Duas mulheres são presas suspeitas de furtar cartão de crédito e fazer compras em shopping de Goiânia

Sem Comentários

11/11/2018

No sábado (10), duas mulheres foram presas suspeitas de furtar um cartão de crédito e fazer compras de roupas, celulares e perfumes em um shopping de Goiânia. Segundo o Comando do Policiamento da Capital (CPC), elas são de São Paulo e vieram à capital goiana para aplicar golpes. Os policiais militares localizaram as mulheres após a esposa do dono do cartão informar a uma equipe da PM sobre o furto. Conforme o CPC, os agentes entraram em contato com um segurança do shopping, que localizou e deteve a dupla. As mulheres relataram que abordaram o titular do cartão em um caixa eletrônico, momento em que pegaram os dados dele. Logo depois, segundo o relato policial, elas compraram roupas, celulares, malas, mochilas, sandálias e perfumes. Aos policiais, uma delas ainda apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa. No entanto, a equipe encontrou o documento verdadeiro escondido embaixo do tapete do automóvel alugado por ela. Os militares ainda apreenderam com as mulheres cinco máquinas de cartão e R$ 2,6 mil. Os policiais levaram a dupla para a Central de Flagrantes da Polícia Civil. Segundo o CPC, elas foram autuadas em flagrante por estelionato e, uma delas, por uso de documento falso.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpistas são presos tentando fazer empréstimo em banco de Guarujá

Sem Comentários

12/11/2018

Policiais da Delegacia de Guarujá prenderam em flagrante três homens que tentaram obter financiamento bancário no valor de R$ 30 mil para adquirir um Toyota Corolla avaliado em R$ 75 mil. O golpe era realizado em um banco da Avenida Puglisi, 315, no Centro. Residente em Rio Claro (SP) e portando documentos falsos em nome de P.L., N.S.C., de 63 anos, abriu inicialmente conta nessa agência para depois obter o financiamento por meio de fraude. Para o sucesso do golpe, ele contava com a colaboração de dois homen , de 35 e 38 anos, moradores em Piracicaba e Rio Claro. No final da tarde da quinta-feira (08), o trio foi preso por investigadores, que agora apuram a participação dos acusados em outras fraudes bancárias. Os policiais detiveram o homem logo após ele sair do banco. Esse acusado fez gestos aos comparsas, que já estavam na rua, informando-os de que algo estava dando errado. Os policiais apuraram que o suspeito, recentemente, também se passou por P.L. para obter financiamento de veículo em outra agência bancária. O trio foi autuado em flagrante por tentativa de estelionato e associação criminosa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: A Tribuna

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homens são presos ao usar cartões clonados para comprar roupas

Sem Comentários

12/11/2018

Através de uma denúncia anônima, a Polícia Militar prendeu dois homens por estelionato. Eles coletavam dados bancários das vítimas e usavam o cartão para comprar produtos em um shopping na Rodovia dos Bandeirantes, em Itupeva (SP). O caso ocorreu no sábado (10), após os policiais militares receberem a informação de que um veículo Fiat Palio com placa de São Paulo estaria sendo utilizado na prática do crime. Em patrulhamento, os policiais conseguiram abordar o veículo ocupado por dois homens, um de 45 anos e com passagem criminal pela prática de furto a banco e o outro, de 38, com passagem por estelionato. No carro foram localizados roupas, relógios, bonés e um óculos que haviam sido comprados em Itupeva, com os cartões clonados. Inicialmente ambos negaram o crime, mas entraram diversas vezes em contradição, assim sendo, acabaram admitindo o estelionato e descreveram a forma de atuação. Os homens confessaram que o golpe aconteceu durante este final de semana em caixas 24 horas, coletando dados bancários e senhas das vítimas para, posteriormente, usarem na compra dos produtos. Eles foram autuados em flagrante e levados para a 2ª Delegacia Seccional de Polícia, em Campinas, onde acabaram sendo reconhecidos por uma vítima.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: O Liberal

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia Civil de Paulínia interdita dois estacionamentos por suspeita de estelionato

Sem Comentários

08/11/2018

Nesta quinta-feira (08), em Paulínia (SP), a Polícia Civil interditou temporariamente dois estacionamentos de compra e venda de veículos por suspeita de estelionato. Doze pessoas registraram boletins de ocorrência sobre veículos que tinham sido vendidos, mas sem o pagamento pela venda. Os dois locais pertencem ao mesmo proprietário e, segundo o delegado responsável pela ação, a Polícia Civil realizou o trabalho de busca e apreensão nos comércios. “O objetivo da operação foi exatamente a busca e apreensão dos veículos. Os envolvidos serão formalmente indiciados pela prática de estelionato com as vítimas”, afirma o delegado.

Um homem deu um veículo no valor de R$30 mil e comprou outro no valor de R$68 mil, mas ainda não conseguiu regularizar a documentação. O gerente do estacionamento explica que a empresa passa por dificuldades financeiras e garantiu que os clientes serão ressarcidos. “Não há problema nenhum, ninguém está fungindo de nada. O problema está sendo resolvido e creio que nos próximos dias vai estar tudo sob controle”, afirma. Na tarde desta quinta, a operação foi suspensa a pedido da Justiça. A advogada do proprietários dos estacionamentos informou que o pagamento dos clientes afetados será feitos em dez dias.

