Através de cadastro biométrico, PF descobre homem que tinha dois títulos de eleitor no RN

Sem Comentários

11/02/2019

Nesta segunda-feira (11), a Polícia Federal cumpriu, na Zona Norte de Natal, um mandado de busca e apreensão para combater o delito de falsificação de documentos para fins eleitorais. O homem alvo da ação tinha três documentos de identidade falsos, além de dois títulos de eleitor. A fraude foi descoberta por causa do cadastramento biométrico da Justiça Eleitoral. A operação aconteceu no bairro de Nossa Senhora da Apresentação, Zona Norte de Natal. A investigação começou após provocação realizada pela Justiça Eleitoral, que informou a existência de um eleitor cadastrado com perfis biométricos semelhantes, mas com documentação de cadastro eleitoral diferente, o que evidenciava uma possível fraude.

Durante as investigações, foi constatado que o suspeito possuía três identidades, sendo uma da Paraíba e outras duas no Rio Grande do Norte. Através do trabalho de perícia datiloscópica, os investigadores constataram que o suspeito fazia uso de diferentes documentos, o que possibilitou a prática da fraude eleitoral e a expedição de mais de um título de eleitor vinculados às cidades de São José do Mipibu e Monte Alegre. “O cumprimento da busca e apreensão teve como objetivo arrecadar documentos e/ou informações sobre esta e outras fraudes praticadas pelo acusado que responderá pelos crimes de inscrição fraudulenta de eleitor, falsificação de documento público para fins eleitorais, inserção de dados falsos em documento público para fins eleitorais e uso de documento falso, cujas penas somadas poderão, em caso de condenação, alcançar 22 anos de reclusão”, informou a Polícia Federal, em nota. Esse tipo de crime deverá ser cada vez mais combatido, após a implantação do cadastro biométrico promovido pela Justiça Eleitoral. “Fica praticamente impossível a fraude não ser detectada”, informou.

Dupla acusada de golpe tenta comprar policiais

Sem Comentários

12/02/2019

Duas pessoas praticaram golpe em uma idosa de Cordeirópolis, subtraindo da vítima o valor de R$ 2,5 mil. A Polícia Civil e a Guarda Civil Municipal da cidade iniciaram investigações para deter os acusados. As prisões ocorreram ontem e a dupla tentou comprar os policiais. Eles usavam documentos falsos. Os dois acusados, L.F.F., de 40 anos, e L.F.S.S., de 27 anos, usavam um Renault Megane, com placas de Rio Claro. Depois do crime contra a idosa, as placas do automóvel foram adicionadas na muralha digital e o sistema apontou que eles retornaram ontem ao Município. GCMs e policiais civis fizeram a abordagem dos dois. Eles se passavam por vendedores de enxovais e estavam com documentos falsos. Uma habilitação apreendida pelos agentes chamou a atenção. “Ela é muito parecida com a original. Tem todos os detalhes que a verdadeira tem”, descreveram os policiais. Além de ser muito semelhante, outra situação que chamou a atenção dos agentes é que os dados do documento pertencem a um cadeirante. A dupla foi conduzida à delegacia, onde foi constatado que um deles, o mais velho, era procurado pela Justiça. “Eles ofereceram dinheiro, tentando nos corromper”, completaram. O delegado responsável autuou ambos por corrupção ativa, uso de documento falso e estelionato. Os produtos, celulares e documentos falsos foram apreendidos.

Com tornozeleira, estelionatário é preso tentando comprar com documento falso

Sem Comentários

11/02/2019

Um homem, de 41 anos, que estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, foi preso em flagrante por estelionato. Ele tentou comprar um carro usando documento falso. O caso aconteceu na última sexta-feira (08), mas foi divulgado nesta manhã (11) pela Polícia Civil. Policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (Defurv), foram acionados pelo proprietário de uma garagem de veículo, localizada na Avenida Manoel da Costa Lima. Um cliente havia tentando financiar veículo com documento falso. Ao analisar a documentação, o banco financiador constatou que os dados não coincidiam. Os investigadores, então, orientaram o garagista a combinar a entrega do veículo ao cliente no dia 08 de fevereiro, ocasião em que os policiais, disfarçados de clientes da garagem, aguardaram o momento em que o suspeito apresentou a RG com outro nome, porém com sua fotografia, além de uma conta de água que também era falsificada. O sujeito foi autuado em flagrante por estelionato na forma tentada, uso de documento falso e associação criminosa. Outros integrantes da associação, como a mulher que intermediou a negociação entre a garagem e o suspeito, e o homem que repassou os documentos falsificados para ele, já foram identificados e estão sendo procurados.

