontada como a chefe do esquema, uma mulher, de 44 anos, que atuava de forma clandestina como despachante, está foragida. Além dela, a polícia procura um homem, de 45, que participava na adulteração dos veículos roubados. As investigações da delegacia duraram 9 meses e um total de 18 pessoas foram indiciadas pelos crimes. A quadrilha atuava em três frentes. Falsificava documentos como carteiras de identidade e habilitação, documentos de veículos e notas fiscais. O grupo também quitava, irregularmente, débitos de licenciamentos e multas junto ao Detran hackeando contas bancárias de terceiros por meio da internet. Para completar a “trilogia” do crime, eles adulteravam e vendiam veículos fruto de furtos ou roubos. Segundo a polícia, as investigações resultaram em um inquérito policial com 389 páginas, finalizado por meio de um relatório conclusivo de 39 páginas enviado à Justiça nessa segunda-feira (25). O relatório aponta que a mulher era a responsável por receber do homem os nomes e contatos de possíveis interessados em quitar débitos com o Detran de forma fraudulenta. De posse dos nomes, ela intermediava as negociações entre os interessados e o “hacker” (que ainda não identificado), recebendo valores em sua conta – em geral, aproximadamente 60% do valor da dívida. Já um aposentado, de 62 anos, além de encaminhar os nomes e contatos para a mulher, também participava da falsificação de documentos e da adulteração de veículos, uma vez que, durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão em sua residência, foram encontrados diversos documentos falsificados ou em branco, bem como placas e documentos de veículos clonados. Outro preso pelo esquema, um empresário, de 54 anos, está, segundo a polícia, diretamente relacionado à falsificação de documentos e da clonagem e receptação de veículos, sendo que sua participação foi comprovada tanto por meio do cumprimento de mandados de busca e apreensão como pelo depoimento de outros envolvidos. Os investigados responderão por diversos crimes, como furto qualificado mediante fraude, apropriação indébita, receptação, receptação qualificada, falsificação de documento público, uso de documento falso, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e organização criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Gazeta Online

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Comentários

*