Funcionário dos Correios em Pequeri é preso suspeito de estelionato contra um idoso

Sem Comentários

08/11/2018

Um funcionário dos Correios de Pequeri foi preso nesta quarta-feira (07) suspeito de estelionato contra um idoso de 86 anos. Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o homem de 40 anos não repassou ao idoso o valor total de retirada do benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O idoso teria ido à Agência e recebido apenas R$ 117,10, sendo R$ 17,10 de correspondências para o Rio Grande do Sul. Não teria sido entregue a ele o comprovante do saque.

O caso

Ao chegar em casa, a filha do idoso entranhou o valor e entrou em contato com a agência bancária. Por telefone, ela foi informada que o saque na verdade teria sido de R$ 517,10, o que foi comprovado após o idoso retirar o extrato bancário na agência. A Polícia localizou o suspeito e deu voz de prisão em flagrante pelo crime de furto. Em depoimento, o homem afirmou ter devolvido a diferença do valor ao idoso e o comprovante do saque. Entretanto, os funcionários da agência encontraram o recibo do saque no estabelecimento. Foi verificado nas imagens do circuito interno da agência que o suspeito entregou apenas duas notas de R$ 50 ao idoso. O homem foi levado à sede da Polícia Federal e posteriormente encaminhado para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Juiz de Fora.

Grupo é preso suspeito de falsificar documentos de veículos, escrituras e procurações na Grande Goiânia

Sem Comentários

08/11/2018

Nesta quinta-feira (08), dez homens foram presos durante a Operação Cartório do Crime, realizada pela Polícia Civil na Grande Goiânia. Entre eles há despachantes e donos de escritórios de contabilidade e de uma autoescola. A investigação tem o objetivo de desarticular um grupo suspeito de falsificar documentos de veículos, atestados médicos, escrituras e procurações. “Eles cobravam de R$ 100 a R$ 5 mil por cada documento, dependendo da complexidade”, disse o delegado responsável. Além das prisões, os policiais cumpriram 17 mandados de busca e apreensão em Goiânia, Abadia de Goiás e Trindade. Nos locais, as equipes encontraram materiais para a produção dos documentos, como impressoras e selos falsificados. Também havia documentos originais de carros que estavam em branco.

Em nota, o Departamento Estadual de trânsito de Goiás (Detran-GO) disse que solicitou informações junto à Polícia Civil para tomar as medidas cabíveis. A investigação da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva) durou oito meses. Conforme o delegado, os falsificadores agiam há pelo menos três anos. Ele explicou que três presos são os responsáveis pela falsificação dos documentos. Eles foram presos nas respectivas casas, localizadas nos setores Aeroporto, Parque Oeste Industrial e Jardim Planalto, em Goiânia. Segundo a investigação, os detidos cometiam as fraudes nas próprias residências. Já os agenciadores são dois proprietários de escritórios de contabilidade, quatro despachantes de veículos e o dono de uma autoescola. “Eles eram os responsáveis por conseguir os clientes, fazer o contato com os falsários e, depois, entregar os documentos falsificados”, explicou Viera.

A polícia ainda apura qual a finalidade do grupo com as falsificações dos documentos. “As falsificações dos documentos subsidiavam vários outros crimes. Com essa operação estamos combatendo o furto e roubo de veículos, o estelionato e outros crimes contra a administração pública”, afirmou o delegado. Os presos foram indiciados por associação criminosa, falsidade de documentos públicos e particulares e falsidade ideológica. As penas dos crimes, somadas, podem chegar a 10 anos de prisão.

Operação contra fraude de R$ 45 milhões na Receita Federal prende seis pessoas em Curitiba

Sem Comentários

06/11/2018

Nesta terça-feira (06), em Curitiba, seis pessoas foram presas preventivamente – sem prazo determinado – em uma operação que apura fraude de, pelo menos, R$ 45 milhões na Receita Federal nos últimos cinco anos. As prisões foram confirmadas pela Polícia Federal (PF). Entre os detidos estão funcionários da Receita, advogados, contadores e empresários. Também foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão, inclusive na sede da Receita na capital. As prisões ocorreram pela suspeita de crimes contra a ordem tributária, estelionato, corrupção, organização criminosa, lavagem de dinheiro e ocultação de bens. Há, também, servidores afastados das funções. Os mandados foram expedidos pela 14ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, que também determinou o bloqueio de valores – de R$ 5 mil a R$ 1 bilhão – de contas bancárias de 24 pessoas físicas e jurídicas.

A Operação Mendacius investiga uma suposta organização criminosa especializada em procedimentos irregulares de compensações e reduções de tributos e contribuições federais. Segundo a Receita Federal, as áreas de inteligência fiscal, arrecadação e cobrança, além da corregedoria do órgão auxiliaram na investigação. Dezenas de empresas, inclusive de outros estados, buscavam a contratação dos serviços da suposta organização criminosa para fraudarem, entre outras situações, dados inseridos em Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF), informou a Receita. As empresas beneficiárias das fraudes atuam em vários ramos, principalmente industrial, de segurança patrimonial e vigilância e de construção civil. Parte delas, segundo a Receita, atuam em licitações e contratos com a administração pública.

Anterior Próximo