Idoso de 71 anos é preso em flagrante após se passar por delegado para aplicar golpe em empresários na Bahia

Sem Comentários

15/04/2019

Um idoso de 71 anos foi preso em flagrante, após se passar por delegado para aplicar golpes em um empresário da região de Entre Rios, cidade a cerca de 130 km de Salvador. Segundo a Polícia Civil, o homem já vinha sendo investigado desde o início do ano, pelo crime estelionato. Ainda de acordo com a polícia, M.V.B. foi preso na sexta-feira (12), quando se passava por delegado do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e tentava aplicar um golpe em um dono de posto de gasolina da cidade. A polícia contou que ele forjou que a água do estabelecimento estava contaminada e exigiu o pagamento de R$10 mil. Conforme o delegado, o idoso era investigado desde janeiro deste ano, depois que moradores da região ligaram para informar sobre a atuação dele.

“Desde janeiro que o pessoal estava incomodado com esse indivíduo, que vinha aplicando golpes. Ele inventa e aponta irregularidades, e cobra para que os estabelecimentos não sejam fechados”, afirmou o delegado. Na sexta, o idoso foi pego em flagrante com a quantia de R$ 5 mil, depois que um empresário ligou para a polícia. “O dono do posto ligou pra gente depois que ficou desconfiado da situação. O homem ligou e disse que estava com o dinheiro, que iria pagar ao idoso, mas que ligou pra gente para falar da situação. A gente foi até o local e, quando chegamos lá, no escritório do posto, estava a vítima e o homem com a quantia de R$ 5 mil em mãos”, afirmou o delegado. O idoso foi preso e encaminhado para a delegacia da cidade, mas liberado depois de pagar fiança. Ele responderá em liberdade pelo crime de estelionato.

Em novo golpe, criminosos enviam boletos falsos por SMS. Saiba como se proteger

Sem Comentários

15/04/2019

Comparecer ao banco para pagar uma conta já é, praticamente, uma cena do passado. Hoje, esse serviço está ao alcance de poucos toques no seu smartphone graças aos aplicativos bancários, que conquistam os clientes pela praticidade e suas múltiplas funcionalidades. No entanto, junto às inovações, vêm também os cibercriminosos, que aproveitam o cenário para aplicar fraudes e enganar os consumidores. O golpe da vez, por exemplo, envia boletos falsos às suas vítimas via SMS – e pode parecer bem real à primeira vista. Centenas de vítimas relataram o recebimento destes boletos enganosos em um site de reclamações. Foi o que aconteceu com um estudante, que viu uma cobrança exorbitante com um código de barras digitado em sua caixa de mensagens. “Chamou a atenção o valor elevado. Eu já fui cliente NET e teria que ter aos menos uns 7 contratos para pagar tanto assim em uma mensalidade. Sem contar que a mensagem está muito mal escrita”, conta. Os títulos de pagamento costumam vir em nome de empresas prestadoras de serviço, principalmente do segmento de telefonia e televisão por assinatura. No caso de uma jornalista, a fatura falsa recebida tinha valor idêntico à “verdadeira” que ela precisava pagar, e ela só não caiu no golpe porque reconheceu que o canal oficial de comunicação da empresa não era o SMS. Ela conta ainda que, em outro episódio, o que entregou a fraude na mensagem falsa foi o link para acesso ao boleto.

Como se proteger?

Para um especialista em tecnologia e segurança mobile, as potenciais vítimas devem se ater aos detalhes para não cair em golpes. “Muitas vezes a pessoa que recebe esta cobrança nem chega a ter vínculo contratual com a falsa fonte cobradora. Mas, se tiver, ela pode observar outros pontos, como: a grafia da mensagem, o número de origem e suspeitar de URLs encurtadas, pois elas são um forte indício de golpe”, alerta. O especialista aponta que os golpes podem ser mais sérios do que parecem e deixar um prejuízo ainda maior. “Algumas destas mensagens vêm com links para que a vítima acesse e consiga visualizar o boleto. Neste momento é aberta uma nova janela, onde o criminoso instala um vírus, capaz de roubar senhas bancárias e de serviços online. A partir de então, eles podem clonar os cartões e fazer compras pela internet. Por isso nunca abra links não confiáveis”, orienta.

Homem é vítima de estelionato e perde mais de R$ 33 mil em transferências

Sem Comentários

16/04/2019

Na tarde de de segunda-feira (15), um homem, de 55 anos, procurou a polícia depois de ser vítima de estelionato e perder mais de R$ 33 mil em Campo Grande. O golpe foi descoberto por funcionários do banco. Conforme informações do boletim de ocorrência, a vítima recebeu uma ligação do funcionário de um banco, onde é correntista, informando que foram identificadas quatro movimentações na conta do homem, somando o valor de R$ 33.261,62. O primeiro pagamento feito pela conta foi no dia 11 de abril no valor de R$ 8.295,94. No dia seguinte, outro DOC (Documento de Ordem de Crédito) de R$ 8.390,00 foi realizado para uma conta de outro banco. Ontem, mais dois pagamentos de R$ 8.225,68 e R$ 8.350,00 foram debitados da conta da vítima. A vítima negou que tivesse realizado as transferências e os dois últimos valores foram estornados. O caso foi registrado como estelionato na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. A Polícia Civil investiga o caso.

