Homem é detido por usar CNH falsa para se inscrever em concurso em MT

Sem Comentários

22/08/2017

Na última sexta-feira (18) F.W. B., de 28 anos, foi conduzido pela equipe de policiais cedidos à Coordenadoria de Fiscalização de Credenciados (CFisc) do Detran/MT, para a Delegacia de Polícia de Lucas do Rio Verde,  por indícios do uso de  Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa, falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informação. O homem foi detido quando tentava participar do Curso Especializado para Condutores de Movimentação Operacional de Produtos Perigosos (MOPP), em um Centro de Formação de Condutores (CFC). No ato da fiscalização foi solicitado que os candidatos presentes na lista de chamada apresentassem a CNH. O suspeito alegou não possuir nenhum documento pessoal e em seguida tentou fugir da autoescola autorizada onde assistia aula e foi impedido pela equipe de policiais. Ao ser indagado sobre a sua CNH, o homem apresentou uma cópia digital em seu celular e em seguida confessou ter falsificado a CNH de sua mulher, escaneado e editando a imagem para inserir seus dados pessoais e assim poder realizar sua matricula no curso MOPP. Os indícios de irregularidades foram constatados pela Coordenadoria de Controle de Formação de Condutores, que em análise preliminar apurou incongruências entre os dados dos documentos apresentados pelo candidato com os consultados no sistema Detrannet. Em razão dos indícios de irregularidades a equipe da CFISC encaminhou o suspeito para delegacia de polícia local, onde foi registrado BO para providências da autoridade policial competente. Também será analisada a conduta do CFC.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Folha Max

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

PF deflagra operação contra fraude em auxílios-reclusão no MT

Sem Comentários

22/08/2017

A Polícia Federal (PF), com a ajuda da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda, deflagrou hoje (22) a Operação Rosário. A operação tem como objetivo a desarticulação de uma quadrilha especializada em fraudar benefícios previdenciários de auxílio-reclusão no Mato Grosso. A pedido da Justiça Federal de Diamantino (MT), a força tarefa responsável pela operação conta com a participação de cerca de 50 pessoas, entre policiais federais e servidores do INSS, para cumprir oito mandados de busca e apreensão e um de prisão preventiva em três cidades do Mato Grosso: Cuiabá, Várzea Grande e Rosário Oeste. Por meio de nota, a PF informou que as investigações tiveram início em 2016, após denúncia feita à Ouvidoria da Previdência Social, sobre irregularidades que estariam sendo cometidas na agência da Previdência Social de Rosário do Oeste. A maior parte das fraudes estavam relacionadas à falsificação de atestados carcerários, ampliando o tempo de prisão de supostos segurados. Levantamentos feitos na agência indicavam que a concessão desses benefícios em Rosário Oeste eram 12 vezes maiores do que a média nacional. As suspeitas ficaram ainda mais fortes pelo fato de não haver penitenciária neste município de cerca de 18 mil habitantes. A estimativa é de que essa fraude tenha resultado em pelo menos R$ 1milhão em prejuízos para os cofres públicos. Caso se confirmem as suspeitas dos investigadores, o prejuízo pode chegar a R$ 9 milhões, caso sejam considerados valores atrasados já pagos.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Diário de Pernambuco

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Funcionária perde R$ 5,4 mil para golpista que usou o nome do patrão em ligação

Sem Comentários

21/08/2017

Uma mulher de 57 anos foi vítima de um estelionatário e perdeu R$ 5,4 mil após ser enganada durante uma ligação. O golpista se identificou com o nome do patrão e pediu dinheiro para o conserto de seu carro que havia estragado em uma estrada de Água Clara, a 193 km de Campo Grande. De acordo com o boletim de ocorrência, a ligação de um número com DDD 011 ocorreu por volta das 10h30. Do outro lado da linha, um homem que se identificou como Luciano disse que estava com a caminhonete estragada no meio de estrada em Água Clara. A mulher que se diz ser funcionária de confiança e ter um patrão com o mesmo nome realizou três transferências de seu banco para uma conta de outro, informada pelo estelionatário. A primeira transferência foi no valor de R$ 2.400,00, a segunda no valor de R$ 300,00 e a terceira no valor de R$ 2.700,00. A comunicante só deu conta do golpe quando seu patrão recebeu as mensagens no aplicativo WhatsApp sobre os envios das transferências. Segundo o registro policial, o patrão pediu que ela parasse e alertou que estava em São Paulo. O caso foi registrado como estelionato.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Midia Max

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Mulher tem prejuízo de RS 2,4 mil com fraude bancária

Sem Comentários

22/08/2017

Na segunda-feira (21), uma mulher, de 29 anos, procurou a delegacia da Polícia Civil, para denunciar a transferência de R$ 2,4 mil realizada em sua conta bancária sem sua autorização. Conforme relato que consta no boletim de ocorrência, a movimentação foi realizada através da central de atendimento do banco. Ainda segundo a vítima, foram realizadas duas transferências para uma conta situada no estado de São Paulo. A primeira no valor de R$ 600 e a segunda de R$ 1,8 mil. Após o recebimento destes valores, a conta foi bloqueada. A vítima disse que apesar das evidências de fraude a agência bancária não restituiu o valor extraído de sua conta. O caso passa a ser investigado pelas autoridades policiais.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Só Notícias

