Estelionato contra idosos aumenta no Rio mesmo com penas mais duras

Sem Comentários

09/01/2018

O endurecimento da pena pelo crime de estelionato contra idosos, ocorrido em 2015, não se refletiu na diminuição dos casos. Pelo contrário, os números aumentaram no Estado do Rio de Janeiro: foram mais de 11 mil em 2016. Os números de 2014 e 2015 já indicavam , respectivamente, 9,2 mil e 9,6 mil. A pena por estelionato é de 1 a 5 anos. Contra idosos, a pena aumentou para 2 a 10 anos. Em Copacabana, bairro com a maior população idosa do Rio de Janeiro, os moradores lamentaram a alta dos números. “Isso no telefone é todo dia, oferecendo diversas vantagens, cartão, recuperação de dinheiro. Antigamente, eu denunciava, agora nem faço isso mais na delegacia, porque não adianta”, afirmou um aposentado, morador do bairro. Eles contam que, na maioria das vezes, sabem que trata-se de um crime. “Vem sempre uma pessoa jovem, querendo conversar, ‘tem muita facilidade’, e você sabe que dinheiro não cai do céu”, alertou uma idosa, também aposentada. A Polícia Civil, que possui uma delegacia especializada no assunto, a Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade, falou sobre os casos mais frequentemente registrados na unidade. “É muito importante que o cuidado venha da família: orientar os idosos, não dar dados pessoais, cartão bancário, CPF. Aqui nós temos muitos crimes de violência contra os idosos e crimes econômicos, estelionatos, seja oferecendo prêmios mirabolantes ou dinheiro”, relata o delegado titular. Ele citou como exemplo uma denúncia de um idoso que assinou documentos para receber um prêmio no valor de R$ 4 mil. Um mês depois, foram feitos empréstimos de R$ 20 mil com os dados dele. “Iniciamos uma investigação, já conseguimos identificar o local onde foi feita a documentação, e a investigação vai prosseguir”, disse.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Comentários

*