Criminosos clonam contas de WhatsApp para aplicar golpes; veja como se proteger

Sem Comentários

14/01/2019

O WhatsApp mais uma vez está servindo como meio para aplicar golpes. Criminosos estão clonando contas do aplicativo para se passar por parentes ou amigos das vítimas e pedir a transferência de dinheiro para conta de laranjas. Uma professora, de 51 anos, que preferiu não se identificar, levou um susto ao receber a mensagem do número de uma amiga: — Temos um grupo de amigas, de mais de duas décadas. Nos falamos muito em grupo. No começo do mês passado (06 de dezembro) uma delas que é “super certinha” me chamou no privado para pedir dinheiro emprestado. Conforme a vítima, o perfil da amiga afirmou que precisava de R$ 2.270 para pagar uma conta com urgência. — Ela me garantiu que depositaria o valor no dia seguinte. Como a conheço e sei que é uma pessoa correta, fiz a transferência — relata. A professora não desconfiou que a conta passada pela “amiga” estivesse no nome de um homem. A polícia conseguiu identificar o responsável pela conta: um adolescente de 17 anos. Quando pensava que havia ajudado a amiga, o perfil falso pediu mais R$ 2 mil. — Ai fiquei desconfiada. Entrei no Facebook da minha amiga e nele havia uma mensagem afirmando que o WhatsApp dela havia sido clonado e estavam pedindo dinheiro em nome dela — conta. A amiga que teve a conta clonada, também professora, descobriu que estava sem seu WhatsApp quando criminosos tentaram extorquir dinheiro da filha dela. — Minha filha me ligou umas 20h perguntando se eu estava bem. Aí, falou que eu havia pedido dinheiro, mas ela desconfiou e, aí, percebemos que minha linha havia sido clonada. A professora tentou cancelar sua linha de celular imediatamente. O procedimento, no entanto, só pôde ser feito no dia seguinte. Enquanto a linha da professora não era bloqueada, a quadrilha entrou em contato com mais três amigas dela, que não caíram no golpe.

Proteja-se do golpe

Como agem os criminosos?

  • Após o bandido obter dados pessoais de um usuário, ele liga na companhia telefônica se passando pelo cliente e habilita um novo chip de celular com o mesmo número, apesar de não ter roubado o aparelho.
  • O criminoso se passa por parente ou amigo da vítima, para facilitar a transferência de dinheiro para contas de laranjas.
  • Depois de ter conseguido o número da conta corrente ou do cartão de crédito, utilizando outro método fraudulento, o golpista consegue evitar que o correntista receba alertas de compras ou códigos de segurança (ex. Token SMS), enviados pelo banco.
  • Um indício deste golpe é quando o celular para de funcionar repentinamente.

Como evitar o golpe?

  • Proteja seus dados pessoais, sem revelar senhas e número de documentos para desconhecidos.
  • Quando perceber qualquer movimentação estranha em sua conta corrente, poupança, ou celular para de funcionar repentinamente, avise seu gerente ou contate a operadora do seu celular.
  • Desconfie de ligações ou mensagens inesperadas.
  • Comunique às empresas responsáveis assim que desconfiar de qualquer ação em seu nome.
  • Registre boletim de ocorrência na delegacia mais próxima.

Polícia prende homem por falsificação de Carteira de Identidade

Sem Comentários

14/01/2019

Na última sexta-feira (11), policiais da Delegacia de Defraudações e Combate à Pirataria (DDCP), integrada ao Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), em parceria com Instituto de Identificação de Sergipe, efetuaram a prisão em flagrante de F.J.S.O., 30 anos, natural de Nossa Senhora da Glória. O homem foi preso depois que um papiloscopista constatou que ele fazia uso de documentos falsos para tentar obter a segunda via da Carteira de Identidade. O acusado tinha em seu poder uma Carteira de Identidade falsificada, a qual foi utilizada para obter uma Carteira de Trabalho, um Passaporte e um CPF, bem como para abrir conta bancária e requerer benefício junto ao INSS. O sujeito confessou a prática do crime e afirmou que a Carteira de Identidade falsa tinha sido produzida por um colega da cidade de Nossa Senhora da Glória (SE), motivo pelo qual as investigações terão continuidade, a fim de serem identificados outros envolvidos na fraude.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: InfoNet

