Empresários acusados de golpe de R$ 3,3 milhões são alvos de operação

Sem Comentários

18/01/2018

A Polícia Civil cumpriu, três mandados de busca e apreensão contra os empresários suspeitos de aplicar golpes em noruegueses,  firmando uma sociedade para construção de empreendimentos comerciais desde o ano de 2011.  Ao todo, foram cinco procurações públicas adulteradas e um desvio de valores de, pelo menos, R$ 3.394.000, além de outras fraudes. A“Operação Societas” foi deflagrada pela Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa (DDF) nos bairros da Torre, na Capital. As investigações apontaram que as vítimas assinaram procurações públicas, para que o empreendimento fosse administrado pelos investigados, passando a acompanhar a sociedade à distância, através de mensagens de e-mail, whatsapp e ligações telefônicas. Eles convenciam as vítimas a assinarem diversos documentos, autorizando depósitos nas contas pessoais dos suspeitos, justificando despesas inexistentes afirmando que isto seria necessário, para que os noruegueses não sofressem punições internacionais. A DDF começou a investigar o caso em outubro de 2017, após denúncia das vítimas. A sociedade construiu empreendimentos nos bairros de Intermares e Altiplano, entre os anos de 2011 e 2015. Os noruegueses vieram passar férias no Brasil, em 2016, quando tiveram contato mais próximo com a dupla. As vítimas passaram a suspeitar da prestação de contas e receberam documentos falsos e planilhas adulteradas. Além disso, desconfiaram quando suspeitos apresentaram justificativas infundadas para que o encontro entre eles não acontecesse. A esposa de uma das vítimas, brasileira e doutoranda na UFPB chegou a pedir que um dos suspeitos protocolasse sua tese de defesa na faculdade, enviando uma procuração pública para esta finalidade. Nesta ocasião, ele adulterou e utilizou a documentação para desviar o restante dos valores relacionados aos empreendimentos, por temer a descoberta das fraudes. Os noruegueses procuraram um advogado no Brasil, no início de 2017, para coletar documentos e apresentar à Polícia. Foi contratada uma auditoria fiscal e contábil, que confirmou a prestação de contas irregular. Todos os bens dos investigados foram bloqueados, para que o prejuízo seja ressarcido. O delegado responsável pelo caso informou que será expedido um mandado de prisão, já que os suspeitos ainda não foram localizados.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Mais PB

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Polícia prende maior falsificador de documentos de MT

Sem Comentários

18/01/2018

Considerado um dos maiores falsificadores de documentos em Mato Grosso, que atende criminosos que usam papeis públicos para prática diversa de estelionato, foi preso na quarta-feira (17),pela Delegacia Especializada de  Roubos e Furtos (Derf), da Polícia Judiciária Civil de Rondonópolis (212 km ao Sul). A prisão ocorrida no bairro Vila Mineira, em Rondonópolis, culminou na descoberta de um verdadeiro escritório do crime. No local foram apreendidos impressoras, notebooks, computador de mesa, perfurador de placas de veículos, rolo em branco de papel de talão de água, monitor de TV, fichas de empresas, balanças de precisão,  folhas de cheque em branco, documentos pessoais, blocos de atestados médicos, documentos de veículos, registros de prontuários médicos, cadastros de pacientes, fotografias 3×4, cédulas de documentos (RG, CNH), entre outros. O falsificador usava documentos falsos para autenticar procurações em cartórios. Eles foi descoberto depois de uma informação na Delegacia, sobre um homem que tentava autenticar uma procuração em um cartório da cidade. O suspeito foi autuado em flagrante por falsificação de documentos públicos e particular.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folhamax