Golpe com cheques sem fundo e furtados faz dezenas de vítimas no Sul do ES

Sem Comentários

11/02/2019

Um estelionatário está usando cheques sem fundo e também furtados para aplicar golpes em cidades da região Sul do Espírito Santo. A ação foi denunciada por quatro vítimas nesta segunda-feira (11), que registraram queixa na delegacia de Cachoeiro de Itapemirim. A suspeita da polícia é que mais de 40 pessoas já tenham sido lesadas. Até o momento ninguém foi preso. Conforme a Polícia Civil, o crime conhecido como “envelope vazio” é realizado com comprovantes de depósitos falsos. O uso de cheques dificulta que a vítima perceba que trata-se de um golpe, uma vez que o valor aparece no comprovante de depósito enviado pelo criminoso para a vítima antes do banco avisar que não havia fundos para a transação. Uma dona de casa, que estava vendendo uma moto em Cachoeiro de Itapemirim, foi vítima do golpe na semana passada. Ela foi enganada pelo homem, que se apresentou como empresário e entregou um cheque sem fundo na compra do veículo. A vítima entregou a moto e só percebeu o golpe quando foi olhar a conta, que não possuía o dinheiro da transação. “Depositei o cheque de R$ 5 mil que ele me deu e fiquei aguardando o dinheiro entrar. Nisso, ele me ligou dizendo que havia feito o depósito, mas pegou e depositou um envelope vazio e me enviou o comprovante. Fiquei esperando o dinheiro cair na conta e nada. Foi quando tirei o extrato e trouxe aqui na delegacia. Fui informada que o cheque estava bloqueado por ser roubado”, explicou. O homem que vem aplicando golpes na região foi identificado pela Polícia Civil. Ele também é suspeito de aplicar outros golpes, como a compra de uma lancha no valor de R$ 15 mil e de um carro. “Mais de 40 pessoas já caíram no golpe somente aqui na nossa região, em Cachoeiro de Itapemirim, Itapemirim e Barra”, disse a dona de casa, que diz que a partir de agora ficará mais atenta ao fazer anúncios de produtos na internet. A Polícia Civil informou que segue investigando o caso. Até a publicação da reportagem o criminoso ainda não havia sido preso.

Empresário suspeito de estelionato no Piauí é preso em Manaus

Sem Comentários

11/02/2019

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí através da  Polícia Civil de Esperantina comunicou que no início da tarde desta segunda-feira (11) foi dado cumprimento ao mandado de prisão preventiva em desfavor de L.A.S., pelo crime de estelionato. No ano de 2015 centenas de vítimas registraram boletins de ocorrência noticiando serem vítimas do crime de estelionato em modalidade conhecida como compra premiada. L.A.S. era o proprietário de uma empresa de prêmios utilizada para aplicar as fraudes. Desde o início das investigações ele encontrava-se foragido da comarca de Esperantina. O prejuízo causado as vítimas é milionário. O  inquérito já foi relatado e enviado  à justiça local em janeiro de 2019. O suspeito foi preso em Manaus pela 17° DIP  da Polícia Civil do Amazonas em uma operação que contou com o apoio do Laboratório de inteligência cibernética do Ministério da Justiça .

Funcionária de banco impede que mulher de Mogi caia no golpe do conserto do carro

Sem Comentários

08/02/2019

Uma funcionária de um banco impediu que uma mulher de 57 anos tivesse um prejuízo de R$ 1.450. A mulher que mora em Mogi das Cruzes foi vítima do golpe do conserto do carro. O caso foi registrado como estelionato nesta quinta-feira (07) no 1º Distrito Policial. A mulher contou que recebeu uma ligação de um homem que se identificou como um primo. Ele disse que estava com o carro quebrado perto de Atibaia e precisava de dinheiro para o conserto. Em seguida, ela falou com um homem que se identificou como o socorrista do veículo. Ele passou o número da conta que ela deveria depositar o dinheiro para o conserto do carro. A vítima foi ao banco e fez um depósito de R$ 1.450 na conta indicada. Mas ao conversar com uma funcionária da agência, constatou que se tratava de um golpe e o dinheiro foi bloqueado pelo sistema do banco. Ela disse que aguarda o estorno do valor pelo sistema bancário.

Estelionato virtual aparece em 1º lugar no ranking dos crimes praticados na internet no TO

Sem Comentários

10/02/2019

Em Tocantins, o estelionato virtual apareceu em primeiro lugar no ranking dos crimes praticados na internet em 2018. De acordo com a Polícia Civil, foram registradas 223 ocorrências. O furto qualificado com abuso de confiança também está na lista, com 67 casos. E em terceiro, os crimes contra a honra, como injúria e difamação, com 58 ocorrências. Conforme a delegada especializada em crimes cibernéticos, os criminosos mudaram a maneira de agir e veem na internet um meio fácil para praticar crimes. “O que percebemos hoje é que há uma renovação no modo de agir. Crimes que anteriormente eram praticados de modo mais tradicional, hoje encontra facilidades no ambiente virtual. Isso não só encoraja como provoca um certo aumento, não de crimes virtuais, mas da mudança do modus operandi daquele crime”. O estelionato virtual é praticado muitas vezes por hackers, pessoas que têm um vasto conhecimento na área de informática. Em alguns casos, eles usam vírus ou clonagem de sites. O objetivo é fazer com que o usuário acesse a página. Nesse momento, os criminosos passam a ter acesso a dados, como por exemplo, de contas bancárias. Desde 2017, o Tocantins conta uma delegacia especializada em crimes cibernéticos.

Anterior Próximo