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Fraude no Detran alterou dados de mais de 300 carros no RS

Sem Comentários

15/01/2019

Uma série de operações no sistema informatizado envolvendo alterações em cadastros de veículos e feitas em horário fora de expediente fez soar um alerta no Departamento Estadual de Trânsito (Detran), levando Polícia Civil a descobrir uma fraude. Usando a senha de um servidor público, dois investigados alteraram informações relativas a pelo menos 322 carros no Estado, causando prejuízo ao Detran, até o momento, de R$ 450 mil. Foram identificadas 955 operações no sistema Gerenciamento de Informações do Detran-RS (GID), que reúne dados cadastrais de veículos. Ao fraudar informações – como o nome do proprietário, a existência de multas ou numeração do chassi e do Renavam –, os fraudadores conseguiam evitar determinados pagamentos ao órgão público. Até mesmo carros em nome de pessoas mortas foram transferidos de forma fraudulenta. Nesta terça-feira (15), ao deflagrar a Operação Transitório, a polícia cumpriu quatro mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão em oito cidades. Três suspeitos foram presos e um é considerado foragido. Uma auditoria interna do Detran identificou, por meio dos endereços dos computadores em que a senha do servidor foi usada, dois suspeitos. Um deles já foi credenciado do Detran, atuava em um Centro de Registro de Veículos Automotores (CRVA), e acabou desligado justamente por fazer inserção de dados falsos no sistema. Outro fez a transferência da propriedade de dezenas de carros para seu nome, além de modificar o endereço de entrega de documentos veiculares. Os outros dois investigados se beneficiaram do esquema – um deles tem loja de compra e venda de veículos. Os nomes dos suspeitos não estão sendo divulgados.

A investigação começou quando o Detran levou as suspeitas apuradas em auditoria para a Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária (Deat). A estratégia usada pelos fraudadores para não serem descobertos acabou ajudando a detectar o esquema. Como faziam uso de uma senha ativa, se eles mexessem no sistema em horário de expediente, derrubariam o acesso do funcionário do Detran e isso chamaria a atenção. Então, eles só realizavam operações à noite e em finais de semana e feriados. Conforme apuração, o servidor, cuja senha foi usada, não teria participação no esquema. A polícia ainda apura como os fraudadores obtiveram o código de acesso ao GID. Até o momento foi apurado que o Detran deixou de receber R$ 450 mil em multas por infrações, em Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), em  Licenciamentos e em IPVA. A polícia ainda apura se há mais operações realizadas pelo grupo, mais beneficiários e se outras senhas podem ter sido usadas.

Como funcionava o esquema criminoso

  • Pelo menos dois suspeitos alteraram informações de 322 carros (apurado até o momento), causando prejuízo de cerca de R$ 450 mil ao Detran;
  • As alterações em dados cadastrais dos veículos eram efetivadas no sistema fora do horário de expediente, com a senha de um servidor público, funcionário do Detran, que não teria relação com o esquema criminoso;
  • Foram identificadas 955 operações no sistema de Gerenciamento de Informações do Detran-RS;
  • Eram alteradas informações como nome do proprietário, a existência de multas ou numeração do chassi e do Renavam;
  • Objetivo da fraude seria burlar pagamentos de multas e taxas ao órgão público, além de facilitar negócios dos envolvidos.