Homem apresenta documento falso em delegacia e é preso em Maceió

Sem Comentários

12/04/2019

Na sexta-feira (12), um homem identificado como B.G.S. foi preso em flagrante pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC). Ele é natural de Pernambuco e esteve na delegacia para apresentar um falso Boletim de Ocorrência do estado de Sergipe. O sujeito informou que teria sido vítima do crime de roubo de cargas. Porém, em contato com a Polícia Civil de Sergipe, a DRFVC confirmou que o documento era falso, e logo em seguida foi dado voz de prisão a ele. A delegada responsável pela prisão informou que há outras investigações em andamento na mesma modalidade do crime, nas quais o motorista entrega a carga, simula o roubo e apresenta falsos Boletins de Ocorrência.

Duas mulheres são presas ao tentarem dar golpe no INSS

Sem Comentários

15/04/2019

Duas mulheres foram presas ao tentarem reativar um benefício previdenciário de amparo ao idoso cancelado por fraude no último dia 12 de março. A aposentada J.M.B.L., de 66 anos, e a agricultora J.F.B., de 33, foram flagradas na agência do INSS de Escada (PE). A idosa usou documentos falsos para desbloquear a aposentadoria, criada de forma fraudulenta possivelmente por uma quadrilha que atua em vários estados. Funcionários da agência já sabiam da irregularidade e ficaram atentos quando a idosa disse que precisava reativar o benefício para receber os valores atrasados de janeiro. Ao ser constatado o golpe, as duas mulheres foram detidas e a Polícia Militar foi acionada. Encaminhadas para a Polícia Federal, as duas suspeitas foram autuadas por uso de documento falso. As penas variam de dois a seis anos de reclusão, além de multa. No depoimento, a idosa informou que precisava de dinheiro para comprar os remédios de diabetes e por isso aceitou a proposta de um aliciador para que fosse até a agência previdenciária sacar valores de benefícios fraudulentos. Ela receberia R$ 300 por cada benefício sacado. A mulher disse, ainda, que recebia toda a documentação pronta e que não é a primeira vez que fazia esse tipo de saque ilegal. A segunda suspeita informou que também foi aliciada e que seu papel seria apenas o de acompanhar a idosa, que tem problemas de locomoção, para retirar os valores de seu benefício e para isso receberia R$ 200,00. Na audiência de custódia, a idosa teve a sua prisão preventiva confirmada e foi encaminhada para a Colônia Penal Feminina. A outra mulher foi liberada. Segundo a PF, a quadrilha costuma convocar mulheres e também idosas com problemas financeiros.

Operação prende empresário suspeito de esquema de agiotas em Lavras, MG

Sem Comentários

12/04/2019

Na manhã da sexta-feira (12), uma operação do Ministério Público prendeu um empresário apontado como líder de uma rede de agiotagem em Lavras (MG). Investigações apontaram que o suspeito atua em uma organização criminosa envolvida com falsidade ideológica, documentos falsos, corrupção e lavagem de dinheiro. A operação é um desdobramento de outras operações contra fraudes em shows, que aconteceram em 2013 e 2015. O empresário S.E.P., apontado como líder da rede de agiotas, foi preso durante a manhã. Ele já havia sido denunciado em outras operações do MP na cidade. “A operação de hoje é um desdobramento da Operação VIP pois o líder da organização criminosa hoje investigada também participou e foi denunciado na operação VIP. De lá para cá, as investigações foram ganhando corpo e agora foi deflagrada a operação”, explicou o promotor responsável.

Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão. Em 13 imóveis, alguns de servidores públicos, foram encontrados CD’s, documentos, agendas, computadores, anotações e notas promissórias com esquemas dos agiotas. Estava previsto o cumprimento de um mandado de busca no Fórum de Lavras, mas as buscas não foram autorizadas pela Justiça.

“O objetivo da operação foi dar cumprimento a esses mandados de busca e apreensão para angariar provas dos crimes que estão sendo investigados, como organização criminosa, lavagem de dinheiro, agiotagem, corrupção, uso de documento falso e falsidade ideológica”, explicou o promotor. Segundo as informações do Ministério Público, foi identificado o envolvimento de servidores públicos de várias áreas. Os servidores teriam criado uma rede de proteção e vazamento de informações sigilosas. A Operação Octopus foi realizado pelos núcleos do MP de Varginha e Passos, além da Promotoria de Justiça de Lavras e Receita Federal. Pelo menos seis auditores da Receita Federal, 46 policiais, nove promotores e 14 servidores do MP participaram da operação.

Grupo suspeito de estelionato é preso com cédulas de RGs, cartões e documentos falsos em MT

Sem Comentários

14/04/2019

No sábado (13), em Cuiabá, um grupo composto por três homens e uma mulher foi preso, suspeito de crimes de estelionato. A polícia chegou até os suspeitos, após denúncias de que o carro ocupado por eles teria participado de roubos em vários bairros da cidade. Conforme o boletim de ocorrência, após denúncias de que um Corolla de cor prata estaria envolvido em vários crimes de roubo, a Polícia Militar conseguiu localizar e apreender o veículo. Dentro do carro os policiais encontraram várias cédulas de RG em branco, fotografias e cartões bancários e de lojas, que eram usados para aplicar golpes em estabelecimentos comerciais. Durante a abordagem, todos os suspeitos apresentaram documentos falsos. A mulher, identificada apenas como Érica, apresentou documento com outro nome, depois os policiais identificaram que era falso. Outro suspeito detido foi C.F.Souza, que tentou enganar a polícia apresentando um documento que tinha a foto dele, porém estava em nome de outro homem. O terceiro suspeito estava com documentos que, segundo os policiais, também apresentavam indícios de falsificação. A quarta pessoa presa era o condutor do Corolla. Todos foram encaminhados para a Central de Flagrantes.

Anterior Próximo