Polícia Civil recupera avião que foi furtado por meio de golpe, em Goiás

Sem Comentários

12/03/2017

Neste domingo (12), em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, a Polícia Civil conseguiu recuperar um avião de quase R$ 1 milhão que foi furtado, em Jataí, no sudoeste de Goiás. De acordo com a corporação, o dono da aeronave tentou vender o veículo, mas os compradores fraudaram uma transferência bancária. O delegado responsável pelo caso, informou que a vítima é um empresário que fez a denúncia assim que descobriu que o dinheiro não havia sido transferido para sua conta. “Segundo a vítima, seis pessoas se apresentaram como representantes de um empresário, que nunca apareceu. Eles negociaram muito por telefone até que combinaram um encontro no sábado (11) em Goiânia para fazer a venda. A vítima enviou seu filho para cuidar da transação e a quadrilha apresentou a ele um extrato bancário falso e fraudou uma transação para a conta da vítima. Em seguida, eles pegaram a aeronave, contrataram um piloto e voaram para Luziânia”, explicou. Mendes esclareceu que, ao perceber que o valor não havia sido transferido para sua conta, a vítima acionou a Polícia Civil. A corporação encontrou o avião e apurou que a quadrilha tinha a intenção de voar para a Bolívia e suspeita que o grupo usaria a aeronave para tráfico internacional de drogas. “Os autores são pessoas muito bem vestidas, educadas, que falam bem. Um piloto que foi sondado por eles e recusou o serviço nos disse que desconfiou da pressa deles em sair do país. Outro piloto, que aceitou o trabalho, disse que recebeu adiantado e que os empregadores não deixaram contato algum. Além disso, apuramos que o modelo de avião é o mais usado para o tráfico de drogas porque suporta muito peso”, esclareceu. Segundo o investigador, todas as informações foram repassadas à Polícia Federal em Brasília, que deve investigar a tentativa de contrabando de drogas. Já a Polícia Civil de Goiás segue a procura dos autores do estelionato que resultou no furto do avião.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Comentários

*