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Golpistas utilizam a internet para roubar dados

Sem Comentários

21/08/2017

A cada 16,8 segundos, uma tentativa de fraude é aplicada no país. Só de janeiro a maio, o Brasil acusou 782.244 tentativas de golpes, segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude. É preciso estar atento, porque os criminosos estão cada vez mais ousados e a internet pode ser uma forte aliada no roubo de dados. Assim que viu o boleto no e-mail, uma empresária imprimiu e efetuou o pagamento. Só depois, ao receber a cobrança, percebeu que havia caído em um golpe. “É um pagamento que efetuo mensalmente e estava tudo certinho, os valores que costumo pagar, os dados da minha empresa”, conta. No mês passado, em Paranaíba, um agente de saúde pública foi vítima de estelionato ao realizar uma compra via internet no valor de R$ 866. A vítima entrou no site de uma loja de departamentos e realizou uma compra à vista. Após o pagamento do boleto, recebeu um e-mail da suposta empresa com a confirmação do pedido, mas não recebeu nenhum e-mail da confirmação do pagamento e como nunca o produto chegava, desconfiou. Em contato com o SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente), o agente foi informado pela atendente que não constava nenhuma compra em seu nome. Ainda em julho, a Polícia Militar de Três Lagoas prendeu um homem acusado de praticar estelionatos na internet. Segundo a PM, o rapaz aplicou pelo menos dois golpes no ano de 2014. Um professor de tecnologia explica que existem 75 milhões de links maliciosos na internet. E esse número aumenta 5% todos os meses. “Esses links te levam para algum servidor que faz um download de um software capaz de registrar tudo que você digita, seja no computar ou no celular. Por isso é possível copiar alguns dados, como senhas”, explica.  Alguns cuidados são fundamentais para evitar ser vítima desses golpes. “Existem alguns sites que fazem a verificação desses links. Você digita e o link e ele te dá o grau de risco desse site. Outra dica é ter um antivírus”, completa.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: JPNews

Fique ligado. Dicas do BrSafe para evitar essa modalidade de fraude.

Procurado pela Justiça é preso com talões de cheques de diferentes pessoas em Santos

Sem Comentários

21/08/2017

No último domingo (20), em Santos, no litoral de São Paulo, a polícia prendeu um homem que possuía dez talões de cheques de clientes diferentes. Ele é suspeito de utilizar nome falso e tinha mandado de prisão desde fevereiro de 2017. Segundo informações da Polícia Militar, o homem foi abordado na Avenida Cândido Gafree, próximo ao Porto de Santos. Durante a abordagem, o rapaz não conseguiu explicar a procedência dos talões e foi levado à delegacia. No 7º DP, foi constatado que ele utilizava nome falso e havia sido condenado em fevereiro deste ano. Ele foi conduzido à Central de Polícia Judiciária, onde ficará preso à disposição da Justiça.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: G1

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Operação combate fraude em aposentadoria militar no RS

Sem Comentários

21/08/2017

Foi lançada, nesta segunda-feira (21), pela Polícia Federal e Polícia Judiciária Militar uma operação para desarticular um esquema de fraude na obtenção da aposentadoria militar por meio da apresentação de atestados médicos falsos. Como parte da chamada operação Reformados, conduzida em conjunto com o Ministério Público Militar e com a Advocacia-Geral da União; estão sendo cumpridos um mandado de prisão preventiva; três de condução coercitiva e dois de busca e apreensão nas cidades de Canoas e Novo Hamburgo.

Crime

Os envolvidos no esquema utilizavam atestados médicos falsos com a indicação de doenças psiquiátricas; para manter o vínculo de militares temporários com o Exército para a realização de supostos tratamentos de saúde e; em seguida, para a obtenção da reforma militar, que equivale a aposentadoria.

– Durante as investigações, diligências flagraram pessoas com diagnósticos incapacitantes para a vida militar, por problemas físicos ou psíquicos, em uma rotina normal de vida; inclusive com ocupações remuneradas – afirmou a PF.

Os prejuízos causados pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica, assim como o número de pessoas envolvidas no esquema; ainda estão sendo apurados, acrescentou.

DF

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou no início desta manhã a Operação Panoptes, com o objetivo de apurar um esquema de fraude em concursos públicos. Conforme a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado, a operação foi iniciada há três meses; após a identificação dos primeiros indícios da prática criminosa. Por meio de nota, a Polícia Civil informou que estão sendo feitas ações em várias cidades do DF para cumprir quatro mandados de prisão preventiva e 15 mandados de busca e apreensão. A Polícia Civil informou que ainda nesta segunda-feira apresentará mais detalhes sobre a operação.

Ler a notícia na íntegra

Fonte: Correio do Brasil

Saiba mais sobre os crimes de fraude no site do BrSafe.

Anterior