Jovem preso com R$ 450 em notas falsas também é suspeito de aplicar golpes no comércio em MT

Sem Comentários

14/01/2019

Nesta segunda-feira (14), um jovem, de 25 anos, foi detido em Rondonópolis, portando R$ 450 em notas falsas. Segundo o boletim de ocorrência, comerciantes da região central reconheceram o suspeito e afirmaram que L.N.M. havia comprado objetos e pago com o dinheiro falso. A polícia chegou ao suspeito por meio de uma denúncia anônima e, ao revistá-lo, encontrou as notas falsas no bolso dele. A funcionária de uma loja o reconheceu e contou aos policiais que, na semana passada, ele comprou um chinelo na loja em que ela trabalha e pagou o valor de R$ 100 com dinheiro falso. Outro comerciante também disse ter sido vítima do golpe. No entanto, disse que, por medo, não registrou a ocorrência. O jovem foi encaminhado para a delegacia e deve ser indiciado por estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idosa cai no golpe da recompensa e perde R$ 3 mil em Mogi

Sem Comentários

14/01/2019

Uma idosa de 71 anos teve prejuízo de R$ 3 mil depois de ser vítima do golpe da recompensa. O caso aconteceu na região Central de Mogi das Cruzes (SP). Segundo o boletim de ocorrência registrado pela vítima, ela caminhava pela Avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco, quando viu que uma mulher deixou cair um envelope. Em seguida, outra mulher se aproximou e perguntou se o envelope era da vítima. Um homem, então, abordou as duas e disse o envelope era dele e gostaria de recompensar as duas mulheres por terem devolvido. O golpista contou que elas deveriam deixar a sua bolsa com ele e, uma por vez, buscar a recompensa. Quando a idosa voltou, ela notou que havia caído em um golpe e não encontrou mais o homem com a sua bolsa. Além do prejuízo financeiro, o golpista ainda ficou com as chaves, documentos e cartões da vítima.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso com CNH falsa em Nova Casa Verde

Sem Comentários

12/01/2018

Na tarde desta sexta-feira (11) um homem de 44 anos foi preso em flagrante portando documento falso. A prisão foi efetuada na MS-134, em Nova Casa Verde, distrito de Nova Andradina (MS). A Polícia Militar Rodoviária realizava fiscalização de rotina, quando abordou um indivíduo em uma motocicleta na altura do Km 104. Ao apresentar os documentos, os policiais constataram que o papel da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) não era compatível com o papel moeda padrão. Em checagem no sistema policial, foi constatado que o homem não era habilitado. Quando questionado sobre os motivos que o levaram a usar o documento falso, ele alegou que é analfabeto e teria dificuldade para adquirir a CNH por meios legais, razão pela qual pagou R$1.800 reais a um homem no município de Deodápolis para adquirir a Carteira Nacional de Habilitação irregular. Diante dos fatos, o autor foi conduzido para a 1° Delegacia de Polícia Civil de Nova Andradina, onde o caso foi registrado.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Nova News

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Idosa é vítima de estelionato ao cair em golpe do falso sequestro em Rio Preto

Sem Comentários

13/01/2019

Na manhã do sábado (12), a Polícia Civil investiga um golpe do falso sequestro aplicado a uma idosa de 65 anos em São José do Rio Preto (SP). Segundo as informações obtidas no boletim de ocorrência, a mulher contou à polícia que recebeu um telefonema na casa dela, onde um desconhecido exigia quatro depósitos de R$ 500 por manter a filha dela em cárcere privado. No entanto, a vítima fez dois depósitos de R$ 500 quando percebeu que caiu em um golpe e registrou o caso na polícia.

Outro caso

Na noite de sábado, um vigilante de 57 anos também foi vítima de estelionato em Rio Preto. Segundo o B.O., por telefone, o suspeito dizia que mantinha a esposa e a filha da vítima em cárcere privado e que o vigilante deveria seguir as instruções dos criminosos para que elas não fossem estupradas e mortas. Ainda de acordo com o registro policial, o suspeito exigia que o telefone não fosse desligado e que R$ 5 mil fossem transferidos. No entanto, a vítima foi até o caixa eletrônico de um shopping onde fez a transferência de R$ 1 mil. O criminoso passou o número de outra conta para que novas transações fossem realizadas, mas a ligação caiu e, em seguida, a filha da vítima ligou para saber sobre o paradeiro do pai e ele descobriu que havia caído em um golpe. A polícia investiga o caso.

Anterior