Policiais que davam cobertura a fraude contra idosos pegam penas de 10 a 53 anos de prisão

Sem Comentários

11/10/2017

Três policiais civis que deveriam garantir a segurança do cidadão foram condenados por dar cobertura a um esquema de fraudes com saques bancários em que as vítimas eram principalmente idosos. Juntas as penas aplicadas pela juíza da 3ª Vara Criminal de Brasília, aos agentes somam 76 anos e 10 meses em regime fechado. Dois dos envolvidos no episódio já são conhecidos pela prática de crimes, perderam os cargos na Polícia Civil do DF e estão na prisão por sentenças como extorsão, roubo e furto. É o caso de A.C. e L.A.J., condenado agora a mais 53 anos e quatro meses, e de L.C.N.S., que leva mais 10 anos e seis meses. Na ativa, o agente M.S.D. recebeu uma pena de 13 anos de reclusão.

Mandados fakes, uso do rádio e roubos dos ladrões

Segundo denúncia, do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial (NCAP) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), confirmada pela Justiça, A.C., L.C.N.S. e M.S.D. davam proteção a criminosos que se passavam por funcionários do banco e se ofereciam para ajudar o cliente na hora de sacar dinheiro no caixa eletrônico. Os bandidos trocavam os cartões do banco e decoravam as senhas para levar o dinheiro logo depois das transações efetuadas pelas vítimas nas máquinas. A ação era facilitada pelo apoio dos policiais que cooptavam colaboradores durante as investigações sobre estelionatos e por meio de informantes. Além disso, eles tinham informações privilegiadas obtidas por meio de interceptações telefônicas que apontavam golpistas prontos para agir. Os agentes ainda forjavam mandados de busca e apreensão para roubar dos ladrões máquinas e cartões usados no esquema. Em seguida, davam suporte na hora do furto, com ajuda dos aparelhos de comunicação das viaturas, impedindo que policiais honestos barrassem a ação dos bandidos. Da sentença, cabe recurso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Comentários

*