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpistas miram comércio

Sem Comentários

18/01/2018

Donos de lojas de Rio Preto viraram alvos preferenciais de uma onda de golpes aplicados por estelionatários vindo de outras regiões e até de outros estados. Com documentos falsos e cartões de crédito clonados eles fazem grandes compras, desaparecem e deixam para trás prejuízo. Segundo a Polícia Civil, antes de aplicar os golpes, os estelionatários abrem empresas de fachada com documentos falsos ou furtados. Com o CNPJ conseguem cartões de crédito, empréstimos e talões de cheque. Com isso em mãos, escolhem as lojas e empresas para aplicar os golpes pessoalmente ou por meio da internet. Os truques são usados para comprar e até para conseguir empréstimos em lojas de departamento. O delegado coordenador da DIG, afirma que os estelionatários sempre pedem parcelamento e solicitam 30 dias para o primeiro pagamento. Fornecem endereço de uma casa vazia, alugada com nome falso, só para receber as mercadorias, depois desaparecem sem pagar a locação. Em alguns casos, usam residências de laranjas. “Esse tempo eles usam para receber a mercadoria e depois desaparecer. Sempre fornecem endereço falso de entrega ou dão desculpa para pegar direto na transportadora. Somem depois de receber o produto em mãos”, explica. Na semana passada, uma fabricante de semi joias procurou a DIG depois de sofrer dois golpes e acumular R$ 11 mil em prejuízo. Nos dois casos, os estelionatários usaram nomes diferentes para fazer as compras. “Foi com base na pista deste caso que conseguimos prender a quadrilha em Uberlândia, que tinha uma mulher da cidade e mais dois homens de Ituiutaba. A equipe ficou de campana no lugar indicado para entrega da mercadoria e deu voz de prisão assim que eles receberam os produtos”, explica o delegado. Há também os golpistas que agem sozinhos ou em dupla, como foi na prisão de um casal detido com diversos documentos falsos e cartões clonados, após tentarem fazer grande compra em uma loja. Com a mulher foram apreendidos sete RGs com nomes, data de nascimento e locais de nascimento diferentes. Com o homem foram encontrados mais dois RGs falsificados. Para dar autenticidade, em cada documento ela usava uma foto com roupa diferente. Com esses documentos eles já tinham conseguido abrir conta em banco e estavam com seis cartões de crédito. O delegado ficou impressionado com a quantidade de documentos falsificados e a facilidade que os golpistas têm para conseguir abrir contas. “Só depois que mostramos os documentos encontrados eles admitiram falsidade ideológica.”  O diretor da Associação Comercial de Rio Preto (Acirp) afirma que os funcionários de crediários de lojas deveriam passar por treinamento para evitar os golpes. “O pessoal precisa fazer um cadastro bem detalhado antes de autorizar a venda. Na maioria das vezes, ficam com receio de pedir o RG e o comprovante de residência e o cliente ir embora, mas isso pode evitar que a empresa possa ser alvo de estelionatários”, afirma.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário da Região

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Grupo registra boletim de ocorrência contra empresa de viagens em Sorocaba

Sem Comentários

17/01/2018

Um grupo com cerca de 20 pessoas registraram boletim de ocorrência contra uma empresa que vende pacotes de viagens, no Centro de Sorocaba (SP), na tarde desta terça-feira (16), por suspeita de estelionato. De acordo com uma ex-funcionária da agência, que preferiu ter a identidade preservada, vários clientes ligaram nos últimos dias para reclamar sobre valores que eram debitados em conta de viagens, além do contrato e que ainda não foram realizadas. “O telefone não parou, muita gente ligou e decidi acompanhar as pessoas. Sei que são dois donos: um não está na cidade e outro está nos Estados Unidos”, diz. Entre as vítimas do suposto golpe está a analista de sistemas, de 50 anos, uma antiga cliente da empresa, ela conta conta que já fez mais de dez viagens e nunca tinha tido problema. Em fevereiro, ela faria um cruzeiro com a família. “Está tudo pago, são R$ 15 mil ao todo. Vimos que havia algo errado quando apareceram parcelas no cartão com o nome da agência que não estavam previstas. Devem ter usado nossos dados para pegar dinheiro nosso”, reclama. Um outro cliente, de 75 anos, diz ser outra vítima. Ele havia programado uma viagem pela Europa e, segundo ele, do total de R$ 28 mil, faltavam R$ 8 mil para terminar de pagar o contrato da viagem. “Comecei a pagar no ano passado. Já fiz várias viagens com eles e ia fazer o pacote chamado ‘Verão Europeu’, que inclui cinco países da Europa. Agora, não sei o que fazer. Vou entrar na Justiça para, pelo menos, conseguir meu dinheiro de volta. Porque essa viagem não tenho mais esperança de fazer. Fiquei sabendo que até funcionários da agência pediram a conta”, disse a vítima. O caso está sendo registrado no plantão norte da cidade. Ao tentar entrar em contato com a suposta dona da empresa,ela informou que a agência foi vendida para outra pessoa, que não foi localizada.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Suspeitos de estelionato de Ituiutaba e Uberlândia são presos em Rio Preto

