Motorista é preso com documento falso

Sem Comentários

13/12/2017

Na manhã desta quarta-feira (13), um homem de 38 anos foi preso, depois de apresentar um documento falso à equipe da Polícia Rodoviária Federal. Ele conduzia um Honda Fit com placas de Londrina pela BR-369, em Cornélio Procópio. Depois da verificação da PRF, o homem confessou que pagou R$ 1 mil pelo documento. Ele foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia Federal de Londrina.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Massa News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende trio suspeito de usar cartão clonado em Taguatinga

Sem Comentários

13/12/2017

Na noite de terça-feira (12), três homens foram presos pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), após realizarem compras em um shopping de Taguatinga usando cartões clonados. Os prejuízos são de aproximadamente R$ 21 mil. Os suspeitos fazem parte de uma quadrilha e foram encaminhados para a 21º delegacia de polícia (Taguatinga Sul). Segundo a polícia, por volta de 22h, os seguranças do shopping desconfiaram da movimentação, após dois homens efetuarem uma compra no valor de R$ 20 mil em uma loja e acionaram a PM. Ao chegar no estabelecimento, os militares encontraram os dois suspeitos detidos pelos seguranças com os objetos adquiridos e os  os cartões clonados. Um deles informou que um terceiro envolvido estaria aguardando em um carro do lado de fora do shopping. Após revista ao interior do veículo, os policiais o localizaram celulares e óculos, avaliados em R$1 mil reais.  O trio foi conduzido para a 21ª DP (Taguatinga Sul), onde ficou constatado após consulta, que os detidos faziam parte de uma quadrilha especializada em clonagem de cartões e ostentavam diversas passagens. O trio foi autuado em flagrante por estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homens são presos tentando utilizar procuração falsa para sacar R$ 1 milhão de banco em Arapiraca, AL

Sem Comentários

12/12/2017

Na cidade de Arapiraca, no Agreste de Alagoas, duas pessoas foram presas em flagrante enquanto tentavam sacar, de forma fraudulenta, R$ 1 milhão de reais em uma agência bancária. A informação foi divulgada pela Polícia Civil (PC) nesta terça-feira (12). E.A.S., de 45 anos, e C.E.S.S., de 54, foram presos na segunda (11). Ainda segundo a polícia, eles apresentaram uma procuração falsa que seria de uma pessoa falecida, e tentavam sacar dinheiro que seria referente a um precatório. Os dois foram autuados em flagrante por estelionato e levados para a delegacia. A prisão foi efetuada por uma equipe da Seção de Roubo a Banco (Serb) da PC, e contou com o apoio do Núcleo de Inteligência (NI) e da Seção de Antissequestro (SAS), da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), e Delegacia Geral de Polícia Civil (DGPC).

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PMDF prende suspeito de falsificar cartões de crédito e RG

Sem Comentários

12/12/2017

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) prendeu um homem de 30 anos por falsificação de documentos. O flagrante ocorreu por volta das 17h de segunda-feira (11), no Itapoã. Segundo a Instituição, os documentos continham dados pessoais de vítimas de estelionato. Os golpes praticados pelo criminoso somam R$ 60 mil. O falsificador foi identificado após denúncias de que um Fiat Palio, de cor amarela, estaria circulando na região do Paranoá e Itapoã com homens armados que, segundo informações de populares, ameaçavam algumas pessoas. Os policiais conseguiram localizar o veículo. Durante a abordagem, o condutor demonstrou bastante nervosismo. Os militares foram até a casa da mãe do suspeito. No quarto do rapaz, foram encontrados um notebook, um tablet Samsung, três máquinas de cartão de crédito, dezenas de cartões bancários clonados, sem impressão, além de cinco identidades falsas (todas com a mesma foto, mas com nomes diferentes). Um saco com dezenas de contas da Companhia Energética de Brasília (CEB), documentos diversos, espelhos impressos preenchidos, um papel com números, nomes e RGs impressos, um pendrive, um máquina fotográfica e dezenas de notas falsas também foram localizados pelos policiais. O suposto estelionatário assumiu ser o proprietário dos objetos apreendidos pela PM e não autorizou o desbloqueio de seu aparelho celular, alegando a existência de negociações indevidas. Ele foi encaminhado para a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), onde foi preso em flagrante por falsificação de documentos públicos, furto mediante fraude e falsificação de moeda.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Metrópoles

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Compradores afirmam ter caído em golpe imobiliário em Varginha, MG

Sem Comentários

12/12/2017

Em Varginha (MG), catorze pessoas denunciam serem vítimas de um golpe imobiliário. Elas afirmam que após comprarem as casas na planta, os imóveis não foram entregues. Segundo as vítimas, o dono da construtora pedia uma entrada para o pagamento de taxas e documentos e dizia que o imóvel seria entregue em até seis meses. Mas isso não acontecia. Uma auxiliar administrativa conta que vendeu duas motos e pegou dinheiro da poupança para dar como entrada no valor do projeto, mas não recebeu as chaves do imóvel. “A gente já está no final de 2017 e até hoje eu não tenho a casa e não tenho mais o meu dinheiro. Porque o meu dinheiro foi entregue na mão dele para fazer essa casa e ele não fez”, reclama. Um marceneiro conta que quando foi até o cartório, descobriu que a escritura do imóvel que havia comprado estava, na realidade, no nome de outra pessoa. “Fui lá ao cartório de imóveis e constou que o terreno que ele me ofereceu não era dele. Era de outra pessoa, inclusive era do dono do loteamento. Nessa brincadeira eu perdi R$ 29,5 mil”, diz. Uma contadora chegou a ter um prejuízo ainda maior. Ela investiu cerca de R$ 140 mil para construir uma casa, que nem ficou pronta. “Toda hora ele me pedia dinheiro. Eu tirei empréstimos em três bancos, vários cheques, e toda vez ele me pedia e a casa continuava a mesma coisa, não saía do lugar, tudo igual”, relata. A advogada das vítimas diz que o representante e dono da construtora agiu de má fé. “O vendedor tem uma incorporadora e construtora, mas os contratos foram feitos em nome da pessoa física do sócio majoritário da empresa. E esses contratos não foram levados para registro e nem ao menos têm firma reconhecida”, conta. Ainda segundo a advogada, os compradores vão entrar com uma ação coletiva no Ministério Público contra o homem. “O crime é o artigo 171 do Código Penal, e o Ministério Público vai tomar as providências cabíveis e nós vamos pedir uma intervenção coletivamente”. R.H.N.Silva, que é dono da construtora, nega ter aplicado algum tipo de golpe. Em conversa com a equipe de reportagem ele garante que já entregou as casas e que atualmente só assume as dívidas com cinco clientes. Por meio de nota, a construtora diz que as denúncias e reclamações não procedem. O comunicado diz ainda que a empresa, como qualquer outra do ramo, passou por dificuldades, mas que está cumprindo com suas obrigações.

Compradores reclamam que imóveis não foram entregues até hoje pela construtora

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia desarticula golpe a site de compras pela internet na Região Metropolitana

Sem Comentários

12/12/2017

Na manhã desta terça-feira (12), a Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI) e a Delegacia de Roubos cumpriram um mandado de busca e apreensão na casa de um casal em Esteio, Região Metropolitana, que aplicava golpes a um site de compras na internet. A prática do crime ocorria há seis anos. De acordo com a titular da DRCI, o casal criava cadastros de empresas falsas no site Mercado Livre, simulava compras e vendas de softwares do segmento de móveis planejados e, depois, aproveitavam-se da vantagem de ressarcimento sobre os produtos não recebidos. Segundo a delegada, é possível que os estelionatários tenham usado softwares falsos e CPFs falsos para, em seguida, reclamarem à empresa pelo produto não recebido e receberem o dinheiro novamente, por meio da compra garantida. Na residência do casal, que irá responder em liberdade, foram encontrados um notebook, dois aparelhos celulares, um HD externo, quatro cartões de banco e um do PagSeguro. Ainda não há informações dos valores obtidos nos últimos seis anos com o golpe, nem se outras pessoas ou empresas foram lesadas.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Gaúcha ZH

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Cibercrime pode causar prejuízos para vítimas no Natal

Sem Comentários

11/12/2017

Uma pesquisa de uma multinacional de tecnologia especializada em integração de rede, segurança e data centers, realizada com seus clientes em 58 países estima que quem compra presentes online corre o risco de perder entre US$ 50 e US$ 5 mil, ou R$ 160 e R$ 16 mil, por golpe. Assim como ocorre no comércio, os cibercriminosos aproveitam a época para reforçar suas táticas e lucrar em cima dos incautos. Nas próximas semanas, a empresa prevê um aumento em campanhas de phishing (golpe com isca) por e-mail, ataques de ransomware (sequestro de dados pessoais e arquivos digitais), trojans bancários (sites e e-mails falsos se passando por bancos reais) e sites fraudulentos que promovem ofertas fictícias como pacotes de férias. Outros truques usados são notificações falsas do status de entrega de encomendas, que levam o usuário a clicar em links maliciosos; e-mails indesejados de ofertas especiais, e recibos falsos de compras online que levam a vítima a abrir arquivos anexos que permitem o ransomware. Os dados mais desejados pelos hackers são os dados do cartão de crédito e informações de identificação pessoal como nomes de usuários, senhas e detalhes que sites acessam com frequência. De posse desse conteúdo, o criminoso pode usá-lo para se passar pela vítima em diversos sites e plataformas online.

Dicas para se precaver

  • Ensine crianças, pais idosos, e parentes que não são experientes na web para ficarem mais atentos aos detalhes na hora da compra;
  • Nunca use Wi-Fi público ao fazer compras online
  • Nunca abra e-mails, clique em links ou abra anexos de fontes desconhecidas
  • Nunca compartilhe seus nomes de usuário, senhas ou outras informações pessoais online
  • Fique de olho no ícone visível de cadeado no navegador para confirmar a criptografia. Isso significa que o website em que você está comprando é uma loja segura e confiável.
  • Use seu cartão de crédito ao invés do cartão de débito
  • Não armazene os detalhes do cartão online ou logins e senhas de acesso aos sites de e-commerce
  • Certifique-se de que seu antivírus e sistema operacional estejam atualizados em todos os aparelhos
  • Cheque seus extratos bancários com frequência e imediatamente relate cobranças não autorizadas ou suspeitas ao seu banco

Ler a notícia na íntegra

Fonte: É Assim

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior Próximo