Homem leva golpe de R$ 17,5 mil em compra de camionete por site em MS; polícia dá dicas para evitar problemas

Sem Comentários

25/12/2017

Em Campo Grande, na semana passada, um homem de 57 anos teve um prejuízo de pelo menos 17.557,46 ao tentar comprar uma camionete por um site de compras. A Polícia Civil dá diversas dicas para evitar este tipo de golpe. “Não existe pagar dívidas de carro para comprar. A gente orienta a vítima de furto para que se encontrar no site [o seu bem] procure a polícia que ela vai atrás”, afirmou a delegada da 4ª Delegacia de Polícia. Segundo a polícia, vários vendedores têm exigido depósitos antecipados para garantir a preferência na compra, mas o negócio é feito de forma direta e sem esse tipo de obrigação. No caso da compra da camionete, a vítima pagou R$ 2.135 para alguns reparos para ser aprovado na vistoria, R$ 5.248,28 de uma dívida ativa e R$ 4.236,91 por causa da alienação do banco. O suposto vendedor ainda apresentou uma procuração em nome da proprietária legal do veículo para pagar os débitos no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) no valor de R$ 2.937,27. Além disso, a vítima repassou R$ 3 mil em dinheiro para o vendedor. Mas quando chegou o momento da transferência do veículo, foi informado que o vendedor não queria mais continuar com a negociação e não venderia mais a camionete. A vítima procurou a polícia e registrou o boletim de ocorrência por estelionato.

Dicas

Para evitar situações como essa, a polícia orienta o comprador a verificar se o produto foi furtado ou roubado. Em caso de flagrante de automóvel em situação irregular, pode ser enquadrado como receptação, que tem pena de 1 a 4 anos de prisão e multa. Duvide de valores muito abaixo do mercado e se o veículo for usado, deve verificar se há algum sinal de adulteração. A comprovação de compra é fundamental para tentar provar que o comprador não sabia sobre o crime e foi enganado pelo vendedor. É importante buscar informações sobre o site, com amigos ou familiares, verificando se há reclamações no cadastro do Procon. Também deve ficar atento com os procedimentos para reclamação, devolução do produto, prazo para entrega. Outro ponto a ser analisado é sobre as medidas que o site adota para garantir a privacidade e segurança dos usuários. Os dados da compra, como nome do site, itens adquiridos, valor pago e forma de pagamento, número de protocolo da compra ou do pedido, devem ser todos guardados. Identificar o endereço físico da empresa e os dados cadastrais, como CNPJ é importante em caso de reclamação. O consumidor pode checar os dados cadastrais da empresa acessando registro. E exigir Nota Fiscal.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Comentários

*