Golpe com cheques sem fundo e furtados faz dezenas de vítimas no Sul do ES

Sem Comentários

11/02/2019

Um estelionatário está usando cheques sem fundo e também furtados para aplicar golpes em cidades da região Sul do Espírito Santo. A ação foi denunciada por quatro vítimas nesta segunda-feira (11), que registraram queixa na delegacia de Cachoeiro de Itapemirim. A suspeita da polícia é que mais de 40 pessoas já tenham sido lesadas. Até o momento ninguém foi preso. Conforme a Polícia Civil, o crime conhecido como “envelope vazio” é realizado com comprovantes de depósitos falsos. O uso de cheques dificulta que a vítima perceba que trata-se de um golpe, uma vez que o valor aparece no comprovante de depósito enviado pelo criminoso para a vítima antes do banco avisar que não havia fundos para a transação. Uma dona de casa, que estava vendendo uma moto em Cachoeiro de Itapemirim, foi vítima do golpe na semana passada. Ela foi enganada pelo homem, que se apresentou como empresário e entregou um cheque sem fundo na compra do veículo. A vítima entregou a moto e só percebeu o golpe quando foi olhar a conta, que não possuía o dinheiro da transação. “Depositei o cheque de R$ 5 mil que ele me deu e fiquei aguardando o dinheiro entrar. Nisso, ele me ligou dizendo que havia feito o depósito, mas pegou e depositou um envelope vazio e me enviou o comprovante. Fiquei esperando o dinheiro cair na conta e nada. Foi quando tirei o extrato e trouxe aqui na delegacia. Fui informada que o cheque estava bloqueado por ser roubado”, explicou. O homem que vem aplicando golpes na região foi identificado pela Polícia Civil. Ele também é suspeito de aplicar outros golpes, como a compra de uma lancha no valor de R$ 15 mil e de um carro. “Mais de 40 pessoas já caíram no golpe somente aqui na nossa região, em Cachoeiro de Itapemirim, Itapemirim e Barra”, disse a dona de casa, que diz que a partir de agora ficará mais atenta ao fazer anúncios de produtos na internet. A Polícia Civil informou que segue investigando o caso. Até a publicação da reportagem o criminoso ainda não havia sido preso.

Comentários

*