Sem Comentários

17/01/2018

Uma quadrilha de estelionatários de Minas Gerais foi presa por policiais da Delegacia de Investigações Gerais – DIG de São José do Rio Preto, no estado de São Paulo, após aplicar golpes em comerciantes da cidade. Com eles, foi apreendido um carregamento de 300 pares de sapatos e semijoias adquiridos com cartão de crédito clonado. A DIG começou a investigar o caso quando os policiais foram procurados por comerciantes que tinham sido alvos dos golpistas. Foram encontrado pistas da quadrilha, por meio da transportadora contratada para levar a mercadoria até Uberlândia. Com apoio da Polícia Civil de Minas Gerais, foram detidos dois homens em Ituiutaba, e uma mulher na cidade de Uberlândia. Na casa da mulher suspeita, foi recuperado o lote de 300 pares de sapatos. A mercadoria recuperada será devolvida aos comerciantes de Rio Preto e de Curitiba, no Paraná.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Tudo em dia

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Homem é preso com CNH falsa em Cruzeiro do Sul

Sem Comentários

17/01/2018

Um caso curioso aconteceu em Cruzeiro do Sul,um homem de 27 anos, foi preso com uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa após uma abordagem da Polícia Militar. Já na delegacia foi descoberto que o suspeito tinha sido vítima de um estelionato ao tentar comprar a habilitação falsa. O delegado responsável disse que o motorista informou que teve a habilitação cassada e acabou indo comprar uma falsa a partir de uma rede social. Ele fez o depósito de quase R$ 1 mil, mas o documento falso nunca chegou. “Ele contratou esse serviço, fez o depósito do dinheiro, o cara mandou uma foto pra ele no Whatsapp da carteira e ficou de enviar, mas essa carteira não foi enviada”, disse. Segundo o delegado, o suspeuti imprimiu a foto enviada e andava como se fosse a CNH até que foi abordado pela PM, que percebeu a falsificação. “É uma falsificação grosseira. Ele só imprimiu a foto e andava por aí com ele. Na verdade, ele foi vítima do golpe que tentou aplicar e agora vai responder por isso”, explica. Ele foi indiciado pelos crimes de falsidade ideológica e porte de documento falso e encaminhado ao presídio Manoel Neri. A pena pode chegar até 5 anos de reclusão.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Pacientes com câncer no ES foram tratados com material descartável usado, diz polícia

Sem Comentários

17/01/2018

Pacientes em tratamento contra o câncer foram tratados com materiais reutilizados em hospitais particulares do Espírito Santo, segundo o gerente do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc), da Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp). O esquema foi divulgado pela polícia nesta terça-feira (16). Dois empresários e um enfermeiro foram presos, suspeitos de falsificação e fornecimento de materiais hospitalares descartáveis reutilizados em um hospital particular na Serra. Segundo a polícia, os suspeitos repassavam produtos usados como sendo novos, para um hospital particular. As investigações apontam que os produtos que deveriam ser usados apenas uma vez foram reutilizados 2.536 vezes. O gerente do Nuroc, destacou que há provas de que pacientes com câncer foram tratados com esses materiais. “Temos uma noção geral da abrangência desses materiais. Sabemos que pacientes oncológicos foram tratados com esse material cirúrgico. Pessoas que estão com a imunidade extremamente baixa foram submetidas a um risco muito maior do que os demais pacientes”, disse. De acordo com o Nuroc, os suspeitos da fraude foram presos depois de uma denúncia anônima e os produtos adulterados foram encontrados na empresa e no centro cirúrgico de um hospital na Serra. A quadrilha foi desarticulada durante a Operação “Lama Cirúrgica”, por equipes do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc), órgão que faz parte da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp).

Presos

Dois empresários e um enfermeiro foram detidos na operação. Eles devem responder por “lavagem de dinheiro, formação de organização criminosa, estelionato, falsidade ideológica e adulteração de produtos medicinais”, segundo o Nuroc. O trio foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana.

Participação de hospitais

A polícia também investiga a participação de médicos e responsáveis dos hospitais no esquema. “Vamos verificar se outras empresas faziam a mesma prática, se as falhas existem dentro dos sistemas dos hospitais, se os planos de saúde são lesados. Vamos tentar quantificar as lesões, se alguém foi prejudicado, se teve uma infecção hospitalar por causa desses materiais”, disse o gerente da Nuroc.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior